Publicidade

Estado de Minas COLUNA DO JAECI

Na volta de Neymar, Brasil empata com a Colômbia

"Pelo que as duas equipes fizeram em campo, o resultado foi justo. Essa partida era esperada como final da Copa América. Mas a Colômbia, única com 100% na primeira fase, sucumbiu no mata-mata"


postado em 07/09/2019 04:00 / atualizado em 07/09/2019 00:32

Voltando de contusão, participação de Neymar foi discreta, apesar de ter feito um gol(foto: RHONA WISE/AFP)
Voltando de contusão, participação de Neymar foi discreta, apesar de ter feito um gol (foto: RHONA WISE/AFP)


Miami – Brasil e Colômbia fizeram um bom jogo na noite de ontem no Hard Rock Stadium. Brasileiros e colombianos que moram nos Estados Unidos puderam matar a saudade das suas pátrias. E foi um bom duelo, movimentado, com várias chances de gol. Pelo que as duas equipes fizeram em campo, o resultado foi justo. O Hard Rock Stadium será palco do Superbowl, em fevereiro. Com capacidade para 75 mil pagantes, recebeu ontem 65.232 mil espectadores, boa parte de colombianos. Quando Neymar tocou na bola, recebeu as primeiras vaias. Essa partida era esperada como final da Copa América, no Brasil. Mas a Colômbia, única com 100% na primeira fase da competição, sucumbiu no mata-mata.

O time colombiano é muito forte e bem treinado pelo português Carlos Queiroz, que dá sequência ao belo trabalho do argentino José Pekerman. E foi dos colombianos a primeira boa chance. O zagueiro Mina subiu mais que a defesa brasileira e cabeceou forte, para fora. Ederson estava batido no lance. O Brasil buscava as jogadas pela direita com Richarlison. Outra boa chance foi no cruzamento de Cuadrado, que Zapata cabeceou rente à trave. Em seguida, Cuadrado também chutou rente à trave. E a torcida ficou empolgada. O Brasil estava lento e apagado. Aos 18 minutos, Neymar bateu escanteio da direita e foi vaiado. Ele pôs a bola na cabeça de Casemiro: Brasil 1 a 0. Provocaram o Neymar e ele deu o troco com o belo cruzamento. Aos 23, Alex Sandro meteu o pé no peito de Muriel. Pênalti. Muriel mesmo bateu e empatou: 1 a 1, fazendo justiça ao que era o jogo. Logo depois, tempo para a hidratação dos jogadores, pois o calor era intenso, com 31 graus. Isso às 21h.

Em seguida, Richarlison fez bela jogada, deixou o zagueiro caído e fuzilou para fora. O Brasil equilibrava as ações. A Colômbia fez o segundo gol, mas o árbitro alegou impedimento e anulou. As melhores jogadas do Brasil eram pela direita com Richarlison. Aos 33, a Colômbia marcou um golaço. Martínez deu um lindo chapéu em Marquinhos, tocou para Zapata, que rolou para Muriel fazer seu segundo gol no jogo. Golaço. Neymar estava apagado. Visivelmente sem ritmo de jogo. A Colômbia era a dona da partida e o Brasil assistia a tudo passivamente. Richarlison foi lançado, mas Ospina, que completava 100 jogos com a Seleção Colombiana, saiu a seus pés e pegou a bola.

Empate

A Colômbia voltou no mesmo ritmo. A torcida brasileira estava calada. Nem o tradicional “eu sou brasileiro, com muito orgulho, com muito amor” foi entoado. Coutinho teve boa chance na esquerda. Limpou e chutou, raspando a trave. Neymar tentava driblar pela esquerda. Mas a marcação era forte. O empate saiu aos 12. Daniel Alves foi lançado e cruzou. Neymar entrou chutando forte, debaixo da baliza: 2 a 2. Neymar correu para abraçar Tite. Um puxa-saquismo incrível. Sánchez jogou Neymar nas placas dentro da área. O árbitro americano fingiu que não viu. Segue o jogo. O que me surpreendeu, e negativamente, foi perceber que Tite encarou a partida como uma decisão, não dando chances de a torcida ver os novatos. Somente aos 35 do segundo tempo Bruno Henrique entrou na vaga de Coutinho. Paquetá e Neres entraram nas vagas de Firmino e Richarlison. O segundo tempo de Neymar foi bem melhor que o primeiro. E para quem estava parado há três meses, ele saiu-se bem. Terça-feira, teremos Brasil x Peru, em Los Angeles. Uma reedição da final da Copa América.


Publicidade