Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas

Pobre futebol: Galo e Raposa chegam à última rodada sem estarem garantidos na fase final

Os Estaduais não são mais referência, não revelam ninguém e não são atraentes ou rentáveis


29/07/2020 04:00

O técnico Jorge Sampaoli foi contratado a peso de ouro pelo Atlético e ainda não mostrou serviço(foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)
O técnico Jorge Sampaoli foi contratado a peso de ouro pelo Atlético e ainda não mostrou serviço (foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)


Atlético e Cruzeiro decidem hoje a classificação à fase final do Mineiro, sob a desconfiança dos torcedores. O primeiro enfrenta a Patrocinense, em BH, e uma vitória simples o garante. O segundo vai a Poços de Caldas jogar contra a Caldense, que pode perder por até dois gols de diferença. Quem diria que numa competição fraquíssima, onde Galo e Raposa estão sempre decidindo a taça, eles chegariam à última rodada sem estarem garantidos? São os novos tempos do futebol. O Cruzeiro tem como justificativa o fato de ter tido uma quadrilha no seu comando, segundo a Justiça, que o deixou terra arrasada. Com um presidente e uma equipe sérios, agora está tentando se equilibrar sobre uma dívida absurda, que beira R$ 1 bilhão, redução de salários de jogadores e outras coisas mais.

Montando um time discreto, com um treinador também bem humilde e de Segunda Divisão, o time azul tenta encontrar um norte, visando a volta à elite em 2021, ano do centenário, sabedor que vai passar parte dele na segundona, já que o Brasileiro só terminará em fevereiro. Se não conseguir uma vaga na final do Mineiro, será vergonhoso. Porém, o torcedor não vai reclamar. Campeonato Mineiro, Carioca, Paulista, Gaúcho não valem absolutamente nada para os grandes times. A vergonha ficará por conta da fragilidade da competição. O Galo, do mesmo jeito, não vai se importar com mais uma taça estadual. Se vier, porém, será a única da atual gestão.

A expectativa que a torcida do Atlético criou é muito grande. Com Jorge Sampaoli, que ela considera um dos melhores em atividade, e um gasto de R$ 85 milhões em contratações, o alvinegro surge como um possível candidato ao título brasileiro, que não vê há 50 anos. Ainda mais pelo fato de Fla, Palmeiras, Inter e Grêmio estarem na Libertadores e Copa do Brasil, além do Brasileiro. O Galo terá tempo, de sobra, para ajustar o time, visando uma única competição. Isso poderá ser uma grande vantagem, desde que Sampaoli ajeite o time e entrose os reforços. É sabido que isso demanda tempo. Ele assumiu a responsabilidade pelo péssimo futebol apresentado no segundo tempo contra o América, no empate por 1 a 1. Claro que a responsabilidade é dele. É ele quem ganha uma fortuna mensal para escalar e fazer o time produzir.

Eu já disse o que penso de Sampaoli: um técnico acima da maioria dos brasileiros, mas que não é esse suprassumo que a torcida atleticana imagina. Saiu do Santos pela porta dos fundos, pois lá mandava em tudo, até no presidente. Chegou a um ponto que era um ou outro, e aí prevaleceu a vontade do mandatário. Que os dirigentes do Galo se cuidem, pois para ele expulsar qualquer um deles do vestiário, pouco custa. É um técnico muito complicado e que tem uma Copa América com o Chile, em 2015. Dirigir Messi e a bela Seleção da Argentina e fazer fiasco numa Copa do Mundo foi o que vimos em 2018. Portanto, ao analisar o trabalho dele, é preciso mais critério e racionalidade. Ser melhor que a maioria dos técnicos brasileiros não é vantagem. Os conceitos técnicos por essas bandas andam mesmo em baixa.

Claro que foi apenas o segundo jogo do Galo sob o comando dele. Entretanto, para quem treina o time desde março, todos esperavam mais. Salvou-se Rafael, justamente o cara da posição em que Sampaoli insiste em trazer um outro. Sonhou com Campaña, a quem pediu no dia em que foi contratado e apresentado ao presidente na casa de Renato Salvador. Como não foi possível, quer Everson, em litígio com o Santos. Rafael foi bem com as mãos e com os pés, condição fundamental que um goleiro deve ter com ele.

O problema está mesmo na lateral, numa defesa fraca, num meio-campo que marcou mal e num ataque inoperante. Quatro meses de treinos e o Galo apresentou somente aquilo? E se os jogadores do Atlético cansaram no segundo tempo, é falta de uma boa preparação física, já que os do América ficaram os mesmos 130 dias parados, e correram como se estivessem em ritmo de jogo. O torcedor tem que entender que quem ganha jogos são os atletas. O técnico, se fizer a pequena parte que lhe cabe e não atrapalhar, já estará de bom tamanho.

Qual o grande nome que o Atlético contratou? Sinceramente, não vi nenhum. Chegaram alguns bons jogadores, mas ninguém excepcional. O time pode encaixar, mas não em curto prazo. Vai levar tempo e esse tempo pode significar a falta da taça com a qual o torcedor tanto sonha, a do Brasileirão.

Já o Cruzeiro deverá se contentar com o acesso à elite. É o que lhe resta. E não tem que pensar em ser campeão da Série B. Esse título o torcedor despreza. Tem que pensar em subir, apenas nisso. É um time fraco, carente em várias posições, que talvez dê para o gasto pelo nível fraco dos concorrentes. Quando digo que o Campeonato Mineiro é pura ilusão, tem gente que fica brava no interior. Os Estaduais não são mais referência, não revelam ninguém e não são atraentes ou rentáveis. Por isso, sou pela sua extinção. Brasileiro, Copa do Brasil, Libertadores e Mundial de Clubes, são as competições que importam. O resto é balela! Façam suas apostas na fase final do Mineiro. Quem se classifica para as duas vagas restantes? Galo? Raposa? Ambos? A sorte está lançada!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade