Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Opção pelo minimalismo

Há quem se fartou de consumir, de ter, e decidiu preencher a vida com o pouco. e garante que a rotina ficou bem mais leve


postado em 24/02/2019 05:08

 

 






Propagandas dizem que precisamos, vitrines seduzem, influenciadores digitais convencem... E nós... Compramos. Muitas vezes, sem refletir se queremos ou temos mesmo necessidade daquilo. Queremos estar na moda, mostrar que podemos, nos colocar em uma posição de destaque na sociedade. Como resultado do consumismo desenfreado, o Brasil tem cerca de 62,1 milhões de endividados, segundo o Serviço de Proteção ao Crédito e a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas. Além disso, em 2017, o país produziu cerca de 71,8 milhões de toneladas de resíduos sólidos urbanos, 1% a mais que no ano anterior. E o pior: nem tudo é descartado corretamente.

A professora Suely Guimarães, doutora em psicologia do UniCeub, explica que muitas pessoas compram como uma maneira de se autoafirmar. “Com medo de ser julgada ou malvista pelos outros, ela compra e se endivida” explica Suely. Em 2018, a blogueira americana Lisette Calveiro veio a público admitir que contraiu uma dívida de mais de US$ 10 mil em roupas e acessórios usados para postar no Instagram. Ela gastava todo o seu salário para compartilhar uma vida de mentira. Depois de desativar suas redes sociais e economizar por 14 meses, conseguiu quitar o rombo.

Na contramão, algumas pessoas decidiram viver diferente. Adotaram o mínimo como estilo de vida. “O minimalismo vai contra essa onda de consumo desenfreado”, explica Gustavo de Castro, professor de comunicação da Universidade de Brasília (UnB). Gustavo explica que a cultura da substituição e a necessidade de sempre trocar um objeto por outro mais novo é uma característica da sociedade contemporânea. Para ele, o minimalismo não significa necessariamente ter menos coisas, mas, sim, viver em equilíbrio e somente com o essencial.


Publicidade