Publicidade

Estado de Minas

Você pode aprender a ser mais otimista sim; pergunte-me como

Um caminhar que não importa se está no trabalho, ou se trabalha em casa, se é domingo ou segunda-feira, mas a vida está bem e você flui fazendo dela o melhor


postado em 25/08/2019 04:00 / atualizado em 25/08/2019 08:21


Já parou um instante para se perguntar se sua vida está como deseja? É possível ser mais feliz e ter uma VIDA POSITIVA?

De nada adianta viver uma vida vazia. Mas, infelizmente, é isso o que vejo no dia a dia. Caixas de supermercado, empregados de grandes empresas, funcionários públicos, não importa a profissão – o comentário mais comum é: que horas são?. Doidos para chegar ao final do expediente e ir embora para casa. Fazer o quê? Deitar no sofá, assistir a uma novela, seriado ou até mesmo fazer as funções de rotina de uma casa ou família (dever de casa, lavar a roupa, preparar a refeição etc.).

Que vida é essa? Será a melhor opção querer que nosso dia acabe rápido, pois é chato? Mas estamos perdendo aquele dia que poderia ser desfrutado como parte de nossa jornada. A vida passa depressa e você desperdiça seu dia querendo que chegue logo a noite para se ver livre dele?

A vida é uma caminhada. Podemos passar por ela e ser mais felizes a cada momento ou não. Depende de como vou olhar o que acontece comigo e com os outros e desfrutar quando possível do melhor. Mas apenas estamos passando, envelhecendo, adoecendo de tanto trabalhar pelo sustento da casa ou de mais um luxo que desejemos. Como podemos mudar essa história e viver uma vida fértil, saboreando os momentos presentes e ainda deixando sementes de exemplo de que é possível ser mais feliz a cada dia?

Os estudos de mais de uma década sobre psicologia positiva, criada pelo doutor Martin Seligman, mostram que sim. Podemos tornar um pessimista uma pessoa mais otimista. Comportamentos podem ser aprendidos. Treinados como exercício físico ou como treinamos matemática ou inglês. Repetição forma novos hábitos. Criamos novas circuitarias neuronais. Nosso cérebro é capaz de fazer o que chamamos de neuroplasticidade. Desenvolver novas conexões, mudar nossa mente. Mudar a forma de pensar, sentir e ver o mundo. Isso é um treino possível.

Mas antes de convencer você a sair dessa vida vazia, preciso mostrar que pessoas felizes fazem mais sucesso, vivem em média oito anos mais e de forma bem mais saudável, fazem bons relacionamentos e se divertem vivendo. As pesquisas nessa área comprovam que melhora a saúde, imunidade, doenças crônicas, dores e, além disso, diminui a depressão, ansiedade e compulsões.

Nossa! Parece milagre. Não! É treino e vontade de fazer a vida segundo o modelo dos otimistas. Basta treinar.

Veremos pequenas dicas: “pílulas de felicidade”. E se você segue apenas esperando seu fim de semana poderá aprender a ter uma vida com mais significado, com um “para quê” viver. Um caminhar que não importa se está no trabalho, ou se trabalha em casa, se é domingo ou segunda-feira, mas a vida está bem e você flui fazendo dela o melhor. Desfrutando das horas trabalhadas sem perceber. Fazendo algo que vai deixar para o mundo, com seus talentos e com o que valoriza. Nem vê o tempo passar. Apenas segue em frente e se diverte com seu trabalho. Às vezes, precisa dar um duro danado, mas vale o esforço, seja lá para o que for. E, ainda por cima, marca com sua alegria e entusiasmo quem o rodeia, que fica feliz por contaminação e irradiação do bem-estar. Podemos deixar inclusive um legado. Sementes daquilo que produzimos com amor e por amor.

Você pode aprender a ser mais otimista sim! A metade da população nasce otimista, a outra infelizmente não. Mas treinando hábitos simples, vamos juntos aprender o que os otimistas fazem e mudam a forma de viver.

Propósito se faz ao caminhar, encontrando aquilo que acende dentro de você as suas brasas. Elas estão aí, debaixo de cinzas. Mas há como descobrir que fagulhas vão reacender esse fogo. E quando você despertar a sua chama interior, algo de forma maior – um CHAMADO – o conduz ao novo caminho.

Como saber se já estou no caminho? Se as coisas que faz estão dando certo, você está alinhado com seus desejos mais profundos e tudo conflui para dar mais certo ainda. Mas se não, você está “pelejando com a vida” e nada acontecendo como deveria. Com muito amor, pergunte-se: faço o que desejo, mereço e pode ser bom para mim e para os outros? 


Publicidade