Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas

Políticos e ator inspiram máscaras à venda no comércio de BH

Fábio Assunção não está sozinho na folia. Sérgio Moro e Jair Bolsonaro são opções de máscaras para o carnaval em Belo Horizonte


postado em 04/02/2020 04:00

(foto: Helvécio Carlos/EM/D.A PRESS)
(foto: Helvécio Carlos/EM/D.A PRESS)

Se os foliões contam nos dedos os dias para o início da folia, quem trabalha com produtos carnavalescos já está pulando de alegria. “Nossa produção de confete e serpentina aumentou 100% em relação ao ano passado”, contabiliza o empresário Antônio Márcio Pereira Campos, dono da Romana, única empresa em Minas Gerais especializada no setor. Com sede no Bairro Primeiro de Maio, ela é uma das quatro fábricas brasileiras que atende aos pedidos do Norte, Nordeste, Sul e Sudeste. O empresário mostra os resultados, na ponta do lápis. “Este ano, foram 896 mil unidades do pacote de confete de 120g. Aumento de 103% comparado a 2019. No caso das serpentinas, o aumento foi de 90%, com a venda de 212.545 unidades de pacotes com 12 rolos. Colar havaiano também está em alta: venderemos 70.956 unidades, aumento de 62% em relação a 2019”, conta ele. Os números podem crescer devido a pedidos de última hora, esperados até o sábado de carnaval.

***

Antônio Márcio conta que a demanda para o carnaval 2020 causou correria na fábrica. Os primeiros pedidos, geralmente do Amazonas, Rondônia e Acre, chegaram no meio do ano passado. “A antecedência é essencial para que façamos a entrega com tranquilidade, pois os caminhões, no caso do Norte, levam 15 dias para chegar ao destino”. Para ter mais traquilidade em relação às encomendas de 2021, ele encomendou outra máquina para produção de serpentinas. A produção começa em março.

***

Se por aqui o movimento na fábrica da Romana garante a alegria do empresário Antônio Márcio, no Rio de Janeiro, a situação é outra. A Condal, em São Gonçalo, a mais conhecida fábrica de máscaras foliãs, está com as portas fechadas, depois de 60 anos na ativa. Nos últimos carnavais, o sucesso de vendas eram as máscaras ironizando políticos. Porém, os mais animados não precisam se lamentar. Bancas já estão oferecendo máscaras de papel do presidente Jair Bolsonaro, do ministro da Justiça, Sérgio Moro, e do ator Fábio Assunção. O distribuidor do produto não quis falar a respeito.

GASTRONOMIA
GIRO INTERNACIONAL

O chef português Christovão Laruça acaba de voltar de um giro por Europa, Ásia e Oceania. Ele visitou os restaurantes Ester e Nomad, em Sidney, Hawker Chan e Zhong Guo La Mian, em Cingapura; Bodega El Capricho, na Espanha; e Elemento, no Porto, em Portugal.

CHUVAS
MUDANÇA NA PROGRAMAÇÃO

A Campanha de Popularização do Teatro e Dança é obrigada a se adequar às tempestades que não dão trégua a BH. Marcada para domingo, às 16h, a apresentação do espetáculo de rua Ópera de sabão, do grupo Maria Cutia, será transferida da Praça Floriano Peixoto para o pátio da Funarte. Entrada franca.

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade