Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Economia digital


postado em 13/04/2019 05:04 / atualizado em 13/04/2019 08:09

(foto: Divulgação)
(foto: Divulgação)

“Enquanto o ecossistema de startups está mostrando fortes sinais de crescimento saudável, o país ainda não cumpriu sua promessa no cenário global devido a lacunas significativas na produtividade e na infraestrutura pró-negócios”. A afirmação é de Nicola Calicchio, sócio da consultoria McKinsey, que divulgou nesta semana, pela primeira vez, um relatório de 191 páginas sobre a economia digital brasileira. É um passo importante para aprimorar a nossa relevância global a partir da tecnologia e da inovação.


O estado de Minas Gerais foi apontado como o terceiro maior em número de startups do Brasil, com 890 empreendimentos, atrás de São Paulo (3,3 mil) e Rio Grande do Sul (915).

As comunidades destacadas pelo relatório estão em Belo Horizonte (San Pedro Valley), Uberlândia (Colméia e UberHub), Uberaba (Zebu Valley) e Juiz de Fora (Zero40). Foram citadas as startups Sambatech, Méliuz, Smartbox, Sympla, Hotmart, MaxMilhas, Rock Content, Studio Sol e Beer or Coffee. Essa última, da capital mineira, ainda aparece ao lado do We Work e do Google Campus, como referência no setor de coworking, que no Brasil já somam 1,2 mil espaços, 88 mil estações de trabalho, 7 mil empregados e 214 mil usuários.

No ecossistema de inovação mineiro, a McKinsey aponta ainda incubadoras e aceleradoras (Colmeia, FiemgLab, Seed, Acelera MGTI, Inatel e Habitat), instituições de ensino (UFMG, Inatel, UFJF, UFV, UFU e UFLA), investidores e instituições de suporte (Minas Digital, Fapemig, Inseed e Sebrae-MG). A Algar Telecom aparece como exemplo de empresa de tecnologia estabelecida no mercado.

O estudo, que revelou “tendências digitais altamente encorajadoras”, foi desenvolvido em colaboração ao Brazil at Silicon Valley, um movimento estudantil que começou na universidade de Stanford, nos Estados Unidos.

Leia mais sobre o relatório em www.uai.com.br/foradacaixa.


O Brasil das startups

» O país superou a marca de 10 mil startups, sendo 46% delas com menos de dois ano de vida, e de 30 mil empregos, segundo relatório da McKinsey.

» Os investimentos em capital de risco somaram US$ 1,3 bilhão em 2018, contra US$ 859 milhões em 2017, representando 66% de todos os investimentos na América Latina.

» A partir de 2018, surgiram oito startups com status de unicórnio (com valor de mercado superior a US$ 1 bilhão), comparado a 13 na Índia e 92 na China.



Remédio mais barato em casa

Quem mora na região Centro-Sul da cidade já pode comprar remédios assim como fazem pedidos de comidinhas pelo celular e recebem em casa. O Remederia App, apelidado de iFood dos remédios, realizou testes em Betim e agora expande o seu mercado para a capital. O aplicativo, que pode ser instalado no telefone, permite ao consumidor pesquisar as farmácias mais próximas, comparar os preços, finalizar a compra e receber o medicamento em poucas horas.



"Se os dados do negócio
não estiverem estruturados, não geram informações
para tomadas de
decisão acertadas"

 

 

Ebru Semizer, gerente de mercado e inteligência da Mercedes-Benz do Brasil, no DDB 2019, promovido pela Neoway




Tecnologia na pauta de Itabira

A cidade vem se destacando em razão de eventos realizados pela comunidade Cardume, como Hackatons (maratonas de programação), Startup Weekend (evento de prototipação de negócios e produtos) e TEDx (uma série de conferências globais para disseminação de ideias). Entre 26 e 28 de abril, o Community Leader Academy (CLA), promovido pela Techstars, reunirá lideranças de startups mineiras na cidade. Saiba mais em bit.ly/CLAMinas.

 


Publicidade