Publicidade

Estado de Minas

Mário Fontana


postado em 12/07/2019 04:00 / atualizado em 11/07/2019 17:45


Frequentador do Bar do Primo, sorvedor de uma cerveja por dia, comentava a fala do general Augusto Heleno, ministro do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, de se aposentar com apenas R$ 19 mil mensais. “Se o general está se lamentando, o que diria eu, que me aposentei com R$ 2.550 pelo INSS e vou com eles navegando até o final da vida?”, afirmou ele.

BOLSONARISMO
Doutrina em ascensão?

Segunda-feira, o jornalista César Calejon lança, em São Paulo, na Livraria da Vila, A ascensão do bolsonarismo no Brasil, ilustrado pelo fotógrafo Adriano Vizoni. O trabalho apresenta os fundamentos da nova política criada pelo então candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro, que, aceitas pelo povo brasileiro, o elegeram para o comando do país. A nova doutrina chamada de bolsonarismo seria inclusive para se antepor e combater o lulismo e a política do PT. Analistas do atual panorama da política nacional acham que o bolsonarismo ainda não se consolidou como doutrina. Seu sucesso vai depender, obviamente, do sucesso da administração Bolsonaro.

DORIA
Almoço com o príncipe

O governador de São Paulo, João Doria, não é de brincadeira. Desde segunda-feira, está em Londres em busca de investimentos para a Pauliceia e não parou um instante. É evento atrás de evento. Na quarta-feira, provocou um grande almoço na residência do embaixador do Brasil em Londres, o paulista Frederico Arruda, no qual o principal convidado foi S.A.R o príncipe Andrew, duque de York, filho da rainha Elizabeth II. Estava acompanhado de um grupo de grandes empresários ingleses. Doria aproveitou sua permanência em Londres para anunciar investimentos de 
R$ 40 bilhões no metrô de São Paulo, o que deve dar grande inveja nos belo-horizontinos, já que o metrô da capital não expande suas minguadas linhas há 10 anos. Ou mais.

CASAMENTO
Guerra Leal/Carvalho

Casamento em destaque na pauta de amanhã, a se realizar nos salões do Espaço Província, no Jardim Canadá: o dos advogados Gabriela Guerra Leal e Gabriel Siqueira Eliazar de Carvalho. Religioso seguido de recepção para 400 convidados. Decoração a cargo do Museu de Grandes Novidades, firma surgida há pouco mais de três anos destinada a produzir cenários nupciais de classe. Fotos de Ana Slika. Vestido da noiva de Eliane Matos. A dupla Massimo Battaglini e Idel Yarochewsky, do Club do Chef, assina o bufê. Lua de mel em países exóticos da África, Quênia e Tanzânia.

CRIANÇAS E ADOLESCENTES
Cenário desanimador

Reunião realizada ontem em São Paulo, promovida pelo grupo Joining Forces, que reúne cinco entidades que tratam dos direitos das crianças e adolescentes, concluiu que o Brasil, em vez de progredir, está apresentando um lamentável retrocesso no setor, o que vem ocorrendo desde 2015. O fato é focalizado no relatório Análises da situação dos direitos da criança, de acordo com regras estabelecidas pela ONU em 1990. Os dados sobre o Brasil, segundo o Unicef, são alarmantes. Cerca de 33 milhões de crianças e adolescentes vivem na pobreza ou em privação de ao menos um direito. O total de adolescentes presos cresceu 58,6% nos últimos seis anos. Cresce também o extermínio de jovens. Perto de 100 meninas sofrem violência sexual todos os anos. Pode chegar a mais de 3 milhões o número de crianças e adolescentes fora da escola. Enfim, um cenário nada animador.

MINEIROS
Prestígio internacional

Comentário feito em Paris por um diplomata brasileiro logo depois da morte do cantor e compositor João Gilberto, inventor da bossa nova: “Hoje, na área artística mundial, só existem dois brasileiros conhecidos e respeitados internacionalmente. Um é o fotógrafo Sebastião Salgado. O outro é o pianista Nelson Freire”. Não é preciso esclarecer que ambos são mineiros. A propósito, diz a biografia de João Gilberto que ele se iniciou no ritmo da bossa nova na temporada que passou em Diamantina. Aí, nesses três casos, diria o saudoso general Guedes: “Tinha de ser Minas”.

ITAMBÉ
Lactalis vence

O encrencado processo da venda pela Cooperativa Central dos Produtores Rurais de Minas Gerais dos 50% que detinha na Itambé, o maior grupo de laticínios de Minas Gerais, para a Lactalis acabou como se esperava. A grande multinacional francesa, que já é dona da Parmalat, Batavo, Cotochés, President e outras, acabou ficando com 100% da Itambé, já que antes tinha adquirido os 50% de ações que o grupo mexicano Lala tinha na empresa, por meio do Laticínio Vigor. A transação final deve ter custado alguns milhões de dólares ao grupo Lactalis, pois em 2017 admitia pagar US$ 600 milhões pelos 50% da Itambé. A concretização do negócio durou cerca de três anos, com muitas idas e vindas e ações na Justiça. A CCPR garantiu seus direitos de continuar fornecendo leite à Itambé.
 
CARLOS SLIM
Investe no Brasil

O último informe sobre a riqueza do megabilionário mexicano Carlos Slim esclarecia que ele possuía fortuna avaliada em R$ 64 bilhões. Mesmo assim, não continua sendo o homem mais rico do mundo. Perde para Jeff Bezos (Amazon), Bill Gates, Warren Buffet e Bernard Arnault (Louis Vuitton). Fazer o quê? Coisas da vida. No mais, a nota é para dizer que a empresa telefônica Claro acaba de comprar a Net, a conhecida operadora de TV a cabo e banda larga. Que alguns milhões foram envolvidos na transação não é preciso dizer.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade