Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas COLUNA DO JAECI

Galo sacramenta triunfo com golaço para ir à final

"Vale lembrar que o Tombense tem a vantagem de jogar por dois empates ou derrota e vitória pelo mesmo placar, já que fez a melhor campanha"


06/08/2020 04:00

Nos 3 a 0 sobre o América, time teve mudanças táticas no estilo Sampaoli. Coelho se arriscou menos do que deveria(foto: JUAREZ RODRIGUES/EM/D.A PRESS)
Nos 3 a 0 sobre o América, time teve mudanças táticas no estilo Sampaoli. Coelho se arriscou menos do que deveria (foto: JUAREZ RODRIGUES/EM/D.A PRESS)


O Atlético impôs seu melhor futebol e derrotou o América por 3 a 0, ontem, no Independência, garantindo vaga na final do Mineiro. Vai enfrentar o Tombense na decisão que ainda não tem data marcada. O primeiro tempo foi muito igual, mas no segundo tempo, depois do gol de Réver, o Galo se impôs, aproveitou os espaços deixados pelos jogadores americanos e sacramentou a vitória com um golaço de Marrony e outro de Savarino. Vale lembrar que o Tombense tem a vantagem de jogar por dois empates ou derrota e vitória pelo mesmo placar, já que fez a melhor campanha entre todos os participantes. O título mineiro, se for conquistado pelo Atlético, será o único da atual gestão, que passou em branco nos dois anos e meio em que comanda o clube.

Foi um primeiro tempo muito diferente dos outros dois jogos. O Galo não empolgou. Sampaoli entrou com três zagueiros, Réver, Junior Alonso e Gabriel, abrindo mão do lateral-direito. É bom a torcida do Atlético se acostumar. Como venho dizendo, ele é muito bom técnico, mas inventa muito. Já vi o Santos levar de cinco da Inter de Limeira, justamente por essa instabilidade do técnico. O ataque com Keno, Marrony e Savarino não tem funcionado. É preciso mais treinamento. O meio-campo não tem a menor criatividade e compromete os atacantes. O Galo tem de definir um camisa 10. Achar esse jogador no mercado, já que Cazares parece mesmo que não vai emplacar. O América fez um jogo calculado. Não quis correr riscos de levar um gol, mas não deixou de atacar. As melhores chances, poucas, é verdade, estiveram nos pés de seus jogadores. Matheusinho teve a melhor delas, numa falha na saída de bola alvinegra. Ele tomou a bola e chutou forte, da entrada da área, para bela defesa de Rafael. O goleiro Airton não trabalhou no primeiro tempo. No finalzinho, um lance polêmico sugeriu penalidade de Réver. Porém, na revisão, o VAR disse que não houve nada. Os jogadores do América pediam toque de mão do zagueiro alvinegro.

Gols

No segundo tempo, o América perdeu outra boa chance com Ademir. Ele ajeitou para o pé esquerdo, bateu forte de fora da área e Rafael fez outra grande defesa. O jogo teve uma boa melhora. O Atlético não incomodava Airton, mas numa cobrança de escanteio, aos 11 minutos, abriu o placar. Escanteio da esquerda, Réver subiu entre os zagueiros americanos e marcou. Galo 1 a 0, aumentando a vantagem. Com esse placar, o América teria de fazer dois gols para chegar à final. Sampaoli percebeu que sua estratégia com três zagueiros não estava dando muito certo. Assim, sacou Réver e pôs Mariano, lateral-direito de ofício, ficando com Junior Alonso e Gabriel na zaga. Lembram-se quando Sampaoli foi contratado? Pois é, ele disse aos que o contrataram que, dos zagueiros que o Galo tinha, só havia gostado de Gabriel. De repente, essa pode ser a dupla de zaga titular para a temporada, embora ele goste de mudar a escalação de acordo com o adversário. Keno também saiu. Aliás, ele me parece fora de forma e suas jogadas até aqui não surtiram o menor efeito. O América caiu um pouco de produção. O Galo foi vendo os espaços e aproveitando-os. Marrony estava seco para fazer seu primeiro gol com a camisa alvinegra. E o primeiro gol foi de placa. Recebeu diante de Airton, ajeitou, tirou-o da jogada e tocou por cobertura. Um golaço, sepultando todas as chances do América de chegar à decisão. Ainda houve tempo para o gol de Savarino, quando o América já estava entregue, 3 a 0, e goleada.

Tombense, o melhor

O time da Zona da Mata venceu a Caldense por 2 a 0 ontem, no Independência, e garantiu sua vaga na final do Mineiro. O time comandado por Eugênio Souza, e coordenado por Edinho, um dos maiores zagueiros do futebol mundial, está de parabéns pela belíssima campanha. É o maior pontuador, e se a competição fosse por pontos corridos, teria sido o campeão. Em mata-mata, tudo é possível. De qualquer forma, independentemente do título ou não, o trabalho feito no Tombense é digno de aplausos.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade