Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas

Carlinhos Brown encerrou a temporada 2019 do Sinfônica Pop, em BH

O músico baiano foi surpreendido por homenagem de uma criança, no Palácio das Artes, com duas sessões lotadas. Ele distribuiu flores para a plateia


postado em 18/11/2019 04:00

O músico foi ovacionado nas duas noites que marcaram o encerramento da temporada 2019(foto: Fotos: Paulo Lacerda/Divulgação )
O músico foi ovacionado nas duas noites que marcaram o encerramento da temporada 2019 (foto: Fotos: Paulo Lacerda/Divulgação )
A última edição de 2019 do projeto Sinfônica Pop, da Fundação Clóvis Salgado, foi marcada pela emoção. Animado e inspirado, Carlinhos Brown apresentou 16 canções – a maioria parcerias dele com Marisa Monte e Arnaldo Antunes. Ocaso, composta com Jorge Vercilo, foi cantada ao vivo pela primeira vez no Palácio das Artes. Brown não tinha a segunda parte dessa música até se encontrar com Vercilo. Já concluída, ela ficou “adormecida”, segundo o baiano. “Quando cheguei ao Palácio das Artes, o maestro (Rodrigo Toffolo) disse: 'Olha a música que eu quero'. Até agora estou tremendo, mas feliz, contente e agradecido”, contou Carlinhos, fazendo reverência ao regente. O repertório ganhou arranjos de Fred Natalino, Jaques Morelenbaum, Lucas Araújo, Mario Adnet, Marcelo Ramos, Marcelo Ghelfi e Newton Carneiro.

Carlinhos Brown com as crianças na primeira noite do Sinfônica Pop
Carlinhos Brown com as crianças na primeira noite do Sinfônica Pop

Ao conversar com a plateia, Brown falou da importância da percussão para a nossa cultura. “Ela é a memória dos saberes ancestrais”, filosofou, antes dos primeiros acordes de ECT, cantada por ele e o público. Durante Segue o seco (“um alerta para a desertificação do mundo, não apenas do Nordeste do Brasil”, afirmou), o baiano circulou pela plateia. Repetindo o gesto de Roberto Carlos, distribuiu rosas com seu grito de guerra – “ajayô!”. “Esta aqui vou dar para o maestro, representando a orquestra toda”, avisou Brown antes de voltar ao palco com uma rosa na mão

Fãs disputaram as flores distribuídas pelo baiano
Fãs disputaram as flores distribuídas pelo baiano

O melhor da noite foi o convite de Carlinhos Brown a um grupo de crianças no finalzinho de Uma brasileira, sucesso do Paralamas. Um garoto deu para ele a camiseta do Faraó. “É a camisa do bloco onde a minha mãe toca”, explicou Davi, sob aplausos do público. Mas foi Laura quem conquistou o coração do baiano. Depois de perguntar quem queria apresentar uma música, a menina disse que cantaria Já sei namorar. “Vamos acompanhar você”, avisou Brown, puxando o coro e a orquestra. O show ficou ainda mais animado na hora de A namorada, com a performance de João Miguel e sua guitarra de brinquedo.

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade