Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Conta-Gotas


postado em 23/12/2018 05:02

(foto: Tulio Santos/EM/D.A Press %u2013 21/11/12 )
(foto: Tulio Santos/EM/D.A Press %u2013 21/11/12 )

 

 

 

 



Ceia mais saudável

 

As festas de fim de ano estão chegando e, com elas, o medo de engordar, servindo-se da rica diversidade de alimentos que compõem as ceias dessa data festiva. Para Rodrigo Polesso, idealizador do site emagrecerdevez.com, especialista em emagrecimento e certificado em nutrição otimizada e saúde e bem-estar pela Universidade Estadual de San Diego, as pessoas não precisam pensar em emagrecimento na ceia de Natal e de ano-novo. Segundo ele, tudo faz parte de uma tradição e, nesses dois dias, pode-se abrir uma exceção. Contudo, alguns tipos de alimentos podem ser evitados. Entre as comidas que devem ser evitadas estão bolos, tortas, massas, refrigerantes e pães, porque farão com que as pessoas se sintam inchadas e ‘pesadas’. De acordo com Polesso, alimentos que tradicionalmente são usados para a composição das ceias de fim de ano estão livres para ser ingeridos sem culpa. Destaque para peru, frango, peixes, bacon, carne assada, churrasco, ovos de todos os tipos, legumes e folhas de todas as variedades, nozes e castanhas, vinhos e espumantes secos, farinha de mandioca, arroz fantasia, batata recheada e tapioca. E as delícias ingeridas depois da ceia, como sorvetes, pavês, gelatinas e outros, de acordo com Polesso, é melhor substituir por frutas in natura, frutas secas (tâmaras, damascos e passas) e chocolate com pelo menos 70% de cacau. Sobre o horário das ceias, o especialista sugere que as pessoas jantem um pouco mais cedo, por exemplo, às 21h, para não precisar se empanturrar depois da meia-noite.


Preservação
da memória

O bom funcionamento da memória é fator fundamental para que homens e mulheres a partir dos 50 anos possam manter por mais tempo suas condições vitais para realização das atividades do cotidiano, sejam elas profissionais, sociais ou afetivas. Acompanhando diariamente o aumento do número de pessoas com deficiências de memória e atenção, além de outras dificuldades cognitivas, principalmente após os 50 anos e já na fase idosa, os neuropsicólogos Rosana Hosken e Guilherme Hosken Veiga, do Espaço Máster, centro de desenvolvimento cognitivo e motor para adultos e idosos, desenvolveram programa que auxilia os médicos e profissionais de saúde no tratamento de seus pacientes. O programa é composto por três pilares e tem como base a associação entre o desenvolvimento cognitivo e a estimulação sensorial-motora: avaliação cognitiva/neuropsicológica, academia do cérebro e laboratório de força, equilíbrio e coordenação. Além disso, o programa conta com uma série de atividades complementares, que incluem artes, músicas, culinária, meditação, cinema e literatura, entre outras. Essas atividades ajudam a alcançar os objetivos de cada um, e permite que os participantes apliquem o apresentado desenvolvido nas atividades funcionais mais indicadas para cada caso.


Combate às varizes no verão


O verão chegou e, para usar e abusar de shorts, saias e vestidos, sem medo de expor vasinhos ou varizes, o médico angiologista pode ajudar com o tratamento mais adequado e individualizado. Segundo a Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular (SBACV), as varizes atingem de 30% a 50% da população brasileira e, além do desconforto dos sintomas, sua aparência causa incômodo estético. O período que antecede o verão é o mais recomendável para iniciar o tratamento. “No verão, como as veias se dilatam mais em função do calor, os pacientes sentem mais desconforto, sensação de queimação e inchaço nas pernas. Portanto, o mais indicado é iniciar o tratamento no período de temperaturas mais amenas”, explica a angiologista Solange Meyge Evangelista, membro titular da Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular e diretora da clínica Varizemed. Segundo a médica, atualmente, os pacientes podem recorrer a modernos tratamentos, minimamente invasivos, eficazes e seguros. Um deles é a escleroterapia com microespuma, técnica em que se injeta dentro das varizes um medicamento, sob a forma de espuma, e é realizada em clínica, sem internação hospitalar e sem anestesia. “A injeção de microespuma nas varizes tem a função de fibrosar e secar as veias doentes. Ao serem eliminadas, as veias doentes são absorvidas pelo organismo e não fazem falta à circulação venosa, pois não cumprem mais sua função de levar o sangue da perna de volta ao coração. Com essa técnica é possível tratar até úlceras (feridas) abertas”, descreve. “Hoje, podemos tratar até mesmo varizes mais calibrosas sem cirurgia, inclusive a veia safena, com a escleroterapia com microespuma. Assim, sem cicatriz, o tratamento pode ser realizado próximo às viagens no verão”, elucida a angiologista.

 

 

 

Guia interativo para procedimentos médicos

A Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein criou o Tutorial Einstein, um site com orientações sobre procedimentos médicos realizados depois da saída do hospital. A plataforma, interativa e personalizada, tem o objetivo de auxiliar e orientar pacientes, familiares e cuidadores com técnicas e dicas para o cuidado domiciliar, necessário depois da alta. O canal funciona como um assistente virtual, que ajuda a levar informações úteis, corretas e confiáveis, eliminando possíveis erros e ajudando a lembrar os passos fundamentais para a realização dos diversos procedimentos. O formato é de um chat, em que o usuário pode conversar e receber orientações em relação às necessidades específicas de cada realidade e caso. Para a estreia do canal, o primeiro procedimento disponível é a traqueostomia, indicado para desobstrução das vias respiratórias, que pode ser de uso permanente ou temporário, e envolve manutenção rigorosa. Em breve, mais recursos e cenários vão ser contemplados, como cuidados com pacientes com demências (Alzheimer e Parkinson), insuficiência cardíaca e para amamentação.



Doenças oculares crescem nesta época de calor

Água do mar ou piscina contaminada, abusar das lentes de contato em ambientes com ar-condicionado e viagens aéreas longas prejudicam os olhos no verão. De acordo com o oftalmologista do Instituto Penido Burnier Leôncio Queiroz Neto, os prontuários do hospital mostram que essas variáveis durante a estação aumentam em 20% as doenças oculares externas: conjuntivite, alergia, ceratite (inflamação da córnea) e olho seco. Para cada uma, o tratamento é diferenciado, embora tenham sintomas em comum: olhos vermelhos, lacrimejamento, coceira, sensação de corpo estranho, queimação, fotofobia e visão borrada. O uso de colírio impróprio pode agravar essas doenças, adverte. Todas as faixas etárias são afetadas, mas os riscos variam conforme a idade. Queiroz Neto afirma que, entre crianças, os fatores de risco mais frequentes são o hábito de ficar mais tempo na água e nadar de olhos abertos, sem óculos de natação. Isso porque o contato da mucosa ocular com o excesso ou falta de cloro nas piscinas, e com a água contaminada do mar, pode causar alergia ocular, ceratite, conjuntivite viral ou bacteriana. O médico explica que os casos de alergia são tratados com colírio anti-histamínico e compressas frias. O especialista afirma que, entre adultos, são o abuso de lentes de contato, o excesso de ar-condicionado e as viagens aéreas longas. Esses três fatores aumentam o risco de contrair síndrome do olho seco, que, se não tiver tratamento adequado, causa ceratite. Isso porque, explica, a córnea, lente externa do olho, se alimenta da lágrima. O ressecamento do filme lacrimal provoca a má oxigenação da córnea e acarreta sua inflamação, facilita a contaminação por micro-organismos e a formação de úlceras. A recomendação do médico é retirar as lentes de contato nas viagens aéreas com mais de três horas de duração, porque o ar é mais rarefeito dentro dos aviões, evitar o abuso de ar-condicionado e proteger os olhos com colírio lubrificante.


Uso de secador para cada tipo de cabelo

Depois de lavar e hidratar o cabelo, usar o secador para tirar a umidade dos fios ajuda a conferir um acabamento brilhoso, alinhado e macio às madeixas. Nesse momento, saber usar o acessório corretamente para secar faz toda a diferença no resultado. E não existe uma só maneira de secagem. Cada tipo de fio exige cuidados e truques diferentes para alcançar sua melhor forma. O embaixador da marca Lion, Jotha Cunha, dá preciosas dicas para todos os tipos de fios: cabelos lisos, cacheados, grossos, finos e danificados. Na hora de secar o cabelo cacheado com secador, os principais objetivos são definir os cachos e evitar o frizz. Para conseguir esse resultado, comece preparando o cabelo úmido com um protetor térmico, que, ativado pelo calor, realça a curvatura dos cachos e oferece fixação duradoura. Quem tem o cabelo liso, a princípio, consegue secar as madeixas com mais facilidade, já que não é preciso ter tanta atenção com a textura. No entanto, é comum que esse tipo de fio fique com frizz quando é escovado. O cabelo grosso é naturalmente mais poroso e volumoso, então, precisa de bons produtos finalizadores para facilitar sua escovação. A espessura do fio permite que você trabalhe com produtos com consistências mais densas, como cremes de pentear e óleos.


Publicidade