Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas COLUNA HIT

Projeto Salve a Graxa reforça campanha de doações

Criada para auxiliar profissionais ligados à produção de shows, iniciativa vê recursos se reduzirem com a iminência da segunda onda do novo coronavírus


24/11/2020 04:00

Kombi do projeto Salve a Graxa(foto: Arquivo pessoal)
Kombi do projeto Salve a Graxa (foto: Arquivo pessoal)

A situação não está fácil para ninguém. Mas no caso dos técnicos que trabalham na produção de shows, o momento é ainda mais delicado. Atendendo a 770 pessoas, o projeto Salve a Graxa vê as doações se reduzindo à medida em que a pandemia avança. “A grande maioria dos doadores era formada por pessoas da própria classe, sem fonte de renda, que mesmo assim ajudavam. Mas agora, com a possibilidade da segunda onda do coronavírus, ficaram difíceis essas doações, pois essas pessoas enfrentam os mesmos problemas dos colegas”, conta Renata Neves de Castro Almeida, produtora que faz parte do movimento.

• • •

A doação mais recente de R$ 7,4 mil, proveniente de um leilão, já está na conta do projeto. Porém, o dinheiro é suficiente para atender apenas a 10% das famílias cadastradas. Nesse caso, o cadastro não é a única forma de encaminhamento das doações. Renata diz que há telefonemas para buscar informações sobre a situação do profissional. “Há casos em que a família informa ter recebido outra doação e aquela cesta pode ser repassada a quem estiver em situação pior”, conta.

Juliana Grillo, Isabela Vecci e o cônsul da Itália, Dario Savarese, com Eduardo Faleiro e Fernão Silveira(foto: Leo Lara/Divulgação)
Juliana Grillo, Isabela Vecci e o cônsul da Itália, Dario Savarese, com Eduardo Faleiro e Fernão Silveira (foto: Leo Lara/Divulgação)


ACMINAS
JOVEM CONECTA

A primeira rodada virtual de negócios da ACMinas Jovem foi realizada ontem. Cada participante fez seu próprio pitch (apresentação de produtos e ideias) e reforçou o networking. “Promover a conexão entre jovens empresários é nosso principal objetivo. A ideia do evento é proporcionar a cada um deles conhecer novos negócios, produtos e serviços, além de identificar oportunidades. A troca de ideias é sempre valiosa e estratégica, principalmente neste ano tão desafiador”, destaca Marco Túlio Campolina, vice-presidente de Negócios da ACMinas Jovem.

LANDAU
NOVO ÁLBUM

Está marcado para a primeira quinzena de dezembro o lançamento do álbum Refúgio, de Landau. São 10 faixas criadas para as lives dele feitas nestes meses de isolamento social. No repertório, há cinco autorais (Natureza, Guardião, Nosso tempo, Aprendendo a viver e Amor demais) e cinco releituras (Astronauta lírico, do gaúcho Vitor Ramil; Difícil, do goiano Franco Levine; Céu dourado, dos cariocas Guilherme Lamounier e Leno; Inspiração do desejo, do paulistano Dídio Venvier; e Apenas indo, dos catarinenses Gera Fornasa e Bandalheia).
A equipe de Maio antes que você me esqueça: Maurício, Marino e Mauro Cangussu com Ílvio Amaral(foto: Arquivo pessoal)
A equipe de Maio antes que você me esqueça: Maurício, Marino e Mauro Cangussu com Ílvio Amaral (foto: Arquivo pessoal)

MÁSCARA
MAL NECESSÁRIO

Depois de nove meses longe das coxias, os atores Ílvio Amaral e Maurício Cangussu voltaram à cena com a estreia de Maio antes que você me esqueça, peça de Jair Raso. “Foi emocionante. Não sabia que sentia tanta falta do palco”, confessa Maurício. “Ao mesmo tempo, foi frustrante ver uma plateia imensa com cadeiras bloqueadas (para cumprir protocolos de saúde) e muita gente querendo ir”, acrescenta.

• • •

O ator é defensor ferrenho das máscaras, mas diz que elas tiraram a emoção do rosto do espectador. “Você só vê os olhos do público. Uma amiga viu o ensaio e contou que riu muito e se emocionou, mas, com a máscara, não vimos as risadas e o choro”, diz ele. Mesmo assim, Cangussu não abre mão da proteção. “É um mal necessário”, afirma. O espetáculo terá duas sessões, sábado e domingo, no Teatro Feluma.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade