Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Publicidade

Estado de Minas COLUNA DO JAECI

Neymar focado e decidido no PSG

Gostem ou não, ele é nosso único craque, diferenciado e ótima pessoa


postado em 26/01/2020 04:00 / atualizado em 25/01/2020 22:54

Atacante Neymar é a esperança da Seleção Brasileira e do Paris Saint-Germain na conquista de títulos(foto: FRANCK FIFE/AFP)
Atacante Neymar é a esperança da Seleção Brasileira e do Paris Saint-Germain na conquista de títulos (foto: FRANCK FIFE/AFP)

Neymar quer ser o melhor jogador do mundo. O último brasileiro a conseguir esse feito foi Kaká, em 2007, quando ganhou a Champions League pelo Milan e foi artilheiro da competição, com 11 gols. De lá pra cá, passamos em branco. Já tivemos Romário, Ronaldo Fenômeno (três vezes), Ronaldinho Gaúcho (duas) e Rivaldo eleitos. Isso nos bons tempos do nosso futebol, quando os craques desfilavam seu talento pela Europa, encantando com a magia do futebol brasileiro. Hoje, dizem que se não ganhar Champions League o jogador não tem a menor chance de ser eleito, daí a obsessão de Neymar em vencer a competição com o PSG, mesmo sabendo que o único time francês campeão da Champions foi o Olympique de Marselha – que, mesmo assim, teve o título contestado e nem sequer foi o representante europeu no Mundial de Clubes.

Acho que o Neymar deve esquecer isso e focar o futebol, que ele joga como poucos atualmente. Se analisarmos friamente, Messi e Cristiano Ronaldo estão na descendente, embora ainda sejam extraterrestres. Neymar entra num bolo com Hazard, Pogba, Suárez, De Bruyne e mais uns cinco jogadores. Porém, tem mais talento que todos. Só precisa desabrochar de vez. Livre das contusões e focado somente na bola, não tenho dúvidas de que subirá para o top 3.

O técnico Tite, puxa-saco de Neymar, o coloca entre os três melhores do mundo. Ainda não. Ele pode chegar lá, desde que se envolva menos em polêmicas fora de campo. Neymar amadureceu da Copa da Rússia pra cá. Depois de virar chacota mundial com o “cai-cai” que irritou todo mundo, hoje joga em pé, toma pancada e não reclama e cai muito pouco. É isso o que se espera de um craque.

Nunca vi Messi ou Cristiano Ronaldo reclamarem de pancadas, do adversário ou do árbitro. Respondem com jogadas geniais e com gols antológicos, como aquele, de bicicleta, que Cristiano fez contra a Juventus quando atuava pelo Real Madrid, na casa do time italiano. Foi aplaudido de pé. Segundo ele, foi um dos motivos de ter trocado o time merengue pela Velha Senhora.

Claro que ganhar uma Champions tem peso. Cristiano Ronaldo ganhou quatro. Messi, outras quatro, sendo que na primeira, em 2006, era reserva de Ronaldinho Gaúcho. Sozinho, ganhou em 2009, 2011 e 2015. Neymar ganhou em 2015, coadjuvante do argentino no Barcelona. Aliás, fontes seguras garantem que se ele não for campeão no PSG voltará ao Camp Nou na próxima temporada. O problema é que ele não é unanimidade entre torcedores, nem dirigentes do clube catalão.

Curioso: Neymar é nosso único ídolo, craque e diferenciado. Porém, é odiado pela torcida brasileira. De vez em quando faço enquetes e pergunto a amigos o que acham do jogador. Em cada 10 entrevistados, nove dizem que ele é apenas um bom jogador e que não chegará a lugar algum. Chegar, ele já chegou. É um cara de R$ 1 bilhão aproximadamente, fruto de seu trabalho e de sua categoria. Porém, a realização de um jogador não está apenas no dinheiro, e sim na carreira profissional.

Craque que não é protagonista não tem a admiração do mundo do futebol. Neymar foi para o PSG para protagonizar conquistas, mas, até aqui, ganhou apenas o Campeonato Francês, um dos mais fracos do mundo, a Copa da Liga e a Copa da França. Sucesso lá significará ganhar a Champions League. O clube de Paris investiu quase R$ 1 bilhão nele com esse objetivo, além, é claro, de tê-lo como garoto-propaganda para a Copa do Catar, já que o dono do PSG é o príncipe daquele país. Até agora, nada.

Neymar declarou, publicamente, querer deixar o time francês, mas, sem sucesso, teve de ficar e pedir desculpas a dirigentes e torcedores. Com suas boas atuações na temporada está reconquistando, aos poucos, seu espaço e a confiança de todos.
Os brasileiros estão mais preocupados pela proximidade das Eliminatórias e da Copa do Mundo. Neymar será fundamental, o único diferente num grupo bem normal. Porém, vai precisar ter a cabeça no lugar, não se incomodar com provocações ou pancadas que vai levar. Não esperem de Coutinho, Willian ou qualquer outro jogador talento para furar retrancas. Só Neymar, pela capacidade de improvisação e qualidade, poderá fazer isso.

A expectativa é de que ele não sofra mais com os problemas no quinto metatarso do pé direito. Essa contusão prejudicou sua carreira em demasia. Gostem ou não, ele é nosso único craque, diferenciado e, confesso a vocês, ótima pessoa. Sempre me tratou com respeito e cortesia, embora seu pai tenha ficado chateado com as críticas que fiz ao jogador na Copa da Rússia. Não retiro uma linha do que escrevi, sempre analisando-o em campo, jamais como pessoa. Mas eu entendo. Pai é pai, gente. Eu também ficaria magoado se alguém criticasse meus filhos.

Só que minhas críticas sempre foram construtivas, alertando Neymar sobre os perigos e armadilhas do futebol. Completando, este ano, 34 anos de cobertura da Seleção Brasileira mundo afora, conheço um pouco daquela estrutura e do que um jogador, talentoso e craque, deve fazer para conquistar o torcedor e o respeito dos adversários. Eu não vislumbro o Brasil ganhando Copa nas três próximas edições, mas vislumbro sim a possibilidade de Neymar se destacar como protagonista e craque que é.

Não tenho mais dúvidas com relação à alcunha de craque. Ele é sim! Porém, precisa confirmar com grandes atuações, dribles, jogadas e gols. A resposta de Neymar para todas as dúvidas só poderá ser dada em campo. Que ele continue focado e inspirado como nesta temporada. O Brasil vai precisar de seu talento mais do que nunca. Em março, começam as Eliminatórias para o Mundial do Catar. Serão dificílimas, e o Brasil é o adversário a ser batido. Boa sorte, Neymar, você tem tudo para reconstruir sua história no time canarinho!



Publicidade