Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas COLUNA DO JAECI

Demitido pelo PSG, o fraco Thiago Silva reina na Seleção

É por essas e outras que o Brasil dificilmente ganhará Copa do Mundo. Quando vejo Tite chamando Thiago Silva, Marquinhos, Paulinho, Fernandinho, Renato Augusto, desisto


postado em 11/06/2020 04:00

Mandado embora do PSG, Thiago Silva é capitão e titular da Seleção Brasileira(foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press - 29/6/19)
Mandado embora do PSG, Thiago Silva é capitão e titular da Seleção Brasileira (foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press - 29/6/19)


Leonardo, diretor esportivo do Paris Saint-Germain, não é homem de panelinhas nem tampouco de confraria. Por isso mesmo, ligou para o zagueiro Thiago Silva e comunicou a ele que o clube francês não vai renovar seu contrato, que vence agora em junho. Thiago Silva é aquele zagueiro que nos entregou em duas Copas do Mundo, com atuações pífias, que faz uma média tremenda com parte da imprensa, que cometeu pênalti desnecessário contra o Paraguai na Copa América de 2015, tendo Dunga como técnico, eliminando o Brasil. O mesmo que se recusou a bater pênaltis contra o Chile pelas oitavas de final da Copa do Mundo de 2014 e, segundo informações, teria chorado. O mesmo que é protegido de Tite e, aos 36 anos, zagueiro titular da Seleção Brasileira e, por vezes, capitão. Ele diz que tem 23 títulos, mas não ganhou Champions League, Copa do Mundo ou títulos dessa grandeza. Ganhou as copas internas nos países onde jogou e o Campeonato Francês. Lá tem Copa todo dia. Jamais gostei do futebol desse zagueiro. O acho bem comum e fraco. Com relação à pessoa, não conheço e nunca troquei uma palavra com ele. Não tenho interesse em me relacionar com os jogadores de hoje em dia, com raras exceções. Para quem viu Oscar, Luizinho e outros monstros sagrados da zaga, recuso-me a elogiar qualquer zagueiro que atue nos dias atuais.

É por essas e outras que o Brasil dificilmente ganhará Copa do Mundo. Quando vejo que Tite, técnico da Seleção, vive chamando Thiago Silva, Marquinhos, Paulinho, Fernandinho, Renato Augusto, eu desisto. A confraria é sempre a mesma. Ah, me esqueci: Daniel Alves também. Não há renovação, não há critério, não há qualidade. Com certeza, Silva deverá conseguir jogar no Arsenal, que contratou até David Luiz, ou voltar ao Milan, que já não é o mesmo time da época de Kaká. Em último caso, vai jurar amor eterno ao Fluminense, embolsar uma boa grana e encerrar a carreira onde começou. O torcedor, bobo que é, vai aplaudir, lotar o aeroporto, na ilusão de que ele vá conquistar o Brasileirão ou a Copa do Brasil com o Flu. Pura ilusão, sonho de uma noite de verão. Repatriam ex-jogadores em atividade, gastam fortunas, e a dívida dos clubes só aumenta. E não tenham dúvidas: Tite conta com ele para a Copa do Catar, em 2022, mesmo com o jogador aos 39 anos. Confiar e dar chance a um jogador que sempre entregou a Seleção é um crime. Foi o que Tite fez com Fernandinho, responsável direto por três gols da Alemanha nos 7 a 1, e o jogador agradeceu marcando o gol contra na partida contra a Bélgica, que nos eliminou da Copa da Rússia. E não é que Tite, de pirraça, chamou Fernandinho para a Copa América, no Brasil, ano passado. Ah, Fernandinho e Thiago Silva foram campeões da Copa América, competição falida, com seleções do mais baixo nível, que o brasileiro nunca comemorou. São as incoerências do nosso futebol.

Adoro a cultura europeia. O jogador pode ter sido o maior ídolo do clube. Se a hora da aposentadoria chegou, não há apelação. Faz-se uma homenagem e o libera. No Brasil, não. Repatriam jogadores que os europeus mandam embora, pagando salário do Velho Mundo, e segue o baile. E, vale lembrar, a zaga titular da Seleção é justamente Thiago Silva e Marquinhos, ambos, até agora, atuando pelo PSG. Marquinhos é baixo para zagueiro e também muito fraco. Infelizmente, a Seleção não está nas mãos de Renato Gaúcho, Luxemburgo ou Jorge Jesus. Se estivesse, os nomes seriam outros. Jogadores de qualidade, sem colocar a amizade em primeiro lugar. Tite gosta da sua turma, da sua confraria, de agradar a seus amigos. Seleção tem de se resumir aos melhores – e ponto. Sabemos que a safra é muito ruim. Os jogadores jovens que despontam no Brasil são vendidos para a Europa e lá fracassam. Até aqui, Paquetá, Vinicius Júnior e outros que foram negociados não corresponderam. De todos, Rodrygo, que foi do Santos, é o que mais tem aprovado no Real Madrid. Zagueiros não temos mais nenhum de nível. Vi os que jogaram no Pré-Olímpico e os achei fracos, falhando demais. O tal do Fucks é um terror. Os técnicos não fazem mais trabalhos individualizados com zagueiros, com atacantes. Por isso, eles chegam cheios de vícios aos profissionais.

É uma pena termos um técnico tão radical, tão preso a esquemas ultrapassados, com jogadores de baixo nível. Se Seleção é momento e os melhores jogadores têm de vestir a amarelinha, Tite está na contramão da história. Querem outro exemplo? Philippe Coutinho não aprovou em time nenhum. Reserva no Bayern de Munique, no Barcelona, é titular da nossa Seleção, mesmo tendo feito péssima Copa do Mundo. Gabriel Jesus, reserva de Agüero, há três anos no City, é titular de Tite. Por essas e outras o torcedor brasileiro está afastado da Seleção. Nas décadas passadas, os estádios brasileiros só ficavam lotados em jogos da Seleção. Hoje, ficam vazios, pois o interesse não é o mesmo. O maior patrimônio esportivo do povo brasileiro é a Seleção Brasileira, mas ela anda maltratada por Tite e por essa péssima safra. Nosso único craque, Neymar, é outro ponto de interrogação na Seleção. Não brilha, virou chacota mundial na Rússia e é detestado pelo torcedor brasileiro e por alguns companheiros de profissão e ex-jogadores. Tem algo errado ou não?


*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade