Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Publicidade

Estado de Minas COLUNA DO JAECI

Que a diretoria do Cruzeiro renuncie já!

A renúncia da diretoria é fundamental para a vida do Cruzeiro


postado em 11/12/2019 04:00 / atualizado em 10/12/2019 21:24

Cresce pressão para que Wagner Pires de Sá deixe a presidência do Cruzeiro(foto: Túlio Santos/EM/D.A Press - 27/5/19)
Cresce pressão para que Wagner Pires de Sá deixe a presidência do Cruzeiro (foto: Túlio Santos/EM/D.A Press - 27/5/19)


Renúncia ampla, geral e irrestrita, é o que pedem os torcedores do Cruzeiro. Com uma diretoria investigada pela polícia, acusada de lavagem de dinheiro, corrupção e outras falcatruas, não há mais como o clube ficar refém dela. Mesmo que os vice-presidentes eleitos, que não são citados em investigação nenhuma por não terem participado de nenhum fato escuso, não queiram renunciar, é preciso que o façam. Pelo bem do Cruzeiro, é preciso promulgar novas eleições para que um sangue novo dirija o clube e possa restaurar a ordem e a transparência.

Diga-se de passagem, o presidente mais vencedor da história do clube, Zezé Perrella, deu a cara a tapa e voltou para tentar salvar o clube. Ele não se envolveu em nada ilícito nem participou dessa gestão. Apenas voltou para tentar salvar o barco, que estava afundando, mas não houve tempo. E Adilson Batista, que é outro que tem amor ao clube, pegou três pedreiras pela frente: Vasco, Grêmio e Palmeiras. Não poderia fazer mais do que fez. Quando a coisa desanda, é preciso respirar outros ares. Perrella se dispôs a ficar e tocar o futebol, mas se a maioria não quiser, não hesitará em deixar o clube. Eu acho que pela experiência que ele tem, é fundamental sua permanência.

O Ministério Público precisa dar uma satisfação ao torcedor cruzeirense e à sociedade de bem. Dizer se os dirigentes são culpados ou inocentes das acusações feitas em maio pelo Fantástico, da Rede Globo. Se são culpados, que sejam indiciados e condenados. Se não, que sejam inocentados.  São oito meses de investigação e, até agora, nenhuma conclusão.

A situação é catastrófica, com dívidas inimagináveis. Perrella abriu a caixa-preta e denunciou pagamento de R$ 75 milhões em comissões a empresários. Há R$ 60 milhões em dívidas com a Fifa, o que pode acarretar em queda para a Série C, caso o montante não seja pago, e uma dívida geral perto de R$ 700 milhões. Quem vai querer pegar um clube assim? O passivo é gigantesco! Assumir também o passivo dos jogadores e dos ex-jogadores em atividade. Salários atrasados e impostos. Mandar embora os vários jogadores que não deram certo não é o problema. O mais grave é arrumar dinheiro para indenizar essa gente! Parece um buraco sem fundo.

Ainda há a pendência de R$ 12 milhões da dívida do atacante Fred com o Galo. Segundo consta, o Cruzeiro iria pagar essa pendência. Que prejuízo. Um cara contratado a peso de ouro, que fez 15 gols em 16 jogos no Mineiro e primeira fase da Copa Libertadores e foi enaltecido por alguns. Meses depois, contestado por todos. Ele tem história no futebol, tem que ser respeitado como artilheiro que foi. Porém, não dá mais. Foi um grande prejuízo aos cofres azuis.

Thiago Neves, então, nem se fala. Prejuízo líquido e certo. Um ex-jogador em atividade, como sempre afirmei aqui, mesmo quando ele ganhou duas Copa do Brasil. A ilusão das taças não deixou o torcedor enxergar o que o futuro reservava. Quando se gasta o que não se tem para montar time, corre-se esse risco. O torcedor comemorou dois Brasileiros e três Copas do Brasil de 2013 para cá, mas a conta chegou. E ela é dolorosa. Segunda Divisão, um clube estraçalhado moralmente, com dívidas impagáveis e dezenas de jogadores que retornarão de empréstimos, além dos que lá estão sem a certeza de que terão os salários depositados.

Reconstruir não é fácil, mas a instituição Cruzeiro é gigantesca e campeoníssima. Eu avisei que esse negócio de que “camisa pesa e que time grande não cai” era balela. Cai sim, e a prova está aí. Quando há desmandos, falcatruas e corrupção, a queda é líquida e certa. Que a polícia e a Justiça cuidem dos culpados pelos crimes cometidos. Que a torcida de bem, aquela que não veste nenhuma roupa de facção, possa ajudar o time a se reerguer. Não será fácil. Já há quem vislumbre a possibilidade de o Cruzeiro não subir em 2021, ano do seu centenário.

É bom o torcedor saber que todos os grandes que caíram até mais de uma vez subiram no ano seguinte à queda. Portanto, é obrigação do Cruzeiro voltar à elite no ano do seu centenário e, de preferência, com a taça da Série B na mão. Não é vergonha ser campeão da Segunda Divisão. Vergonha será o clube permanecer lá por mais de uma temporada. Portanto, a renúncia dos atuais dirigentes é fundamental para que o clube comece a se refazer, ressurgir das cinzas. Não sei como os investigados pela polícia vão andar pelas ruas de BH. É uma temeridade num país tão violento. Renúncia já. Não há outro caminho!

Agradecimento

Recebi e-mail da Google me parabenizando pelo meu canal youtube.com/JaeciCarvalhoesporte ter atingido o número de 5 milhões de visualizações de maio para cá. Uma marca histórica que muito me envaidece. Aos assinantes do meu canal e ao meu fiel público, o meu muito obrigado. Novos desafios estão por vir.




Publicidade