Publicidade

Estado de Minas

Mário Fontana


postado em 11/07/2019 04:00




Gianni Agnelli em sua última visita à fábrica da Fiat em Betim, em 1997(foto: Arquivo EM)
Gianni Agnelli em sua última visita à fábrica da Fiat em Betim, em 1997 (foto: Arquivo EM)



FABBRICA ITALIANA
120 anos

Hoje, a direção e operários da Fiat festejam, em Turim, os 120 anos de fundação da empresa pelo empresário Giovanni Agnelli. Surgiu no cenário industrial da Itália em 11 de julho de 1899, com o nome de Fabbrica Italiana Automobili Torino e a sigla Fiat, válida até hoje. Inicialmente, a Fiat se destinaria apenas a produzir carros de corrida, mas a visão empresarial de Agnelli alargou os horizontes e o grupo passou a fabricar carros baratos em série. Mais tarde, num crescendo espantoso, fabricou aviões, navios, locomotivas e outros produtos industriais. Agnelli morreu em 1945, depois de acertar a instalação de uma fábrica na Rússia soviética.

• • •

Em 1966, o neto do patriarca da família Agnelli, o elegante Gianni, filho da princesa Virginia de Bourbon (dos príncipes de San Faustino) e de Edoardo Agnelli, assumiu o cargo do avô, dando grande impulso ao grupo, que se tornou potência mundial. Gianni fez confundir o nome Fiat com o da Itália. Considerado um gentiluomo, expandiu de forma extraordinária a rede internacional de fábricas do grupo, que acabou desembocando no Brasil com a instalação da unidade de Betim. Esteve em Minas Gerais duas vezes. A primeira para assinar a instalação da fábrica em Betim; a segunda, no governo Aureliano Chaves, para inaugurar o complexo automobilístico.

VESPA
De novo nas pistas

A motoneta Vespa, que começou a fazer sucesso no Brasil no início dos anos 1960 e até a década de 1990 continuava com prestígio, acabou sendo esquecida pelo público, que passou a preferir motos de 150 cilindradas. Agora, com a volta intensa dos scooters, a Vespa italiana é relançada no mercado, provocando encontros sociais simpáticos. O coquetel de inauguração do Mondo Vespa, na Barão Homem de Melo, reuniu principalmente os saudosistas do scooter. Os anfitriões do evento foram Sérgio Costa, da Valence, o diretor da Vespa na Itália, Giuseppe de Paola, e Celivaldo Lira, da Vespa do Brasil.

• • •

Entre os convidados do evento estavam o cônsul da Itália, Dario Savarese, os irmãos Luiz Otávio e José Cláudio Possas Gonçalves, Mariana Sette, Adriana e Rodrigo Carneiro, Paulo Menin, Gabriel Rache, Marcos Calmon, Marcelo Furtado, Cláudia Antunes, Flávio Albuquerqe, Gustavo Greco, Eduardo Faleiro, o ex-craque da Seleção Gilberto Silva, Bernardo Diniz e Gabriel Azevedo.


POPULAÇÃO
Alerta mundial

Hoje é o Dia Mundial da População. Foi proclamado pela ONU em 11 de julho de 1987, quando a direção do órgão internacional levou um susto ao receber a notícia de que naquele dia o planeta chegara a 5 bilhões de habitantes. A ONU achou que era hora de soar o alerta e decretou o 11 de julho como Dia da População Mundial. Hoje, a Terra abriga 7,55 bilhões de pessoas. Em 32 anos, o mundo ganhou apenas 2,55 bilhões de cidadãos. Salve-se quem puder!

ARMANI
Haja lucro

Lista da Forbes italiana relacionou o estilista Giorgio Armani como um dos empresários mais ricos do país, com fortuna calculada em US$ 9,5 bilhões. Pois é.  A indústria do luxo continua fazendo superbilionários. Principalmente franceses e italianos.

POÇOS DE CALDAS
Fonseca/Franco

Casamento elegante a se realizar sábado na Fazenda São Bento, em Poços de Caldas, vai atrair convidados não só da região como também de BH. Os noivos são Thayse Fonseca, filha de Eloisa Fraga de Oliveira  e do ex-superintendente do Banco do Brasil em Minas Gerais Márcio Fonseca, e Júlio Nogueira Franco, filho de Darcy Nogueira e Hélio Borges Franco. Enlace vespertino, com início às 15h30. Bom para os convidados, pois as temperaturas têm girado em torno dos 10 graus em Poços de Caldas.

VARIG
Tragédia em Paris

Completam-se hoje 46 anos do trágico desastre do voo 820 da Varig, ocorrido no aeroporto de Paris. Em 11 de julho de 1973, o Boeing 707, pouco antes de aterrisar em Orly, incendiou-se. O fogo começou no banheiro. Esse desastre provocou a proibição de fumar em aeronaves. O acidente teve grande repercussão no Brasil, pois entre os 123 passageiros estavam o senador Filinto Muller, o cantor Agostinho dos Santos, a socialite Regina Leclery e os jornalistas Júlio Delamare e Antônio Carlos Scavone.

DÚVIDA
Ué, tem metrô em BH?

Repercute nas rodas político-sociais da cidade um fato que teria ocorrido entre a vereadora Nely Aquino (PRTB), ex-presidente da Câmara Municipal de Belo Horizonte, e o vice-presidente da República, general Hamilton Mourão, para tratar da realização de obras na capital. Na conversa com Mourão, ao abordar a necessidade de expansão das linhas de metrô da cidade, há muito sem obras, a vereadora acabou tendo uma surpresa dos diabos. Logo de cara, ele perguntou: “Ué, mas tem metrô em Belo Horizonte?”. Resposta: “Ter, tem. Mas um metrô pequeno”. Só faltou acrescentar: “Modesto, como convém aos mineiros”.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade