Publicidade

Estado de Minas EM DIA COM A POLíTICA

Dinheiro da Petrobras vai para a Amazônia

Acordo libera recursos para combater queimadas, que Bolsonaro atribui ao clima quente


postado em 06/09/2019 06:00 / atualizado em 06/09/2019 08:16

Procuradora-geral, Raquel Dodge considera defesa da Amazônia 'patrimônio brasileiro'(foto: José Cruz/ABR - 20/9/17)
Procuradora-geral, Raquel Dodge considera defesa da Amazônia 'patrimônio brasileiro' (foto: José Cruz/ABR - 20/9/17)

Mais, mais, mais. É lá na Amazônia. Teve mais chuvas, mais queimadas e mais alertas de desmatamento este ano, precisamente de janeiro a agosto. Uai? Não era o contrário? Bolsonaro responde: “Nos anos mais chuvosos, as queimadas são menos intensas. Em anos mais quentes, como neste 2019, elas ocorrem com maior frequência”. Não teve ruralista colocando fogo por lá não?

Bem, o que teve de fato foi acordo com a Petrobras e o montante chega a R$ 1 bilhão. A dinheirama toda veio de gente importante, a começar do ministro do Supremo Tribunal Federal (MPF), Alexandre de Moraes, passando pelo presidente do Senado e do Congresso, senador Davi Alcolumbre (DEM-AP) e pelo advogado-geral da União, André Mendonça. Os três poderes reunidos e capitaneados pela procuradora-geral da República (PGR), Raquel Dodge.

E foi Raquel Dodge quem detalhou: “A defesa da Amazônia, que é patrimônio brasileiro, é muito importante e ela agora conta com recursos que irão para a área da agricultura, para assistência técnica, para regularização fundiária, para prevenção de queimadas e também para a regeneração da floresta”.

Falar nisso, o Ministério Público Federal (MPF), provavelmente, agora já tem nome e sobrenome para comandá-lo. Será Augusto Aras, que foi indicado ontem por Jair Bolsonaro (PSL). E foi ele próprio quem deu a notícia de sua indicação.

Por aqui, Roberto Campos Neto prevê a virada da curva no quarto trimestre. É, pode ser, mais para o fim do ano, mas o Natal não promete muito otimismo



Como não poderia deixar de ser, Aras é um conservador, como ele próprio assim se define. Já havia sinais de sua indicação, já que o indicado esteve, pelo menos, três vezes em conversas palacianas fora de agenda com o presidente.

Augusto Aras precisa, no entanto, ainda passar por sabatina e votação no Senado para assumir o cargo. A aprovação de seu nome para o cargo de procurador-geral depende da maioria absoluta dos senadores em votação no plenário. Mas sempre é praticamente certa, daí o provavelmente citado.

“Estamos passando pelo pior momento”. Calma, gente nada a ver com a Amazônia e muito menos da indicação do futuro procurador-geral da República. A frase é do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, tratando do cenário internacional e diante das previsões de baixo crescimento econômico em países importantes para a economia brasileira.

Por aqui, Roberto Campos Neto prevê a virada da curva no quarto trimestre. É, pode ser, mais para o fim do ano, mas o Natal não promete muito otimismo. Muitas famílias vão preferir colocar as contas, que em muitos casos andam no vermelho, em dia. Uma lembrancinha, no entanto, sempre haverá. O jeito é torcer. Ou rezar.

Não aterrissou

A irritação com o KC-390. “Atenção. Ontem (quarta-feira) estive em Goiânia o evento, na verdade, foi em Anápolis recebendo o KC-390, orgulho da empresa aeronáutica brasileira. Nem uma linha foi publicada na capa dos jornais. À tarde criamos atenção para mães do zika vírus. Como vocês só querem notícia ruim, vão arranjar em outro lugar, não vai ser comigo”. Quem reclamou ontem foi o presidente Jair Bolsonaro (PSL), que, ao contrário do que faz costumeiramente, se limitou à declaração e, ao contrário do que fez, nada mais falou à imprensa na saída do Palácio da Alvorada.

Não descarrilou

Os integrantes da Comissão Extraordinária Pró-Ferrovias Mineiras, capitaneados pelo seu presidente, deputado João Leite (PSDB), comemoraram ontem a vitória obtida no Senado. O presidente, senador Davi Alcolumbre (DEM), determinou não pautar em plenário o Projeto de Lei 26/2018, aquele que exclui a necessidade, em propriedades situadas em perímetros urbanos, da faixa onde não podem receber construções de 15 metros de cada lado de trechos rodoviários e ferroviários que elas atravessam. A proposta foi arquivada, como queriam os deputados. De acordo com João Leite, caso contrário, iria de fato prejudicar a retomada das ferrovias em Minas Gerais.

Estacionamento

Mantenha o pisca-alerta ligado. É isso mesmo o que propõe a Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara dos Deputados, mas faz sentido. Em projeto que tramita em caráter terminativo, aquele que não precisa ser aprovado em plenário se ninguém encrencar, depois de passar também pelas comissões de Viação e Transportes; e de Constituição e Justiça e de Cidadania. O relator é Jorge Braz (Republicanos-RJ). Para que fique claro, é o que permite aos clientes estacionar nas proximidades de farmácias e drogarias, desde que em vagas especificamente definidas e sinalizadas.

Deselegância

(foto: Bertrand GUAY/AFP)
(foto: Bertrand GUAY/AFP)

“É tudo verdade. O presidente Jair Bolsonaro falou mesmo, e é verdade mesmo, a mulher é feia mesmo”. A frase extremamente deselegante é do ministro da Economia, Paulo Guedes, se referindo à Brigitte Macron, a primeira-dama francesa, esposa de Emmanuel Macron (foto). A declaração foi ontem  em Fortaleza (CE), no seminário “A Nova Economia do Brasil – o impacto para a região Nordeste”. Mesmo com a diferença de idade que existe entre a primeira-dama e o presidente francês, foi mais uma nada bela falta de educação.

Aceleração

O Regimento fala das cinco sessões. Alguns senadores ontem falaram que no Regimento diz dias úteis. O registro é do presidente do Senado, Davi Alcolumbre que acrescenta haver divergências sobre qual critério deve ser usado para contar o prazo previsto no Regimento Interno do Senado de discussão em plenário antes da votação. É claro que se trata da reforma da Previdência, mas diferença pouca é bobagem. O próprio Davi relata: “Alguns senadores ainda não estão convencidos disso, mas a gente vai conversar com eles para acelerar esse processo.”

Pinga-fogo

Bivoltagem. A proposta era do então deputado e agora senador Reguffe, que continua sem partido, e obrigava fabricantes e importadores de eletrodomésticos e eletroeletrônicos a colocar nos aparelhos sistemas de voltagem automático para possibilitar o funcionamento entre 110 e 220 volts.

De nada adiantou. Foi rejeitado e não chegou e nem deve ir ao plenário. Quem recomendou foi o deputado Alexis Fonteyne (Novo-SP). A justificativa foi “impacto financeiro para os fabricantes de eletroeletrônicos e de eletrodomésticos”. Ficamos assim.

Já que falamos do KC-390, mais um registro aéreo. A Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) aprovou ontem a entrada da companhia aérea JetSmart no país. Se ela promete um low cost, leia-se preço reduzido, melhor esperar para ver e crer.

Aliás, aéreas regionais estão crescendo no país. Diante disso, sem conferir direitinho, o melhor a fazer é encerrar por hoje. Nenhuma programação à vista para decolar em um dos aviões de baixo custo.

Só que antes tem mais um registro. São Paulo recebe a primeira edição da Brasil Futebol Expo. Já que ela reúne técnicos, ex-jogadores, especialistas em direito e medicina esportiva e dirigentes brasileiros e do exterior, só resta lembrar, política e futebol não se discute.
 


Publicidade