Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas COLUNA DE JAECI CARVALHO

Coelho na semifinal da Copa do Brasil! Que venha o Porco

América foi competente nas penalidades e acabou atingindo seu objetivo


19/11/2020 00:10

(foto: Mourão Panda/América)
(foto: Mourão Panda/América)
O Coelho está na semifinal da Copa do Brasil. Venceu o Inter, por 6 a 5, nas penalidades, e vai encarar o Palmeiras. Um jogo dramático em que o time mineiro não merecia ser eliminado. Foi competente nas penalidades e acabou atingindo seu objetivo. 

O América segurou o Inter até o último lance do jogo, em que Yuri Alberto pôs a bola na rede. Um castigo. O Coelho cometeu apenas um erro, justamente esse em que saiu o gol do time gaúcho. Dessa forma, viu a classificação seguir para as penalidades. Inter 1 a 0. 

O Coelho foi organizado, gigante, e soube jogar com o resultado que lhe favorecia até o finzinho, mas, o castigo aconteceu. Não se pode achar que a partida terminou. Há sempre os acréscimos e foi justamente aí que o Coelho foi castigado.

O América entrou em campo sabendo que em caso de classificação iria pegar o Palmeiras numa das semifinais da Copa do Brasil. O Verdão empatou com o Ceará em 2 a 2, mas havia vencido o jogo de ida por 3 a 0. O Coelho jogava pelo empate. 

No Independência caía um “dilúvio” e o campo ficaria pesado, impedindo, talvez, um bom futebol. Do outro lado da tabela, o Grêmio, que venceu seus dois jogos contra o Cuiabá, esperava o vencedor de São Paulo x Flamengo. O time paulista tinha a vantagem do empate. 

O Inter começou em cima. Precisava fazer pelo menos um gol, para levar a decisão para as penalidades. O Coelho, segundo promessa de seu treinador, não iria jogar pelo resultado de empate e sim em busca de gols. O Inter espremia o América. Isso era perigoso. O América chegou com perigo só aos 18 minutos. João Paulo pegou um rebote e chutou forte, raspando o travessão. Os goleiros não trabalhavam. 

O jogo era de forte marcação. Galhardo, na marca do pênalti, foi travado pelo João Paulo. Escanteio. Não havia dúvida que o América jogava no contra-ataque. O Coelho marcava em seu próprio campo, fechadinho, sempre com gente na sobra. O Inter girava de um lado para o outro. Volta e meia, arriscava um chute, normalmente, longe do gol. Rodolfo recebeu na área e foi obstruído por Cuesta. O árbitro ignorou.

No segundo tempo a chuva diminuiu. O América precisava atacar um pouco mais, pois não poderia continuar mantendo o Inter em seu próprio campo. Geovane teve boa chance em cobrança de falta, mas Lomba espalmou. Em seguida, D’Alessandro cobra falta, mas Matheus segura firme. Edenílson chutou forte, de fora da área. Matheus segurou firme. O Coelhão se segurou. No final da partida, com 5 minutos de acréscimos, houve uma blitz do Inter, e foi nessa blitz que Yuri Alberto chutou e fez o gol que levaria a decisão para as penalidades. Um castigo, pois o América estava muito consciente, organizado e não merecia isso. Porém, nada estava perdido. Havia a decisão nas penalidades. Léo Passos bateu o primeiro pênalti e fez. Thiago Galhardo cobrou para fora. Messias fez 2 a 0. Rodrigo Lindoso marcou. Daniel Borges bateu por cima. Edenílson empatou. 2 a 2. Sabino bateu bem e fez 3 a 2 América. Yuri Alberto empatou 3 a 3. Marcelo Toscano fez 4 a 3.  Rodinei fez 4 a 4. O sofrimento era grande. João Paulo fez 5 a 4. Praxedes fez 5 a 5. Juninho fez 6 a 5. Wendel bateu por cima do gol. O Coelho está na semifinal da Copa do Brasil, com méritos, com raça, com qualidade e com a competência do técnico Lisca, dos jogadores e da diretoria. Que venha o Porco. O Coelho não está para brincadeira!


GALO


O Atlético foi derrotado pelo Athletico-PR, no Mineirão, e perdeu a chance de disparar na ponta do Brasileirão. Toda a comissão técnica está contaminada pela Covid-19, e vários jogadores também. Domingo, terá um jogo difícil contra o Ceará, no Castelão. Se não vencer, poderá ser ultrapassado por Flamengo e Inter, e, pelo São Paulo, que tem três jogos atrasados e pode chegar aos 45 pontos, ficando na liderança com sobras. 

Quando digo que o grupo do Galo é limitado, tem gente que reclama. É limitado e mediano, não há dúvida disso. Mas, para um campeonato nivelado por baixo, não faz tanta diferença assim. O Galo vai continuar lutando pela taça até o fim, mas não está aproveitando o fato de jogar apenas uma competição, ao contrário dos concorrentes. 

Segundo o repórter Cláudio Rezende, da Itatiaia, uma festa da comissão técnica, com membros da diretoria, teria sido a responsável pela contaminação.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade