Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Corpo em movimento

Treinos de alta e média intensidades desenvolvem agilidade, equilíbrio, força e aumento da massa muscular, além de definir tônus. Eles são opções para fugir da musculação tradicional


postado em 03/02/2019 05:04

O engenheiro André Almeida tem o hábito de praticar atividade física com regularidade há 20 anos, dando foco ao tênis e ao treino funcional(foto: Fotos: Túlio Santos/EM/D.A Press )
O engenheiro André Almeida tem o hábito de praticar atividade física com regularidade há 20 anos, dando foco ao tênis e ao treino funcional (foto: Fotos: Túlio Santos/EM/D.A Press )

 



Caminhar, pedalar, dançar e subir escadas têm efeitos positivos sobre a saúde. Porém, o que vem roubando a atenção das pessoas são os treinos de alta e média intensidade. Muitas habilidades são trabalhadas nesses tipos de treino, como força, potência e respiração, além de benefícios como emagrecimento, melhora no condicionamento físico e do tônus muscular. Umas dessas práticas é o treino funcional, elaborado em circuitos com uma série de exercícios que movimentam o corpo.

De acordo com Vitor Alvarenga, fisioterapeuta e sócio-proprietário da Xsport, a prática funcional envolve o trabalho de todo o corpo no exercício estimulando os músculos e articulações em conjunto e de forma simultânea, gerando, dessa forma, um desempenho corporal mais completo. “O treinamento funcional é um aliado nas atividades do dia a dia por meio de exercícios que remetem à rotina individual, personalizado de acordo com o que a pessoa costuma fazer, e para o que precisa desenvolver em termos físicos para se sentir melhor, disposta e capacitada”, frisa.

A modalidade substitui a atividade física feita em aparelhos pelo peso e capacidades do próprio corpo integralmente e de forma inteligente, em vez de se restringir a execuções mecânicas e isoladas. “Uma analogia interessante é pensar num aparelho celular. Para funcionar de forma correta, ele precisa que todas as peças funcionem bem e ao mesmo tempo. E o treino funcional faz isso com o corpo. Ele coloca todas as partes para trabalhar em conjunto para que o desempenho seja completo e atinja o maior número de músculos possíveis”, comenta o fisioterapeuta.

OBJETIVO

O engenheiro André Almeida tem o hábito de praticar atividade física com regularidade há 20 anos, dando foco ao tênis e ao treino funcional. “Sempre me preocupei em manter um estilo de vida saudável para ter qualidade de vida e garantir minha competitividade no tênis. Comecei a me preocupar em me manter ativo já na infância, e nunca mais parei.”

De acordo com Vitor Alvarenga, quanto mais personalizado o programa de treinamento, maiores são as chances de que o objetivo seja alcançado. “Cada um tem seus objetivos, em alguns casos, alguma preferência pessoal por meio de alguma aptidão, diante de alguma modalidade esportiva.” O fisioterapeuta explica que o treino funcional é baseado no centro de força fora do corpo (Core), com início no cinturão do abdômen, e foi criado com o intuito de abandonar movimentos técnicos/mecânicos. A ideia é preparar o corpo para dar conta do que ele deseja fazer.

“Se sofro uma lesão, boa parte será direcionada para que eu possa me recuperar o mais rápido possível. Se estou próximo de um torneio, os treinos vão me dar suporte para que atinja o máximo de performance na competição. Se estou num período mais leve, de descanso, eles vão acompanhar minha necessidade de recuperação física e mental naquele momento, por aí vai”, explica o engenheiro sobre os ciclos de treinamento e a otimização dos treinos para o desempenho dos objetivos.

A escolha do treinamento funcional foi justamente pela percepção de que, à medida que o treinamento evoluía, os movimentos no esporte ficavam mais eficientes, os riscos de lesões diminuíam e o desempenho melhorou com o tempo. “Sempre tive sede de conhecimento, vontade de aprender, de melhorar mais e mais, e percebi isso nas sessões de treino”, ressalta André.

ESTILO DE VIDA

Por ter essa preocupação em manter um estilo de vida saudável, o engenheiro não precisou de mudanças drásticas nos hábitos de vida e alimentação. “Apenas faço adequações em minha rotina de preparação de acordo com os objetivos e o momento do ciclo de treinamento”, diz. O tenista destaca ainda que é sempre importante manter um estilo de vida mais saudável e que isso é que possibilita fazer qualquer coisa, desde os afazeres do dia a dia à prática de um esporte. “Valorizo muito a saúde, e meu estilo de vida é direcionado nesse sentido, é uma forma de me manter bem disposto, ativo, motivado com os afazeres, o que me traz uma vida de qualidade.”

É importante frisar que o treinamento funcional é interessante para todos, em qualquer idade e em qualquer condição física. Podemos pensar aqui que ele é um plano de qualidade de vida que será individualmente criado para contemplar as necessidades do dia a dia de cada um. O ideal é que o aluno busque alguma academia com profissionais graduados, devidamente capacitados na técnica, e peça orientação, pois assim o profissional montará um plano de acordo com a necessidade de cada um.

PEGAR PESADO


Se a falta de tempo é a melhor desculpa para não se exercitar, está na hora de inventar outra. O treinamento intervalado de alta intensidade, popularmente conhecido como HIIT (high intensity interval training, em inglês), faz sucesso entre as pessoas que não dispõem de muito tempo para a prática de exercícios, mas não abrem mão de cuidar da saúde e de uma alternativa para queimar muita caloria e, consequentemente, emagrecer. A procura por essa perda de peso e condicionamento físico faz com que o HIIT seja uma das tendências fitness para 2019.

Então, prepare o fôlego, porque é uma das novas modalidades que prometem deixar em forma quem esteja disposto a pegar no pesado. “Por se tratar de um método em que o aluno realiza intervalos de maneira passiva ou ativa, o organismo reage bem aos estímulos, proporcionando o resultado esperado, devido ao aumento da taxa metabólica e ao gasto calórico”, explica Yankow Oliveira Peçanha, professor de educação física.

A técnica em radiologia médica Helen Cristina dos Santos Moreira Jales sempre se preocupou com a atividade física regular. “Faço exercícios desde os 16 anos e, após os 35, intensifiquei minhas atividades devido ao ganho de peso após duas cesáreas”, relembra. Em 2012, quando a filha caçula nasceu, ela observou uma dificuldade em emagrecer e ao mesmo tempo conseguir um período para cuidar do corpo. “Com o tempo, queria uma atividade mais intensa e que eu conseguisse manter devido ao tempo disponível para conciliar com os filhos”, conta. Helen Cristina destaca que os desafios e os resultados do HIIT na perda de peso, melhora do condicionamento físico e aumento da autoestima são os motivadores do dia a dia.

A técnica em radiologia pratica a modalidade há seis meses, quando viu alguns vídeos e percebeu que seria uma atividade ideal para sua meta de perder peso e melhorar o condicionamento. “Esse estilo significa para mim uma atividade com exercícios variados em menor tempo, com muitos desafios, sendo necessários determinação e foco”, explica. Os treinos da tecnóloga variam entre aeróbico, localizado, membros inferiores e superiores, com duração de 45 segundos em cada estação. “As dificuldades existem, pois cada exercício exige um nível de condicionamento e apresenta um grau de dificuldade em manter a qualidade da atividade nos 45 segundos”, comenta. Pela alta intensidade dos treinos, hoje ela consegue realizar o HITT com mais tranquilidade. Porém, “aquele momento de cansaço existe, mas esperado para o final do treino”.

O que torna o método mais efetivo é o fato de unir exercícios neuromusculares (melhorando a capacidade de recrutar várias unidades motoras e melhoramento de impulsos nervosos para a realização do exercício) com atividades cardiovasculares (em que ocorre a melhora do condicionamento respiratório, aumentando o consumo de oxigênio), trazendo para aquele que o pratica uma melhora e o aumento da resistência muscular.

Por se tratar de uma atividade de alta intensidade, é recomendado que seja estipulado tempo de 30 minutos de aula. O HIIT trabalha basicamente o correr, saltar, peso do corpo e abdominais. Portanto, basta apenas um local plano, seguro e limpo para fazer a atividade. “A frequência de atividades físicas aliada a uma boa alimentação tem influência no rendimento do dia a dia de quem a realiza”, explica o professor. Cabe ressaltar que antes da prática de qualquer atividade física é essencial consultar um médico para saber se o indivíduo está apto.



Tecnologia wearable

O termo em inglês significa “que pode ser vestido”. São dispositivos inteligentes que o usuário literalmente veste e usa como se fosse um acessório. Existem relógios, pulseiras, óculos e até roupas que têm esses dispositivos. Os wearables são utilizados durante a atividade física para marcar a distância, a frequência cardíaca, o gasto calórico e o tempo de treino.


Publicidade