Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas coluna do jaeci

Mesmo com vantagem ampla do São Paulo, Galo segue vivo na briga

O Atlético perdeu pontos para times da parte de baixo da tabela e isso complicou sua vida no Brasileirão. Mas ainda há chance de título


28/12/2020 04:00

A liderança do São Paulo foi garantida com um futebol eficiente sob o comando do técnico Fernando Diniz(foto: Rubens Chiri/SÃO PAULO)
A liderança do São Paulo foi garantida com um futebol eficiente sob o comando do técnico Fernando Diniz (foto: Rubens Chiri/SÃO PAULO)


O Atlético não tem jogado bem, mas continua na briga pela taça. O Flamengo, considerado o melhor grupo e time do Brasil, tem jogado pessimamente e, pelo que conheço do meu clube, não vai ganhar absolutamente nada. Neste ano, nem JJ, que deu continuidade ao trabalho do ano passado e depois abandonou o barco, nem Domènec Torrent, nem tampouco Rogério Ceni conseguiram fazer o Flamengo jogar. É um time cansado, sem corpo, sem alma e, acima de tudo, sem futebol de qualidade. O São Paulo é a equipe que joga bonito, que tem um treinador competente, e que conhece seu grupo como poucos. O problema é que ainda disputa a semifinal da Copa do Brasil. É melhor os torcedores de Flamengo e Atlético secarem o Grêmio, para que o tricolor paulista continue na Copa do Brasil e, assim, se desgaste mais e ponha times reservas em campo. Este é um campeonato atípico. Jogos péssimos, times ruins e nenhuma referência. Parece que no diálogo entre os ponteiros o Galo fala para o Flamengo: “Fica com a taça”. Aí, o Flamengo responde: “Não, fica com ela você”. Daí, o Flamengo fala para o São Paulo: “Vai pra cima e ganha logo”. Mas o São Paulo também parece não querer: “Vai, Galo, ganha esse troféu”.

Por enquanto, a coisa está assim. Cito esses três, porque acho que o título ficará para um deles. Mas há o Grêmio, Palmeiras, Inter e até o Santos, com chances remotas. Há tempos não vejo uma competição tão ruim. O futebol brasileiro não evolui dentro e fora de campo. Jogadores fracos, safra ruim, treinadores sem inspiração, com a mesmice de outrora, dirigentes amadores e por aí afora. Enquanto não tivermos o clube-empresa, não avançaremos. Esse modelo amador é vencido e ultrapassado. Clubes com dívidas astronômicas, impagáveis, mendigando Refis. Dirigentes se agredindo, se atacando. Um rindo da desgraça do outro, como se isso fosse tornar seu clube campeão. Uma vergonha! Esse negócio de dirigente dizer que trabalha 24 horas por dia sem remuneração, por amor ao clube, é balela! Presidente tem de ser CEO, remunerado, mostrando competência e sendo cobrado. Responsabilidade fiscal é a palavra de ordem.

O que Fernando Diniz tem feito no São Paulo é louvável. Seu time toca a bola com qualidade, tem jogadores jovens e quase não gastou dinheiro em contratações. O Flamengo gastou uma fortuna e tem a folha salarial mais alta do país, algo em torno de R$ 20 milhões. O Galo gastou R$ 200 milhões em contratações de jogadores medianos e paga R$ 1,6 milhão para Jorge Sampaoli, um técnico de 60 anos e apenas um título com a Seleção Chilena, em 2015. Muita marra, se sente o dono do clube, mas o futebol apresentado é bem comum. Perdeu pontos para times da parte de baixo da tabela e isso complicou a vida do Galo no Brasileirão. Além, é claro, de ter oito derrotas, número excessivo para quem quer ser campeão. Menos mal que uma vaga na Libertadores o Atlético deverá conseguir.

A vitória do São Paulo sobre o Fluminense fez a distância voltar a 7 pontos para Galo e Flamengo, sendo que o time carioca tem um jogo a menos. Ambos estão com 49 pontos, e o Galo com uma vitória a mais. As equipes voltam a campo ano que vem pelo Brasileirão. O Flamengo terá dois jogos em casa: Fluminense, dia 6, e Ceará dia 10. O São Paulo terá o Bragantino, dia 6, e o Santos, dia 10. O Galo jogará dia 11, contra o Bragantino, e dia 17 contra o Atlético-GO no Mineirão. Como escrevi outro dia, há muita coisa para ocorrer, mas, é claro que a vantagem do São Paulo é gigantesca. Sete pontos, faltando 11 rodadas, é um número muito bom. Neste ano atípico, de tantas mortes pela pandemia do coronavírus, as competições vão invadir 2021. Que tenhamos mais saúde, a vacina e um futebol mais sério e competente. Só acho que, seja quem for o campeão, não há o que comemorar. Com mais de 190 mil mortos só no Brasil, milhões pelo mundo, é realmente preciso que repensemos muitas coisas.

Líder

O América, um dos melhores times do Brasil, mesmo na Série B, assumiu a liderança da competição com 60 pontos e tem uma grande decisão contra o Palmeiras, quarta-feira, pela Copa do Brasil. Lisca tem encantado com um time bem armado, com qualidade, jogadas trabalhadas e Ademir, o grande nome da equipe. Exceto os palmeirenses, não tenho dúvidas de que o Brasil inteiro torce pelo Coelho, que pode chegar à sua primeira final de Copa do Brasil. Na outra semifinal, o Grêmio vai ao Morumbi com a vantagem do empate. Mas o time do São Paulo é muito forte, e se o time gaúcho jogar para empatar, pode ser surpreendido. Façam suas apostas.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade