Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas

conta-gotas


postado em 07/04/2019 05:07

Alerta às mulheres para manter a qualidade de vida

Mais de 52% da população feminina não faz exame ginecológico preventivo de câncer, conforme pesquisa da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (SBOC). A rotina de hábitos saudáveis, como consultas e realização de exames regulares, deve iniciar na adolescência para garantir a prevenção de doenças e diagnósticos precoces. “A prevenção continua sendo o melhor remédio e os cuidados proporcionam possibilidade de um cotidiano saudável e ativo para as mulheres”, afirma o ginecologista e vice-presidente da região Sudeste da Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo), Agnaldo Lopes. Ele indica cinco importantes aspectos para a promoção da saúde feminina.

»  Manter a vacinação em dia
O Brasil mantém vacinas importantes para evitar doenças, inclusive contra o HPV. É importante lembrar que a vacina não substitui o exame preventivo de câncer de colo uterino

»  Prevenção contra DST
Evitar doenças sexualmente transmissíveis com o uso
de preservativos, pois a Aids e o HPV são doenças prevalentes

»  Planejar a gravidez
Utilizar métodos contraceptivos, pois cerca de 50% das gravidezes no mundo são não planejadas. A utilização de um método contraceptivo eficaz é importante para evitar gestações fora do tempo

»  Estabelecer hábitos saudáveis
Praticar atividade física constante, evitar o sedentarismo e o tabagismo, mantendo um controle médico periódico
»  Fazer consultas de rotina
Mantenha uma rotina de visita ao ginecologista. O Papanicolau e a mamografia (foto) reduzem a chance de ter um câncer no futuro e a possibilidade de um diagnóstico mais precoce, ou mesmo de doenças numa fase pré-invasora

Dia Mundial da Saúde com massagem de graça

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), “a saúde é um estado de completo bem-estar físico, mental e social e não apenas a ausência de doença ou enfermidade”. Hoje, no Dia Mundial da Saúde, que tal curtir um mix de massagens relaxantes e energizantes para celebrar a data e ficar de bem com a vida? O Spa Harmonize vai montar sua tenda itinerante em plena Savassi, para oferecer aos participantes momentos de conforto e de cuidados essenciais dentro do projeto BH é da Gente, da PBH. Os atendimentos vão ocorrer das 9h às 13h, no cruzamento das avenidas Getúlio Vargas e Cristóvão Colombo. São massagens energizantes, com técnicas e equipamentos específicos. Debaixo de uma tenda branca, decorada com flores e perfumada por aroma de lavanda, a equipe de massoterapeutas aplicará técnicas de reflexologia podal, aparelho massageador, escalda-pés e auriculoterapia (técnica da medicina chinesa que aciona pontos específicos da orelha para tratar problemas físicos e emocionais). Além do SPA Harmonize, no evento promovido pela PBH haverá oficina esportiva com rede de vôlei, badminton, escalada inflável, tênis de mesa, jogos de tabuleiro, camas elásticas e oficina aberta de skate.

8ª Run For Parkinson no Brasil

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), 1% da população mundial acima de 65 anos tem a doença de Parkinson. Esse distúrbio, típico da terceira idade, é a segunda doença neurodegenerativa mais prevalente no mundo, afetando cerca de 6,3 milhões de pessoas. Atenta para a importância de discutir a jornada do paciente de Parkinson, a Associação dos Parkinsonianos de Minas Gerais (Asparmig), apoiada pela Prefeitura Municipal Belo Horizonte, vai realizar, no dia 14, a 8ª edição do Run for Parkinson. O evento esportivo ocorreu pela primeira vez na Espanha há 10 anos e é realizado pela Asparmig no Brasil desde 2012. Este ano, a corrida contará com percursos de 5 quilômetros e 10 quilômetros, que poderão ser percorridos por atletas de ambos os sexos, de idades entre 16 e 70 anos. Para envolver toda a comunidade local, além da corrida, o Run for Parkinson também terá uma caminhada de 3 quilômetros, espaço kids, banda ao vivo, depoimentos de participantes e lian gong (prática corporal chinesa). Segundo Janette Melo Franco, presidente da associação, o evento é principalmente de conscientização. “Acreditamos que quanto mais pessoas souberem sobre o Parkinson, mais rápido será o diagnóstico e o acesso ao tratamento. Por isso, aproveitando que abril é o mês do Parkinson, trouxemos a atividade física, a dança e a música como possibilidades reais para falar dessa doença, ainda pouco conhecida”, diz Janette, que, para esta edição, estima a participação de mais de 1.500 pessoas. A largada, prevista para as 8h, será na Praça da Savassi (Av. Getúlio Vargas, em frente ao número 1.492). O kit do atleta custa R$ 65 e inclui camiseta personalizada, chip e número de peito, além de brindes. Inscrições no https://runforparkinsons.com.br/

Grupo de oração

Amanhã, às 19h30, será realizado mais um encontro do Grupo de Oração Beata Nhá Chica, no Salão Paroquial da Catedral Nossa Senhora da Boa Viagem (Rua Sergipe, 175, Funcionários – BH). Serão distribuídas relíquias da beata. Informações pelo
(31) 99941-9389 (WhatsApp).

Dengue, o perigo que vem voando

Com aumento significativo dos casos de dengue, de 700% nos três primeiros meses do ano comparado com o mesmo período de 2018, uma escola da Região Nordeste de Belo Horizonte desenvolveu um projeto que visa conscientizar alunos do ensino infantil em relação à doença e ao combate ao mosquito. Água parada, lixo acumulado, pneus em lotes baldios. Parece fácil identificar os principais focos do mosquito Aedes aegypti por onde quer que passamos e essa identificação ocorre graças às campanhas cada vez mais intensas voltadas à sociedade acerca do assunto. Segundo a pedagoga Aline Dias, que elaborou a pauta do projeto, a ideia é intensificar a prevenção a curto e longo prazos. “Quando a gente trabalha com criança, tem uma responsabilidade muito grande em mãos. Eles são os cidadãos do presente – aqueles que levam, muitas vezes, o debate para dentro de casa – e os cidadãos do futuro – aqueles que crescem sabendo da importância de debater certos temas”. Dengue, o perigo que vem voando, começou a fazer parte do calendário da escola este mês e inclui atividades como desfiles, músicas, exposições, poesia, textos e cartazes. As atividades foram elaboradas de maneira lúdica e englobam também a coparticipação entre os colegas de classe e a escola como um todo. Mais do que um exercício de conscientização, o projeto traz também as lições de convívio e trabalho em equipe entre os estudantes.

Dentes brancos: alternativas milagrosas não existem

Ter um sorriso branco se transformou em demanda estética e, para algumas pessoas, uma necessidade psicológica. Mas nem todo mundo consegue ter os dentes totalmente brancos de forma natural. Muitos culpam o cigarro e o café pelo tom amarelado, mas nem sempre é o caso. Segundo o cirurgião-dentista Adriano Rafael, membro da Sociedade Brasileira de Odontologia, existem algumas causas para o problema, entre elas a predisposição genética; o que bebemos ou comemos; medicamentos e tratamentos, como antibióticos que tenham em sua fórmula cloridrato de tetraciclina; alguns enxaguantes bucais; dentes com obturações de prata; quando o nervo ou a polpa do dente estão danificados e o avançar da idade. Adriano conta que, para aqueles que desejam deixar o sorriso mais claro, a melhor opção é procurar um profissional qualificado. “Muitos tratamentos caseiros de branqueamento não têm capacidade terapêutica, como alguns anunciados na televisão e que prometem um branqueamento em até oito tons, o que é impossível, é uma propaganda enganosa. Outros remédios caseiros, como o bicarbonato com limão, podem causar erosão devido ao ácido, como se esfregássemos uma lixa no dente. E as pastas de dente branqueadoras também podem não cumprir o que prometem, pois “jogam com o truque das cores (o oposto do amarelo é o violeta) e as partículas violetas que impregnam o dente provocam a sensação de falso branqueamento”. Adriano alerta também para outro problema que tem surgido, o da obsessão por dentes cada vez mais brancos, inclusive com tons que não existem na natureza. “Essa mudança de percepção entre o que é natural e artificial faz com que pacientes busquem tratamentos de branqueamento dental, muitas vezes abusando de substâncias que causam danos aos dentes, tais como sensibilidade e erosão do esmalte e também irritação na gengiva, garganta e paladar. Todo cuidado é pouco. É sempre bom conversar com o seu dentista.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade