Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas Em dia com a política

Tem mais encrencas no caminho envolvendo o meio ambiente

Executivos de 38 empresas e quatro entidades de classes empresariais divulgaram uma carta aberta pedindo providências contra o desmatamento


postado em 10/07/2020 04:00 / atualizado em 10/07/2020 07:02

''Vamos mostrar o que é a Amazônia Legal, o que é o bioma amazônico, a quantidade de terras protegidas, de terras indígenas...'' - General Hamilton Mourão (foto: Ernesto Rodrigues/EM/D.A Press - 23/11/19)
''Vamos mostrar o que é a Amazônia Legal, o que é o bioma amazônico, a quantidade de terras protegidas, de terras indígenas...'' - General Hamilton Mourão (foto: Ernesto Rodrigues/EM/D.A Press - 23/11/19)
A maior floresta tropical do planeta não é importante manter apenas para a imagem do Brasil, vai muito além disso. Três razões são tratadas mundo afora, em especial nos países mais desenvolvidos da Europa, como importante por causa do papel que exerce sobre o regime de chuvas e o clima. Não é pouco. A biodiversidade dela influi direta ou indiretamente.

Melhor tratar do que interessa. “Vamos mostrar o que é a Amazônia Legal, o que é o bioma amazônico, a quantidade de terras protegidas, de terras indígenas, qual é o planejamento do governo para o meio ambiente”, registrou o vice-presidente, Hamilton Mourão.

Executivos de 38 empresas e quatro entidades de classes empresariais divulgaram uma carta aberta pedindo providências a ele pelo fim do desmatamento. O general Hamilton Mourão preside o Conselho Nacional da Amazônia Legal.

Há pouco mais de um mês, só para lembrar, Japão, Noruega, Suécia, Dinamarca, Reino Unido, França e Holanda e até os Estados Unidos, do amigo de Bolsonaro Donald Trump, já reclamavam e deixavam claro estar preocupados diante do aumento do desmatamento aqui no Brasil.

Ontem, pelo jeito, a ficha caiu direitinho para os brasileiros. Basta a escalação da videoconferência: começou com o ministro-chefe da Casa Civil da Presidência, general Walter Braga Netto, a ministra da Agricultura, Tereza Cristina (tomara que tenha ficado calada), e ainda Ernesto Araújo, de Relações Exteriores.

E como não poderia deixar de ser, o ministro de Meio Ambiente, Ricardo Salles, aquele encrencado no Ministério Público Federal (MPF). Tinha também, para comunicar, o ministro Fábio Faria, devidamente apadrinhado, já que é genro do Sílvio Santos.

Bastaria, mas tem mais encrencas no caminho envolvendo o meio ambiente. Desta vez, ela passa pelo Tribunal de Contas da União e em especial pelo Ministério Público que atua no TCU. “Com efeito, o governo, de um lado, afrouxa a fiscalização, e de outro, pressiona a destruição da natureza do Brasil”.

Quem destacou foi o subprocurador Lucas Furtado, destacando “o desinteresse por políticas que promovam o desenvolvimento econômico sustentável das populações que interagem com a floresta e os demais biomas brasileiros”.

Por fim, é justo um registro que Lucas Furtado fez: “Se o panorama é de descalabro ambiental e se o papel do TCU é avaliar a conduta dos responsáveis pela área, cabe ressalvar, por dever de justiça, a atuação do vice-presidente, general Hamilton Mourão”.

O poetinha

(foto: Arquivo Gilda Mattoso)
(foto: Arquivo Gilda Mattoso)

Ah! Se todos fossem iguais a ele, a poesia ajudaria a ensinar aqueles que, atualmente, usam as redes sociais recheadas de bobagens e que não eram do tempo dele. As canções falam por si: Garota de Ipanema, Chega de saudade, Eu sei que vou te amar, Aquarela, Tarde em Itapoã e Regra três.  Berimbau, Samba da bênção e Pra que chorar. Gente humilde, Se todos fossem iguais a você, Pela luz dos olhos teus… Marcus Vinícius da Cruz de Melo Moraes (foto) nasceu no Rio de Janeiro, em 19 de outubro de 1913, e nos deixou há 40 anos, em 9 de julho de 1980.

Todos juntos

Reforma da Previdência é adiada. Seminário para discussão das mudanças no regime previdenciário antes foi aprovado. E o detalhe é que a decisão foi tomada tanto pela oposição quanto pela base de sustentação da base governista. E foi pluripartidária. Basta a lista: Professor Irineu (PSL), Betão (PT), Doutor Jean Freire (PT), as deputadas Laura Serrano (Novo) e Ana Paula Siqueira (Rede), e ainda André Quintão (PT) e Sargento Rodrigues (PTB). Já o pedido de manutenção do estado de calamidade em Minas Gerais até 31 de dezembro, feito pelo governador Romeu Zema (Novo), foi recebido e lido em Plenário. Já quando será votado…

Nenhum veto!

Finalmente, uma notícia realmente saudável vinda do presidente Jair Messias Bolsonaro (sem partido). O projeto foi sancionado integralmente e publicado no Diário Oficial da União (DOU). É oficial. A Lei 14.023, de 8 de julho de 2020, “altera a Lei 13.979, de 6 de fevereiro de 2020, para determinar a adoção de medidas imediatas que preservem a saúde e a vida de todos os profissionais considerados essenciais ao controle de doenças e à manutenção da ordem pública, durante a emergência de saúde pública decorrente do coronavírus responsável pelo surto de 2019”.

Elogio do chefe

“Vamos continuar organizados e fechando o cerco contra sonegadores contumazes, que contribuem para o agravamento da crise financeira do estado e provocam forte desequilíbrio na economia, por meio de indesejável concorrência desleal.” ‘Direto com o dono’ é o nome da operação elogiada pelo procurador-geral de Justiça, Antônio Sérgio Tonet , diante da atuação conjunta entre o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), a Secretaria de Fazenda e a Polícia Civil, em mais uma ação de combate à sonegação fiscal e crimes de lavagem de dinheiro.

Doutor do PP

“Se não trabalharmos com diagnóstico e tratamento precoces, tomografia e controle de saturação em massa, vamos direcionar todos os monitores e respiradores do Brasil para Minas Gerais e para os estados do Sul. Continuaremos com o número de óbitos altíssimo, que foi a forma como essa pandemia foi conduzida até agora.” A frase é do coordenador da comissão externa da Câmara dos Deputados, que acompanha as ações de combate à COVID-19. Como tudo na política, por bem ou mal, passa por Minas, fica o registro do carioca Dr. Luiz Antônio Teixeira Jr. (PP-RJ).

Pinga fogo

Em tempo, ainda sobre o poetinha: Vinícius de Moraes era filho de um funcionário público, violonista amador, e de uma pianista – igualmente amadora. O interesse dele pela poesia manifestou-se desde cedo. A música veio do coral da igreja.

No Beco das Garrafas, em Copacabana, o uísque rolava solto com Lúcio Costa , pioneiro da arquitetura modernista, que ganhou fama mundo afora por causa do projeto do Plano Piloto de Brasília. Portinari, Oscar Niemeyer, Rubem Braga… A turma boêmia era da pesada.

Ainda sobre o procurador Sérgio Tonet: a investigação ganhou força após decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), de novembro de 2019, que definiu como crime a apropriação de ICMS cobrado de consumidores em geral e não repassados ao estado. E tem mais.

O montante da sonegação chega a R$ 400 milhões, mas a rede tem dívidas vultosas em quase todos os estados onde possui filiais. A operação conta com a participação de três promotores de Justiça, 60 auditores-fiscais da Receita Estadual, quatro delegados e 55 investigadores da Polícia Civil.

Diante de tudo isso, basta por hoje, né? Afinal, hoje é sexta-feira, o fim de semana está chegando. Bom dia a todos!
 

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade