Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas DA ARQUIBANCADA

Um bilhete da torcida do Cruzeiro ao presidente Wagner Pires Machado de Sá Nonato

O presidente, que reclamou agora de pegar o bagaço da laranja, precisa assumir sua responsabilidade para que o clube não sofra o maior vexame da sua história


postado em 02/10/2019 04:00 / atualizado em 01/10/2019 21:43

O presidente Wagner Pires de Sá na Toca da Raposa II(foto: Alexandre Guzanhe/EM/D.A Press - 13/8/19)
O presidente Wagner Pires de Sá na Toca da Raposa II (foto: Alexandre Guzanhe/EM/D.A Press - 13/8/19)


Prezado suposto presidente Wagner Pires Machado de Sá Nonato, bom-dia!

O senhor acordou bem? Sem dor de cabeça? Espero que sim. A minha e a de outros 9 milhões de cruzeirenses andam inchadas desde quando a farsa da boa administração caiu trôpega por terra.

Sim, claro! Sei perfeitamente não ser culpa do senhor. Aprendi direitinho a cartilha de seus ventríloquos: é das administrações anteriores, da guerrilha digital, da imprensa, do Rogério Ceni, da azeitona.

Certamente, tudo isso não passa de conversa fiada de botequim. Porém, pela intimidade permitida pelo senhor (naquele tempo do “presidente raiz”, lembra-se?), tomei a liberdade de enviar-lhe esse bilhete (com vontade de ser) azul. Faço, primeiramente, pela ânsia (sem vômito, ainda...) de afastar logo um incômodo carregado no meu peito desde a última aparição pública protagonizada pelo senhor num inocente sambinha.

Assistimos ao senhor frívolo, numa paz de espírito inebriante. Era feijoada, não é? Mas voltando à motivação dessa prosa em formato escrito, com todo o respeito e dó, gostaria de corrigi-lo. O meu Cruzeiro, sob a sua “brilhante administração”, não está um bagaço de laranja. Mesmo porque, laranja é a cor da flanelinha, e para isso já temos outro clube no bairro vizinho de Lourdes para carregar essa pecha.

Não é bagaço dessa fruta também, porque laranja é o codinome de quem assume riquezas e conquistas (escusas ou não) no lugar dos verdadeiros donos. E sejamos tão transparentes quanto uma água ardente, no que trata da sua administração, nenhum mérito existe, portanto, não tem por que recorrermos à laranja.

Presidente, feito esse preâmbulo, esse quase tira-gosto, vou direto ao meu pedido. Desculpe a franqueza, mas o Cruzeiro, sob seu fantasioso comando, não está um bagaço de laranja. Ele se transformou vergonhosamente num bagaço de cana.

Sabemos que o caldo vem sendo espremido desde as diretorias anteriores. Não lhes tiro a culpa. Tampouco do Conselho Deliberativo. Esse paquiderme omisso e covarde, que por seguidos mandatos agiu como um garçom, sem nunca questionar a razão do cliente. Engolindo seco absurdos fiscais e financeiros, à espera de uma gorjeta ou dos 10% em reconhecimento por ter, mandato após mandato, facilitado a vida das diretorias irresponsáveis.

Mas, suposto presidente, quando já se avizinha a saideira, gostaria de questionar alguns itens dessa conta amarga que o senhor e seu grupo insistem em deixar na mesa para nós torcedores pagarmos com o nosso amor incondicional pelo Maior de Minas.

Pergunto-lhe, quando o Cruzeiro foi campeão da Copa do Brasil em 2018, com a comissão técnica e o time montados pela administração anterior, o senhor a culpou por essa bagaçada?

O senhor manteve a farra de conselheiros e famílias historicamente parasitas ocupando diretorias e cargos de diretor de sedes, da piscina, do bebedouro, do controle remoto da garagem, do freezer da cerveja e do diabo que o carregue. Isso foi imposto pelas administrações passadas também?

Quando o senhor foi apoiado por essas mesmas administrações passadas para ser candidato a (suposto) presidente, e em seguida pelo golpe dado na eleição contra uma chapa pretendente ao Conselho Deliberativo, não se ouviu nem um pio, arroto ou soluço contra elas. São esses seus ex-apoiadores que realmente atravessaram o samba?

Suposto presidente, infelizmente, tem me faltado fígado para acompanhar tanta substância tóxica vinda desse canavial. Por isso, já me despedindo ao recolher das cadeiras sobre as mesas e antes do cerrar de portas desse estabelecimento chamado Cruzeiro Esporte Clube, deixo anotado um fiado. Escrito no guardanapo assim: “Suposto presidente, espero que desse bagaço da cana no qual vocês insistem em transformar o meu time amado, pingue ao menos uma dose de vergonha na cara.

Por favor, assuma a sua responsabilidade ou ao menos tenha sobriedade de não levar o Cruzeiro para a sarjeta, porque culpar os outros pela própria incompetência não é atitude de um homem maior de 18 anos.

Imploro, porque se o senhor não agir, suposto presidente, terei de enfiar a cara na bebida até perder os meus sentidos, porque o verdadeiro cruzeirense tem vergonha nela".

 


Publicidade