Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas HIT

Ator comemora sucesso da peça que marca os 100 anos de Clarice Lispector

Espetáculo on-line criado por Odilon Esteves, que foi visto por mais de 2.500 pessoas, retorna este fim de semana para temporada durante janeiro


07/01/2021 04:00

 (foto: Fernando Badharo/Divulgação)
(foto: Fernando Badharo/Divulgação)
Depois da pausa de fim de ano, Odilon Esteves e Clarice Lispector estão de volta com a peça Na sala com Clarice. A montagem on-line foi criada por ele em homenagem ao centenário da escritora. O ator comemora o sucesso do projeto, que atraiu mais de 2.500 pessoas virtualmente, da estreia até o final do ano. “Encerrei a primeira temporada esgotado. É um volume imenso de textos (o cardápio literário que estou trabalhando daria para fazer quatro peças), mas, sobretudo, tem um cansaço emocional", diz. "A Clarice provoca na gente emoções profundas e variadas, e estou mergulhado nisso. Quantas vezes as contradições humanas em seus textos nos convidam a encarar as nossas próprias contradições! Não tenho como fugir disso. E tenho percebido o mesmo no público. Mas ouvir Clarice em meio a uma pandemia pode trazer também um alívio para o coração. Os desafios continuam, mas estou surpreso e feliz com o resultado do projeto até agora.”

***

Odilon conta que dois dos 15 textos mais pedidos pelo público na primeira temporada foram O que eu queria ter sido e O primeiro beijo, e que o retorno neste janeiro traz novidades: “Estamos incluindo A fuga e A repartição dos pães, duas obras que não estiveram na lista de textos em dezembro.” As transmissões ao vivo pela plataforma Zoom são feitas da sala do Odilon Esteves, no apartamento onde mora, em São Paulo. As apresentações são gratuitas, sempre aos sábados, às 20h, e domingos, às 19h, até 31 de janeiro. No dia 29, às 20h, haverá sessão com intérprete de Libras. Ingressos pelo Sympla.

MÁSCARA
ATO SOCIAL

Depois do Hospital das Clínicas e do Hospital Mário Penna, funcionários do Minas Tênis Clube serão os próximos beneficiados com os recursos obtidos com a venda de máscaras. Na próxima quinta-feira (14/1), serão sorteados 20 nomes, que terão como prêmio um voucher de R$ 400 para curso de capacitação profissional ou de desenvolvimento pessoal, que deverão ser feitos neste semestre com opções oferecidas pelo RH do clube. As máscaras, que custam R$ 8, podem ser adquiridas nas três unidades do Minas e do Náutico. Em novembro do ano passado, a renda com as máscaras foi doada ao Hospital Mário Penna. Antes disso, em outubro, a ação com a venda de máscaras rosa levantou fundos entregues ao setor de mastologia do Hospital das Clínicas. A ação é um projeto do Minas Tênis Solidário, braço de responsabilidade socioambiental do Minas Tênis Clube.

BETHÔNICO
FAMÍLIA LONGEVA
Inês Bethônico e o filho Franklin (foto: Arquivo pessoal)
Inês Bethônico e o filho Franklin (foto: Arquivo pessoal)

Com dois trinetos, 18 bisnetos, 24 netos e 11 filhos, aos 100 anos, comemorados em meio à pandemia, no segundo semestre do ano passado, Inês Bethônico defende o uso de máscaras no combate ao coronavírus. Mesmo saindo raríssimas vezes de casa, no Belvedere, ela acredita que o item é fundamental nesse momento tão triste de pandemia, que, entre outras coisas, reduziu o número de almoços com os filhos. Com a pandemia, eles vão se revezando à mesa com a mãe.

***

Natural do Piauí, Inês conheceu Diogo quando ele foi a Teresina inspecionar uma das obras sob sua responsabilidade. Depois do casamento, fixaram endereço em Minas. Diogo morreu aos 96 anos. "Se depender dos meus pais, minha família será longeva", brinca Franklin Bethônico, um dos filhos do casal, que, além da atenção à mãe, divide seu tempo com os compromissos no Automóvel Clube, presidido por Sérgio Murilo Diniz Braga.

***

Franklin não esconde a tristeza com o clube estar fechado. "Ainda mais agora com a diretoria querendo mostrar serviço", lamenta. O diretor diz estar em compasso de espera para a reabertura. Otimista, acredita que em abril as portas serão reabertas. "A vacina será a nossa salvação. Ela é a nossa luz do fim do túnel." Ele já pensa em realizar mais uma edição da sua festa do Oscar, que este ano está previsto para abril. "Dois dias antes do meu aniversário", afirma, com o sorriso que o coloca como um dos mais animados festeiros de Belo Horizonte.


*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade