Publicidade

Estado de Minas

Capital humano e tecnologia brasileira


postado em 25/05/2019 04:09 / atualizado em 25/05/2019 11:57

Fundadores da Rocketmat (da esquerda para a direita) Jason Gillespie, Pedro Lombardo, Paulo Nascimento e Tiago Machado.(foto: Rocketmat/divulgação)
Fundadores da Rocketmat (da esquerda para a direita) Jason Gillespie, Pedro Lombardo, Paulo Nascimento e Tiago Machado. (foto: Rocketmat/divulgação)


Capital humano e tecnologia brasileira

Dois mineiros criaram um algorítmo apelidado de Matthew, fundaram a Rocketmat, se uniram a outros dois sócios norte-americanos, levaram a sede para Dallas (Estados Unidos), mantiveram o escritório de pesquisa e desenvolvimento em Belo Horizonte, e receberam uma restrita certificação da gigante Amazon Web Services (AWS). Hoje, levam tecnologia brasileira na área de Recursos Humanos para diferentes mercados, como Colômbia, México e Coreia do Sul, para além dos Estados Unidos, onde atendem a AT&T, uma das principais empresas de telefonia do país, com mais de 270 mil funcionários.

A Rocketmat é exemplo de como a Inteligência Artificial (AI) avança pelo mundo. Poderia render um belo filme de ficção científica, um clássico como Her (Ela, em português), filme de 2013, que mostra as consequências de um novo sistema operacional, a Samantha. A ficção passa longe, o convite foi para serem parte de um documentário do canal National Geographic. E por quê? O robô Matthew usa dados de seu próprio cliente para traçar o perfil de um candidato perfeito à vaga de emprego; contrata sem discriminação de raça e gênero; e passa a gerir o funcionário, sendo capaz de prever a sua necessidade de treinamento e até a sua saída.


Os sócios (foto – da esquerda para a direita, Jason Gillespie, Pedro Lombardo, Paulo Nascimento e Tiago Machado) brasileiros são Tiago Machado, mestre em inovação, e Paulo Nascimento, doutor em Inteligência Artificial. Eles criaram a Rocketmat há apenas dois anos. “A área de Recursos Humanos foi uma das últimas a adotarem tecnologia nas empresas”, destacou Tiago. “É impossível um setor analisar, de forma igual e justa, sem o viés natural do ser humano, o currículo de 20 mil candidatos, como o Matthew é capaz de fazer”, exemplifica. Contudo, nada de substituição de humanos. O robô potencializa o trabalho de recrutadores e gestores, que, no fim das contas, são também aqueles que tomam as decisões.

Entre os impactos para as empresas estão a melhoria nos processos seletivos e a redução no tempo de contratação, gerando mais assertividade e economia. Há também benefícios intangíveis, como maior eficiência do time, já que os selecionados têm a característica de melhor se adaptar à cultura e às metas da empresa.

Mais crédito para o agronegócio

A Gestão Integrada de Recebíveis do Agronegócio (GIRA) assinou contrato de cooperação técnica com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). Para uma nova plataforma tecnológica, a AgroAPI, acessará dados de 40 anos de pesquisa. Em 2018, alcançou a marca de R$ 1 bilhão em operações de crédito, e agora se coloca como uma agfintech (startup da área financeira para o agronegócio). “Passaremos da fase de gestora de crédito para a de certificadora, além de oferecer créditos. Nossa expectativa é revolucionar o modelo de financiamento da produção agrícola no país”, ressalta o CEO, Gianpaolo Zambiazi.

Biotecnologia, óleo e gás

A Biosolvit, uma das investidas do BMG UpTech, programa de aceleração de startups do banco BMG, ficou entre as 12 melhores do Startup World Cup 2019, em São Francisco (EUA). Cerca de 30 mil startups, de 40 países, estavam inscritas. Fundada em 2014, a empresa está em fase de expansão acelerada, focada em biotecnologia aplicada no desenvolvimento de novos materiais para o mercado de óleo e gás. É dona, por exemplo, de um absorvedor natural que permite a reúso do óleo absorvido em alto-mar. Também entrou, pelo segundo ano consecutivo, para o ranking brasileiro “100 Startups to Watch” (100 startups para ficar de olho).

Agenda

>> O Sebrae Minas promove o seminário de marketing digital Reload, em Belo Horizonte, desta quinta-feira a sábado. O gerente da Amazon Brasil, Rafael Ferreira, é um dos palestrantes. As inscrições podem ser feitas no endereço eletrônico novacaosebraeminas.com.br/reload .

>> Um bate-papo sobre cultura, liderança e diversidade reúne Tatiana Santarelli (Team Hub), Grazi Mendes (ThoughtWorks) e Bárbara Aguilar (MaxMilhas). Será na próxima segunda-feira, às 19h, no Órbi Conecta (Av. Antônio Carlos, 681, Lagoinha). Informações em bit.ly/cultura-lideranca-diversidade.


Publicidade