Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Chuva faz água na Festa Chilena em BH

Evento que ocorreria neste sábado (28) foi adiado por causa do mau tempo. Nova data ainda não foi definida


postado em 27/09/2019 04:00 / atualizado em 26/09/2019 19:26

O 'chacarero' é uma das iguarias típicas que seriam oferecidas na festa chilena(foto: Osvaldo Castro/divulgação)
O 'chacarero' é uma das iguarias típicas que seriam oferecidas na festa chilena (foto: Osvaldo Castro/divulgação)


A organização da Festa do Chile, marcada para ocorrer neste sábado (28), na Cidade Jardim, comunica que o evento foi adiado. Tudo devido ao mau tempo primaveril que resolveu baixar neste fim de semana na cidade. O serviço de meteorologia afirmou que, no sábado, o sol estará ofuscado por nuvens, à tarde chove e à noite também. Sem raios e trovoadas. Portanto, pelo sim, pelo não, fica cancelada a festa chilena de domani.
 
A decana
Maria Helena Andrés volta a expor 
 
A artista mineira Maria Helena Andrés, que em agosto completou 97 anos, começou como figurativa romântica, em seguida tornou-se adepta da arte concreta, depois expressionista abstrata, agora pratica vários estilos, como colagens e serigrafias. Tornou-se a decana não só dos artistas plásticos mineiros como dos brasileiros. É uma das poucas ex-alunas de Guignard que não deixa a peteca cair. Tanto que em 5 de outubro inaugura, na galeria do Teatro da Cidade, uma mostra de seus últimos trabalhos em colagens e serigrafias. Exposição organizada por Pedro Paulo Cava. No encontro, além da exibição do documentário Maria Helena Andrés – Arte e transcendência, vai haver roda de conversa com a artista.

Fundação Renova
Recuperação da Bacia do Rio Doce

Desde terça-feira está se realizando na Cidade do Cabo, na África do Sul, a 8ª Conferência Mundial de Restauração Ecológica, o maior encontro do planeta sobre restauração da natureza em terras degradadas, promovida pela Society for Ecological Restoration, que ocorre de dois em dois anos. A nota vai aqui pelo fato de a Fundação Renova, que trata da recuperação e restauração dos terrenos devastados pelo rompimento da barragem da Samarco em Mariana, participar do evento com um projeto que classifica como pioneiro na área de restauração florestal. O objetivo do plano é acertar a indicação das áreas prioritárias ao longo da Bacia do Rio Doce que receberão ações de restauração florestal. O propósito da Fundação Renova é recuperar 40 mil hectares de áreas de preservação permanente e de recarga hídrica na Bacia do Rio Doce. Tempo de concretização do projeto: 10 anos.

Motéis
Negócio bilionário

Em 1º de outubro, terça-feira próxima, a seção mineira da Associação Brasileira de Motéis promove no espaço Nine Working, em BH, o lançamento do livro Como os motéis se tornaram um negócio bilionário no Brasil, de autoria do empresário Vinicius Roveda, um dos grandes especialistas em gestão de motéis do país. No livro, ele procura explicar como os motéis se tornaram um investimento de sucesso, mas, no momento, precisam de renovação. De acordo com a associação de motéis, cerca de 100 milhões de clientes frequentam anualmente os motéis do país, um número realmente esplendoroso. Implica dizer que metade da população brasileira é usuária desses estabelecimentos. Outro dado estatístico sobre o setor é que 95% da população do país acima de 18 anos já utilizou os serviços de um motel na vida. Tudo bem. Donos de motéis e empresários interessados em investir no setor são os principais convidados da noite de autógrafos, que começa às 19h.

Sinduscon/MG
Loas ao ex-presidente

O próximo encontro da série Fim de Tarde promovida pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil de Minas Gerais (Sinduscon/MG) será na segunda-feira, na sede da entidade, em Lourdes, quando haverá homenagem especial ao ex-presidente da instituição André de Souza Lima Campos, que exerceu o cargo no triênio 2015/2018. No momento, Lima Campos dirige a Encamp e é representante da Confederação Nacional da Indústria no conselho curador do FGTS nacional.

Carolina Andrade, Juliana Freitas e Martha Beatriz Ramos no 1º Gala Luiz Jabbur, no Automóvel Clube(foto: L.JabburPress/Divulgação)
Carolina Andrade, Juliana Freitas e Martha Beatriz Ramos no 1º Gala Luiz Jabbur, no Automóvel Clube (foto: L.JabburPress/Divulgação)


Ietec
Transformação Digital

No Seminário de Transformação Digital promovido ontem pelo Ietec (Instituto de Educação Tecnológica), no Boulevard Plaza, houve leve surpresa quando o engenheiro Flávio Cambraia, “executive manager” da MRV Engenharia, afirmou que o mercado de construção, principalmente o de BH, é muito pouco digitalizado. Um dos palestrantes do evento (foram nove), Constantino Seixas, da Accenture Brasil, destacou o trabalho realizado pelas startups. Já Diovani Merlo, da Montreal Informática, informou que, dentro do conceito borda empoderada, brevemente as pessoas poderão fazer coisas simples, como um exame de vista, pelo próprio smartphone. Enfim, avanços tecnológicos, pouco perceptivos pela plebe rude, estiveram em alta no encontro.

Pif Paf
De vento em popa

O frigorífico mineiro Pif Paf, com sede em BH e unidades em nove municípios do interior e também em Goiás, em outubro dá início às suas primeiras exportações de carne de frango para a China. Já está comemorando. Aliás, nesse setor, a Pif Paf é pioneira. Foi o primeiro frigorífico brasileiro a exportar carne para o Oriente Médio. Empresa familiar fundada pelo português Avelino Costa, acabou se tornando 100% mineira. Tendo faturado R$ 1,9 bilhão em 2018, deve alcançar este ano um faturamento bruto de pelo menos R$ 2,4 bilhões. O preço do frango subiu 29% este ano. O objetivo agora da Pif Paf é se espalhar por todo o Brasil. E aumentar em pelo menos 50% sua cota de exportações para a Ásia.

Mototáxi
Decisão polêmica

A atividade de mototáxi na capital paulista, até então proibida, foi liberada por decisão tomada pelo Tribunal de Justiça do estado, resolução que está provocando polêmica e críticas de vários setores. Mesmo sendo considerado transporte de alto risco, a Justiça classificou como inconstitucional a sua proibição. Pois bem. Nesse sentido, leitor da coluna envia e-mail dizendo que o ato da Justiça paulista pode ser copiado em BH, já que tem gente trabalhando nesse sentido. Sugere que, em vez de usar motocicletas para transportar passageiros, seria muito melhor que fosse adotado tanto em BH como no Brasil o táxi chamado tuk-tuk, um triciclo movimentado por uma motocicleta, transporte mais estável e bem mais seguro do que uma moto, onde o passageiro anda na traseira, agarrado ao condutor. A coluna, data vênia, acha que o leitor tem toda a razão em fazer essa reivindicação. O tuk-tuk é tão barato quanto a moto e oferece mais segurança e mesmo mais conforto.

Câmara Municipal
Título ao compositor

O plenário da Câmara Municipal de Belo Horizonte voltou a ser movimentado na noite de quarta-feira com a solenidade de entrega do título de cidadão honorário da cidade ao compositor e integrante do Clube da Esquina Murilo Antunes, natural de Pedra Azul. Foi uma sessão leve, descontraída e diferente, ilustrada por canções da turma do Clube da Esquina, interpretadas durante o desenrolar da reunião, em que não faltaram discursos evocativos. Dopo, com os participantes já embalados, houve peregrinação pela noite de BH, com o homenageado Murilo Antunes e o compositor Ronaldo Bastos chefiando a galera.


Publicidade