Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas

Em noite animada, DJ mineiro troca mesa de som por autógrafos em livros

O barulho da lua %u2013 A história do DJ Anderson Noise, escrito por Claudia Assef, foi lançado no Café com letras do CCBB


postado em 23/12/2019 04:00 / atualizado em 22/12/2019 17:43

Claudia Assef, Mama Noise e Anderson Noise (foto: Fotos: Helvécio Carlos/EM/D.A PRESS)
Claudia Assef, Mama Noise e Anderson Noise (foto: Fotos: Helvécio Carlos/EM/D.A PRESS)
A noite era de Anderson Noise que, ao lado da jornalista Claudia Assef, lançava a sua biografia O barulho da lua – A história do DJ Anderson Noise, mas bastou Mama Noise chegar ao Café com Letras do CCBB, na Praça da Liberdade, para os amigos do DJ reverenciarem a mãe dele, uma das figuras mais marcantes da noite entre os anos 1990 e 2000. Naquela época, ela, irreverente e cheia de simpatia, assumia o posto de hostess na maioria das festas do filho. Sexta-feira, Mama estava carinhosa com todos e sem esconder a alegria. “Estou feliz demais (com o lançamento). Esse menino sempre correu atrás de tudo que sempre quis. Ele lutou demais para ter o nome na cena da música eletrônica. Tudo por merecimento”, elogiou. Ela fez questão de lembrar que Anderson sempre foi um bom filho e nunca esqueceu a família. “Tenho uma boa casa reformada por ele. O carro foi ele quem me deu. Esse menino é de ouro”, derreteu-se Mama, entre os abraços e beijos dos amigos e de familiares.
Anésia Cambraia e Alex Dário
Anésia Cambraia e Alex Dário

>>>
Anderson não ouviu os elogios carinhosos da mãe. Circulava entre as mesas ou dava uma escapada até a entrada do CCBB, que dá para a Rua Cláudio Manoel, para tentar esconder a ansiedade. “Muita gente disse que não viria. Tem muitos encontros nessa época”, falava ao lado de Mergulhão, o fotógrafo que o acompanhou durante muitos anos. Parte desse registro ilustra o livro, que é uma beleza. A amizade entre eles é tão grande que Mergulhão se sente da família. “E vice-versa também. Meus filhos adoram o tio Noise.”
Jotta Sybbalena e Anderson Noise
Jotta Sybbalena e Anderson Noise

Como toda noite capitaneada por Anderson Noise, o público foi chegando mais e mais. Até se formar uma longa fila que saía do Café com Letras e dava voltas no pátio do CCBB. Enquanto aguardavam a vez para receber os autógrafos de Claudia e Noise, os amigos relembravam histórias e fatos marcantes. Roger Dee lembrava o primeiro golpe que o DJ levou. “Ele se redobrou na produção de uma festa para no final ser roubado. O cara levou todo o dinheiro. E Noise cheio de coisa para pagar. Mas acho que a experiência foi importante para ele, que mesmo assim não desistiu. Pouco tempo depois ele estourou.”

>>>

Sobre as melhores festas com Noise, as opiniões se dividiam. Paola Menezes cita a do frigorífico. “Foi maravilhosa. Foi assinada por ele e Marcelo Marent com instalações de Andre Burian. Parecia que você estava em outro planeta.” O estilista Jotta Syballena lembrou que seu primeiro desfile para a sua coleção de estreia – The Monsters – foi do DJ.


Publicidade