Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas

Dirigido por Yara de Novaes, Neblina abriu temporada de teatro do CCBB

Estreia foi marcada de emoção para os atores Fafá Rennó e Leonardo Fernandes. A peça fica em cartaz até 17 de fevereiro


postado em 13/01/2020 04:00

(foto: Guto Muniz/Divulgação)
(foto: Guto Muniz/Divulgação)
O agradecimento breve da atriz Fafá Rennó, após a estreia de Neblina, sexta-feira, no CCBB, sintetizou a relevância do início da temporada da montagem dirigida por Yara de Novaes. “Como é importante nascer em 2020 com arte, falando de arte, de vida, morte, amor, encontro, desencontro”, citou, lembrando alguns temas abordados no texto de Sérgio Roveri. “Teatro é arte do encontro e acho importante estarmos aqui hoje”, afirmou, agradecendo à equipe do espetáculo e a luta para colocá-lo de pé a partir das leis de incentivo. Trabalho árduo que todos na plateia da estreia conhecem de perto. Por lá estiveram o cineasta Helvécio Ratton com a mulher, Simone, Eduardo Moreira e Inês Peixoto, Luis Arthur e Cynthia Paulino, Antônio Edson e Arildo de Barros, para citar alguns.

A selfie de Celso e Denise Rennó com a filha, Fafá Rennó, e a diretora Yara de Novaes(foto: Fotos: Helvécio Carlos/EM/DA PRESS)
A selfie de Celso e Denise Rennó com a filha, Fafá Rennó, e a diretora Yara de Novaes (foto: Fotos: Helvécio Carlos/EM/DA PRESS)

Os pais de Fafá Rennó, Denise e Celso Rennó, também estavam lá, marcando a tradição de aplaudir as estreias da filha. É assim desde o início da carreira dela, aos 9 anos. “Fico sempre muito feliz com o apoio de meus pais, que estão por perto. Ao contrário de pais que não apoiam a carreira de ator dos filhos”, disse a atriz. Ela lembrou que em Nadim nadinha contra o rei de Fuleiró, peça de formatura do Cefar dirigida por Marcos Vogel no início dos anos 2000, das 10 sessões, Denise e Celso prestigiaram a filha oito vezes.

Leonardo Fernandes distribuiu autógrafos no encontro com o público após estreia de Neblina
Leonardo Fernandes distribuiu autógrafos no encontro com o público após estreia de Neblina

A emoção de Fafá não ficou apenas na presença dos pais. Começar a temporada de um espetáculo dirigido por Yara de Novaes tem grande significado para a atriz. “Foi ela quem me levou para São Paulo com a peça No quarto ao lado”, relembrou Fafá, que, desde então, mantém uma carreira em ascensão, com trabalhos tanto no teatro quanto em emissoras de TV a cabo e cinema. Aliás, durante a temporada de Neblina, a atriz vai se dividir entre Belo Horizonte e Poços de Caldas para as gravações de A turma da Mônica – Lições. Tudo foi acertado com a produção do longa para que as cenas de Dona Cebola da Silva sejam gravadas de segunda a quinta, para que nos fins de semana ela esteja em BH. Se houver imprevisto, Raquel Lauar estará pronta, como stand in, para substituir Fafá. Voltar ao CCBB também tem valor emocional para a atriz, que há dois anos, sob direção de Rita Clemente, fez sua até então mais recente apresentação em peça adulta na cidade.

A FORÇA DA FAMÍLIA
NO PALCO E FORA DELE

A família de Leonardo Fernandes também esteve em peso na estreia de Neblina. Os pais – Roneide e Antônio –, os irmãos  Letícia Polyana, Nathan e Rebecca Fernandes, e os tios Ronaldo, Rosemeire e Tânia de Deus não escondiam a admiração e o respeito ao ator. Ronaldo ainda fez questão de pedir autógrafo ao sobrinho no programa da peça. “Por eles, iriam até mesmo aos ensaios. Isso é muito legal. Minha família é sempre muito presente e sempre bom tê-los na estreia jogando força para o palco.”

>>>>

Leo conta que voltar ao palco do CCBB tem grande significado para ele, que estourou ali com a peça Cachorro enterrado vivo. O trabalho rendeu, além de longa turnê, o prêmio de melhor ator concedido pela Associação Paulista de Críticos de Arte. Entre Cachorro e Neblina, o ator mineiro fez outros projetos em São Paulo. Atuou em Casa submersa, de Kiko Marques, no longa Pérola, adaptação da peça de Mauro Rasi para o cinema, com direção de Murilo Benício, que ainda não tem data de estreia, e na série Irmandade, da Netflix. Convites para ficar por lá não faltaram, mas em função do compromisso com Neblina, idealização de Leo e Tatyana Rubim, o ator precisou abrir mão dos projetos que surgiram. “Sabe quando você não tem um aniversário no dia e, de repente, aparecem cinco convites...”, comparou bem-humorado

>>>>

Leo diz que o momento mais emocionante da estreia de Neblina foi registrado com a cortina fechada. “Pouco antes do início da peça, nos reunimos em roda. Éramos 17 pessoas e aquela imagem foi muito marcante. Eu olhava cada um e pensava: 'Estou ao lado de gente incrível que colocou toda a potência artística e criativa para eu e Fafá entrarmos e defender este trabalho'. Foi emocionante”, confessou, lembrando também a alegria de trabalhar pela primeira vez com Yara e Fafá.










Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade