Publicidade

Estado de Minas COLUNA DO JAECI

Seleção que não empolga e um Cruzeiro sem rumo!

"O torcedor também está perdendo o orgulho de torcer pelo seu maior patrimônio esportivo, que é a Seleção. Eu, que cubro o time canarinho há 33 anos mundo afora, fico triste com essa nova realidade"


postado em 09/09/2019 04:00 / atualizado em 09/09/2019 08:18

Numa fase crítica, o Cruzeiro foi goleado por 4 a 1 pelo Grêmio no Independência(foto: ALEXANDRE GUZANSHE/EM/D.A PRESS)
Numa fase crítica, o Cruzeiro foi goleado por 4 a 1 pelo Grêmio no Independência (foto: ALEXANDRE GUZANSHE/EM/D.A PRESS)


Los Angeles – A Seleção Brasileira está na capital mundial do cinema, onde enfrentará o Peru, nesta terça-feira, às 20h (meia-noite, horário de Brasília). Será que os amantes do futebol brasileiro ficarão acordados? Não acredito. O torcedor brasileiro perdeu o interesse pela Seleção depois daqueles “10 a 1” e parece não haver empatia com os atuais jogadores, ricos, famosos, mas que não estão nem aí para o resto. Fecham-se no grupinho deles e pronto. O assessor de imprensa Vinícius Rodrigues chegou a dizer que entrevistas exclusivas não existem mais, e mesmo que alguém queira falar dessa forma, eles é quem avaliam e querem saber o tema antes. Piada de mau gosto. O cara chegou há três anos, é “pato novo” e já se sente o dono do lugar. Também, esperar o que com Tite? Se eles não se importam com o torcedor, problema deles. O torcedor brasileiro também está perdendo o orgulho de torcer pelo seu maior patrimônio esportivo, que é a Seleção. Uma pena. Eu, que cubro o time canarinho há 33 anos mundo afora, fico triste com essa nova realidade. Por isso e outras coisas mais acho difícil ganharmos um Mundial nas próximas três edições. Primeiro por achar o trabalho de Tite fraco. Segundo, pela marra desses jogadores “subcelebridades”, que se sentem acima do bem e do mal. Eu prefiro elogiar a criticar. Mas com essa filosofia de Tite e cia realmente fica difícil.

Mesmo distante, aqui em LA, quero retratar neste espaço a minha indignação com as coisas que vêm ocorrendo no Cruzeiro. A goleada sofrida ontem no Horto, de 4 a 1 para o Grêmio, nada mais é do que reflexo de uma diretoria falida, sem credibilidade com o torcedor, sem respaldo para continuar a tocar o clube. Gente, que apego é esse que as pessoas têm pelo cargo? Ninguém é dono do clube, e se está fazendo mal, por que não dar a vez a outro? Venho batendo na tecla de que os dirigentes, acusados de corrupção e lavagem de dinheiro, deveriam se afastar para a defesa, longe do clube. É melhor para eles. Correm até risco em ter a integridade física abalada. Os torcedores são passionais e a gente sabe que no meio de torcida organizada há muito bandido. Torcedor furioso e indignado fica incontrolável. O Cruzeiro vive dias tenebrosos desde que as denúncias foram veiculadas pelo Fantástico, da Rede Globo. Nada foi explicado e a dúvida paira no ar. A Justiça precisa dar um parecer. Inocenta os acusados ou os condena. O que não pode é o clube ficar à deriva, sem rumo nem nau. Já disse e repito o que fala a lei: todos são inocentes, até que se prove o contrário. E se os dirigentes têm a certeza de inocência, o afastamento seria o melhor, para, em caso de absolvição, voltarem mais fortes e mais capazes. O time caiu de produção desde que as denúncias se tornaram públicas. Foi a reportagem principal do Fantástico e deixou a nação azul arrasada. O Cruzeiro saiu das páginas esportivas e frequentou as policiais. Uma vergonha!

Há jogadores ganhando fortunas, jogando nada. Mas isso vem de tempos, não é de agora. O que iludiu o torcedor foram as duas conquistas da Copa do Brasil, em que brilhou a estrela do melhor goleiro do Brasil, Fábio, que garantiu as duas taças. Ele, Dedé, Leo e mais uns três ou quatro. Thiago Neves, Fred, Robinho, Sassá, Egídio, Ariel Cabral e Fabrício Júnior, entre outros, precisam respirar ares diferentes. Não dá mais! Neves queria ir para o Grêmio no começo do ano. Voltar a trabalhar com Renato Gaúcho era o sonho dele. O grande erro do Cruzeiro foi tê-lo segurado. Jogador insatisfeito não rende. Fazer gracinha nas redes sociais e ficar sacaneando companheiros de profissão é o hobby predileto dele. A falta de profissionalismo é incrível. Num mundo tão violento, o papel do jogador, que é figura pública, deveria ser o de provocar a paz, não a guerra. O Cruzeiro está na contramão de sua própria história.

A dívida, que jamais foi preocupação, pode chegar à casa de R$ 1 bilhão em breve. Isso é gravíssimo. Um clube que sempre se orgulhou de ser enxuto, de ter credibilidade, jogou tudo isso na lama com o escândalo de corrupção. Quem vai emprestar dinheiro ao Cruzeiro? Acho muito difícil. A dívida atual é impagável, e a situação, dramática. O clube vai levar anos para se recuperar. Uma pena ver o Cruzeiro nessa condição. Cabe ao conselho deliberativo uma providência urgente. A torcida exige uma satisfação e uma decisão urgentemente! Ou os verdadeiros cruzeirenses se unem em prol de salvar o clube ou o buraco, que parece fundo, será mais fundo ainda, com proporções inimagináveis. Não acredito em queda no Brasileirão pelo fato de haver equipes péssimas atrás do Cruzeiro. Porém, a cada rodada, a cada derrota, o fundo do poço vai se aproximando. O grupo não consegue reagir e nem mesmo a mudança de treinador surtiu o efeito desejado. Espero que tudo se resolva, pois o Cruzeiro sempre foi referência, com títulos e conquistas da maior grandeza. Que esse passado glorioso prevaleça e que os maus dirigentes percebam que não são donos do clube nem de sua torcida. São passageiros de uma instituição eterna.


Publicidade