Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas COLUNA DE JAECI CARVALHO

Uma linda noite para o futebol mineiro na Série B

Cruzeiro se ajudou e ajudou também o Coelho. Foi uma noite em que o futebol mineiro saiu vencedor


24/11/2020 23:34 - atualizado 24/11/2020 23:38

Juninho abriu o caminho para a vitória do América no Independência(foto: Alexandre Guzanshe/EM/D. A Press)
Juninho abriu o caminho para a vitória do América no Independência (foto: Alexandre Guzanshe/EM/D. A Press)
Cruzeiro e América venceram seus jogos na noite desta terça-feira. O primeiro com o objetivo de se afastar da zona de rebaixamento. O segundo, em busca do título da Série B e da volta à elite do Brasileirão. A Chape, que não perdia há 17 rodadas, foi surpreendida com gol de Rafael Sobis. 1 a 0. O Coelho passou por cima do Juventude: 2 a 1. 
O Cruzeiro enfrentava o líder da competição, invicto há 17 jogos, e na casa dele. Uma tarefa das mais difíceis. A Chape assustou com cruzamento de Ezequiel que passou à frente do gol de Fábio, mas ninguém chegou. No Independência, o América recebia o Juventude, tentando voltar à vice-liderança da Série B. E logo fez 1 a 0 com Juninho, que dominou e tocou na saída do goleiro. Coelho 1 a 0. 

Eu estava com um olho no peixe e outro no gato, fazendo os dois jogos. Sempre bem organizado, o Coelho dava as cartas sob o comando de Lisca, que está agradando o Brasil inteiro pela qualidade que deu à sua equipe, semifinalista da Copa do Brasil. Lá em Chapecó, o dono da casa controlava a partida e o time azul se postava bem defensivamente. O Cruzeiro conseguiu duas boas chances. A primeira com Adriano, que cabeceou rente à trave. A segunda com Sobis, que chutou forte e obrigou João Ricardo a fazer boa defesa. 

Eram realidades diferentes. Um time que com certeza vai voltar à elite, a Chapecoense, e outro que, pelo jeito, vai ficar na Série B, com riscos de cair para a C. Quem diria que a Raposa viveria uma situação dessas algum dia?

No Horto, o Coelho segurava e controlava bem a partida, mantendo o resultado provisório. Na Arena Condá, o Cruzeiro tentava pelos dois lados, mas a Chape estava bem postada. O jogo não era dos melhores. Marcelo Moreno estava no banco. O maior artilheiro da Seleção da Bolívia, que vem se sacrificando. O Cruzeiro teve uma chance incrível com Jadson diante de João Ricardo. O goleiro da Chape salvou com os pés. No Horto, Renato Cajá partiu no contra-ataque, fez o zagueiro do América dançar e chutou de canhota, lá de fora da área. Um golaço. 1 a 1. Em Chapecó, tudo igual, 0 a 0 no primeiro tempo. No Horto, Rodolfo não deixou barato. Mostrou oportunismo quando o goleiro soltou a bola e fez 2 a 1 para o Coelho. Esse garoto está iluminado.

O segundo tempo começou em Chapecó com um Cruzeiro precisando dos 3 pontos. O time da casa, sobrando na liderança, faturava mais um pontinho, chegando aos 48. Não há dúvida que a Chape vai chegar logo aos 65 pontos e  garantir a volta à Série A. Já o Cruzeiro, só mesmo um milagre o fará subir.

Veio o segundo tempo. O Coelho queria ampliar o placar para ter tranquilidade. Em Chapecó, o Cruzeiro era mais intenso e buscava abrir o placar. A Chape respeitava a camisa vencedora do time mineiro. Parecia satisfeita com o empate. Uma linda bicicleta de Anselmo Ramon, em falha de Patrick Brey, quase deu o gol a Chape. Mas o Paredão Azul, bem colocado, salvou. 

No Horto, João Paulo quase ampliou, mas Carné fez grande defesa. No lance seguinte, Rodolfo, em cabeçada que saiu à esquerda do gol, deixou o goleiro do Juventude preocupado. O Cruzeiro contra-atacava. Num desses lances, Sobis foi lançado na área, e o árbitro marcou pênalti. Porém, voltou atrás, pois o bandeira havia marcado escanteio. O mesmo Rafael Sobis cobrou uma falta no travessão. Sorte do goleiro da Chape. 

Jadson Silva foi derrubado na entrada da área, uma oportunidade e tanto. Dessa vez, Sobis bateu rasteiro, forte, no canto direito do goleiro. Cruzeiro 1 a 0. Um golaço! O time mineiro fazia por merecer. O Cruzeiro chegava aos 28 pontos e quebrava uma grande invencibilidade da Chape, que, até então, havia perdido apenas uma partida. No Horto o Coelhão mantinha o placar e ficava a 4 pontos da Chape. 

O Cruzeiro se ajudava e ajudava também o Coelho. Foi uma noite em que o futebol mineiro saiu vencedor. Uma pena que a realidade do Cruzeiro seja bem diferente da do América. O Coelho, além de estar na semifinal da Copa do Brasil, é vice-líder da Série B, e caminha passos largos para a elite. Já o Cruzeiro tem que se contentar em se afastar de perto do Z-4. 

Esta quarta-feira é a vez de Galo vencer na Série A e manter a ponta. Pela Libertadores, o Flamengo empatou com o Racing na Argentina, por 1 a 1, e jogará pelo 0 a 0 na próxima quarta-feira, no Maracanã, para avançar às quartas de final da competição.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade