Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas

Livro de Marcos Arakaki, com 11 metros, será vendido pela Leitura

Autor de 'A história da música clássica através da linha do tempo', o regente associado da Filarmônica fechou contrato com Marcus Teles, diretor da livraria, para distribuição da obra no país


postado em 24/10/2019 04:00

(foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)
(foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)
O maestro Marcos Arakaki, regente associado da Orquestra Filarmônica de Minas Gerais, que se reveza no comando do conjunto com o titular, Fabio Mechetti, durante dois anos dedicou todo o tempo que dispunha fora de suas atividades artísticas a escrever o livro A história da música clássica através da linha do tempo. Trata-se de um trabalho de fôlego, fruto de muita pesquisa, já que o tema é extenso, complexo e cheio de detalhes. Trabalho artesanal, é um livro-objeto, uma obra de arte por si só. Tem 11 metros de comprimento.

>>>

Para garantir fornecimento eficiente da bonita obra, Arakaki fechou acordo com o diretor da Livraria Leitura, Marcus Teles, para distribuição da obra em todas as unidades da empresa no Brasil. Em data a ser anunciada, estará à venda nas lojas da Leitura. 

MINAS GERAIS
CELEIRO DE REVOLUÇÕES
Desde o tempo de Tiradentes, Minas Gerais vem sediando boa parte das revoluções ocorridas no Brasil. Hoje, por exemplo, comemora-se o aniversário de 79 anos da vitória da Revolução de 1930. Iniciada por Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Paraíba contra São Paulo, culminou na deposição do presidente da República, o paulista Washington Luiz, e na chegada ao poder do gaúcho Getúlio Vargas. Minas ganhou, mas não levou, tal como aconteceria com a revolução de 1964, iniciada no estado, pois o poder ficou com a chamada linha-dura do Exército. A Revolução de 30 marcou o final de República Velha e da política do “café com leite”, em que Minas se revezava com São Paulo na Presidência. Hoje, Minas Gerais anda com um desprestígio danado na República, nunca dantes registrado.

ZIRALDO
87 ANOS
O chargista mineiro Ziraldo, nascido em Caratinga, completa hoje 87 anos. Andou meio ziquizira, mas rebateu com bravura e sucesso incômodos próprios de certas estações da vida. Sua última manifestação calorosa foi contra o excesso de fake news. Como é um sujeito agitado como poucos, a coluna acredita que, entre outras, é até capaz de entrar em campanha para disputar a próxima cadeira vaga da Academia Brasileira de Letras.

Com a chegada de novembro, chega também a 19ª edição da BH Restaurant Week, que vai de 1º a 24 de novembro. As principais receitas deste ano serão baseadas na cozinha mediterrânea, tema recorrente, mas sempre atraente. Serão 40 restaurantes participantes, todos bastante conhecidos. Preços atrativos e honestos. É o anunciado.

PREVIDÊNCIA
'ÇA VA QUAND MÊME'
Afirmar que houve vitória de Pirro, a respeito da aprovação da reforma da Previdência contendo mudanças feitas por parlamentares nesses seis meses de discussões do projeto, evidentemente, é um exagero. Mas que a proposta aprovada acabou não contentando os autores do texto original, isso é verdade. Do mínimo de R$ 1,3 trilhão de economia previsto, a redução no orçamento será de R$ 800 bilhões pelo prazo de 10 anos. Não resolve, mas é melhor do que nada. A idade mínima para se aposentar (65 anos para os homens e 62 para as mulheres) foi uma conquista. No Brasil, tem muita gente aposentada com menos de 50 anos, com excelente saúde. As diferenças de proventos entre o funcionalismo público e o trabalhador da atividade privada foram reduzidas. Mas permaneceram muitas delas. Enfim, é bem melhor do que a situação vigente. Ou a que vigorava antes.

DITO PELO NÃO DITO
EMBAIXADA NOS STATES
Pois é. Quatro meses depois de o presidente Jair Bolsonaro manifestar o desejo de indicar o filho, o deputado Eduardo Bolsonaro, para o posto de embaixador nos Estados Unidos, desencadeando discussões candentes para saber se o ato era ou não nepotismo, acabou tudo no dito pelo não dito. O centro do imbróglio, Eduardo Bolsonaro, em declaração urbe et orbi, desistiu. Não vai mais ser candidato a embaixador em Washington. Prefere, a contragosto, pacificar seu partido, o PSL, mergulhado numa confusão danada.


AUTOMÓVEL CLUBE
FESTA NO SÁBADO
O jantar de gala comemorativo dos 94 anos do Automóvel Clube, ao contrário do que a coluna noticiou, não será na sexta-feira, mas neste sábado, 26 de outubro. Assim, fica feita a retificação e atendido o pedido de correção solicitado pelo diretor social do “mais britânico”, Franklin Bethônico, entusiasmado organizador do evento. Por outro lado, estão confirmadas as demais informações a respeito: boca livre total, bufê especial do chef Nélio, etc, etc.

AVIAÇÃO REGIONAL
VOE MINAS GERAIS
O projeto Voe Minas Gerais, programa de integração regional com voos entre BH e cidades do interior criado no governo anterior, foi cancelado pela atual administração porque era subsidiado e deveria dar prejuízo. Os voos para nove municípios eram feitos com o monomotor Cessna Grand Caravan para nove passageiros. Cancelado em Minas Gerais, o programa realizado pela Twoflex vai ser adotado em São Paulo, Rio Grande do Sul e Paraná. Outros estados estão interessados. A Gol iniciou voos com o Caravan entre Curitiba e 10 cidades do interior do Paraná. Vai daí que o pessoal está achando que o governo estadual foi apressado demais em acabar com o Voe Minas Gerais. Deveria ter analisado um pouco mais o projeto.


LÍNGUA ITALIANA
FUNDAÇÃO TORINO
A Fundação Torino de BH dá início hoje à programação comemorativa da Semana da Língua Italiana no Mundo, que inclui uma série de eventos em que o idioma de Dante será o astro principal. Haverá sessões de teatro, literatura, palestras, oficinas e mostras artísticas. A movimentação será encerrada no sábado com o Circuito Arte em Cena e a procissão do Atentado Poético pelas ruas de BH.

CONCORDE
ADEUS, SUPERSÔNICO
A coluna já lamentou algumas vezes o desaparecimento do supersônico Concorde dos ares. Inclusive, porque o colunista, data vênia, teve oportunidade de voar duas vezes no belíssimo aparelho, fruto da portentosa tecnologia dos cientistas europeus. Pois bem. Na data de hoje, completam-se 16 anos do último voo do Concorde, de Londres a Seattle. Com essa aposentadoria, o brasileiro perdeu a chance de voar para Paris em apenas sete horas. Isso com uma escala em Dakar, senão a viagem seria de cinco horas.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade