Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Galo dá vexame e está quase eliminado da Libertadores

Quanto ao técnico Levir Culpi, não sei o que pensa a diretoria. Porém, ele mesmo deveria se demitir. Não deu liga


postado em 11/04/2019 05:07 / atualizado em 11/04/2019 09:26

O Atlético foi goleado pelo Cerro Porteño por 4 a 1, ontem, em Assunção, e praticamente ficou sem chances reais de classificação às oitavas de final da Libertadores. Chance matemática existe, mas só um milagre salvará o time alvinegro. Foi a pior partida da equipe nos últimos tempos. Uma coisa horrorosa. Um time sem corpo, alma, sem futebol e muito mal treinado e escalado. O Galo parecia ter começado o jogo com uma postura diferente. Mais compactado, marcando bem e não dando espaços aos jogadores do Cerro Porteño. Parecia ter outra atitude e vontade. Vejam bem: parecia! Logo no início, Cazares puxou um contra-ataque e a bola sobrou para Luan. Ele chutou para a área, forte, e a bola encontrou Ricardo Oliveira, na corrida, que fuzilou para fazer 1 a 0. Cazares jogava bem, comandava as ações. Porém, em cinco minutos, a partir dos 30min, tudo mudou. Falta na entrada da área. Acosta chutou forte, rasteiro, a bola bateu na barreira e entrou no canto direito de Victor. 1 a 1. E logo em seguida, Carrizo arriscou de fora da área. Victor nem viu onde a bola entrou. Chute de longe, falha do goleiro alvinegro. Uma pena. E dois minutos depois, Fábio Santos falhou dentro da área e Cáceres fez 3 a 1. Uma vergonha o erro de Fábio Santos, desmoronando o sonho de vitória do alvinegro. Dois erros individuais, dois gols do Cerro. E o terceiro erro foi novamente de Victor, que trombou com Igor Rabelo e deixou Larrivey livre para fazer 4 a 1. Que vexame. Parecia Alemanha 7 x 1 Brasil, quando os alemães marcaram cinco gols em nove minutos.

No segundo tempo, o Cerro acertou a trave com um minuto de jogo. Incrível como o técnico Levir Culpi não fez nenhuma mudança no intervalo. Tomando de 4 e volta com o mesmo time. Não consigo entender. Tinha que, pelo menos, tentar diminuir e fugir da goleada. Os jogadores do Cerro continuavam deitando e rolando na defesa alvinegra. O Galo parecia um time de pelada, sem a menor organização.

A vitória era o sonho de manter viva a chance de classificação do alvinegro. Com 12 pontos, o Cerro já está classificado. O Nacional, com 9, precisa de um empate em dois jogos para segurar a segunda vaga. O Galo está em coma, no CTI, com chances remotas e apenas matemáticas. Uma participação vergonhosa, com um técnico ultrapassado, que não conseguiu dar o menor padrão de jogo ao time. Eu já disse e repito: time em que Luan é referência não pode chegar a lugar nenhum. Os jogadores se entregam, mas erram lances infantis. Um time atabalhoado, sem nenhum esquema de jogo. Eu disse que dificilmente o Atlético conseguiria vencer o Cerro Porteño no Paraguai. E olha que os paraguaios não são isso tudo. Mas têm um técnico que sabe organizar a equipe. Simples assim. Igor Rabello não conseguiu se encontrar no alvinegro mineiro. Fábio Santos, eu já disse que não tem mais condições de ser titular. Guga praticamente não tocou na bola. Elias e Adílson, completamente perdidos. Cazares, que começara tão bem, sumiu. Tem sido assim. Uma sucessão de erros, que tem culminado em derrotas do time mineiro.

Claro que o torcedor está magoado, arrasado, humilhado, mas vale lembrar que o Atlético está em sua 10ª Libertadores. A diretoria recebeu o time fora da competição sul-Americana e o fez voltar. O São Paulo não passou da pré-Libertadores e ninguém fala mais nada. Corinthians, Santos, Vasco, Fluminense e tantos outros times nem sequer entraram. Mas a realidade do Galo é essa. A diretoria está organizando as finanças do clube. Sabe das limitações e da falta de dinheiro para contratações, além de não ter jogadores de qualidade no mercado. Não é desculpa, mas fato. Mas pedir ao torcedor para entender isso é demais! Quanto ao técnico Levir Culpi, não sei o que pensa a diretoria. Porém, ele mesmo deveria se demitir. Não deu liga. E o Galo precisa de uma reformulação em seu grupo. Há jogadores sem a menor condição de vestir a camisa alvinegra. O jogo de ontem foi a maior vergonha do Atlético nos últimos tempos. Vexame histórico.

Cruzeiro goleia
No Mineirão, o Cruzeiro deu um show e goleou o Huracán por 4 a 0, com três gols de Fred e um de Dodô. O time azul chega aos 12 pontos, está com 100% na competição, com quatro vitórias, e vai em busca da primeira colocação geral para levar a vantagem de decidir em casa até a semifinal. Não me canso de dizer que o Cruzeiro é o melhor time do Brasil no momento e candidato a tudo o que vai disputar. Como os dois jogos foram no mesmo horário, e o jogo do Galo era decisivo, optei por fazer essa partida, já que o Cruzeiro, com nove pontos, estava praticamente classificado. Portanto, não posso falar muito de um jogo que não vi.


Publicidade