Publicidade

Estado de Minas

Em dia com a política


postado em 20/07/2019 04:00




(foto: Sidney Lopes/EM/D.A Press %u2013 23/3/19 )
(foto: Sidney Lopes/EM/D.A Press %u2013 23/3/19 )

“Prioridade absoluta”

Ao liberar um trecho de 15 quilômetros da BR-381, na altura do município de Antonio Dias, no Vale do Rio Doce, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, garantiu ontem aos mineiros que a obra é prioridade do governo federal. “Eu tenho certeza de que essa execução vai salvar vidas e vai ser importante para a economia da região. A BR-381 é uma prioridade absoluta para o governo do presidente Bolsonaro”, afirmou. Falta agora o ministro combinar com a pasta da Economia e conseguir aumentar a liberação de verbas para a obra. Até 16 de julho, apenas 8% do total previsto no orçamento de 2019 para a duplicação tinha sido executado. A duplicação da BR-381 também era considerada prioridade nos governos dos ex-presidentes Michel Temer e Dilma Rousseff.

Santa polêmica

A decisão de cancelar um evento chamado Coroação da Nossa Senhora das Travestis, que estava agendado na Parada Cultural de BH, não foi a primeira polêmica relacionada a assuntos religiosos em que se envolveu o prefeito Alexandre Kalil. Em 2001, dirigentes do Galo mandaram pintar de preto e branco a imagem da Nossa Senhora das Graças (padroeira do clube) que ficava na sede de Lourdes. A santa tinha um manto azul que desagradava à direção do time alvinegro. Na época o presidente do Galo era Nélio Brant e Kalil era o presidente do Conselho Deliberativo do clube. Coincidência ou não, logo depois que a imagem foi pintada, o Galo passou por uma fase péssima nos gramados. Anos depois as cores originais foram restauradas e, coincidência ou não, a fase do time melhorou e vieram alguns títulos. Hoje, a imagem da Nossa Senhora está na Cidade do Galo.

(foto: Vinícius Loures/Câmara dos Deputados %u2013 16/4/19)
(foto: Vinícius Loures/Câmara dos Deputados %u2013 16/4/19)

Sem licença

O projeto da Nova Lei Geral do Licenciamento Ambiental, relatado pelo deputado Kim Kataguiri - foto (DEM-SP), acaba com a necessidade de qualquer tipo de licenciamento ambiental para execução de obras em estradas do país. Hoje, ações de melhoria, ampliação e duplicação de estradas precisam requerer o licenciamento ambiental. Se consideradas apenas as estradas federais, o Ibama tem atualmente mais de 400 estradas em alguma fase de licenciamento. O novo texto, porém, elimina essa exigência, até mesmo para estradas que, eventualmente, nunca foram licenciadas.

Até na Amazônia

O assunto é controverso, porque libera todas as estradas não concluídas, por exemplo, na região amazônica. É o caso da BR-319, que liga Porto Velho (RO) a Manaus (AM), ou ainda de outras rodovias que não receberam pavimentação, como a BR-242, no Mato Grosso. O texto relatado por Kim Kataguiri, que está em sua terceira versão, ficará duas semanas em consulta pública, a partir de hoje. Na primeira semana de agosto, quando acaba o recesso parlamentar, o texto já deverá ir direto a plenário, sem passar por discussões em comissões. O projeto de lei também reduz os prazos para que órgãos ambientais, como Ibama e secretarias municipais e estaduais de Meio Ambiente, liberem suas licenças.

(foto: DIDA SAMPAIO/ESTADÃO CONTEÚDO %u2013 23/11/18)
(foto: DIDA SAMPAIO/ESTADÃO CONTEÚDO %u2013 23/11/18)

Café contestado

O vereador Carlos Bolsonaro (foto) usou o Twitter ontem para questionar o presidente Jair Bolsonaro (PSL), por conversar semanalmente com jornalistas. A mensagem foi postada pouco depois de a mídia destacar que, na mesa em que tomava café com correspondentes estrangeiros, o presidente disse que “falar que se passa fome no Brasil é uma grande mentira”. O filho zero dois do presidente afirmou saber “exatamente o que acontece e por quem”, mas que não poderia falar nada porque seria fogo amigo. “Por que o presidente insiste no tal café da manhã semanal com 'jornalistas'? Absolutamente tudo que diz é tirado do contexto para prejudicá-lo”, disse.

Em busca de prefeitos

O Partido Novo anunciou que fará processo seletivo para ter candidato a prefeito em mais quatro cidades pelo país. Manaus (AM), Teresina (PI), Cuiabá (MT) e Petrópolis (RJ) se juntam a outras 22 cidades que já haviam iniciado as inscrições. Belo Horizonte está entre elas. “O Novo procura por pessoas que tenham capacidade e experiência para uma gestão pública de excelência, comprometidas com os valores e ideais do partido e dispostas a atuar na área pública”, informa a legenda. Além dos predicados, os interessados também precisam desembolsar. Na 1ª fase é necessário o preenchimento de um formulário. Mas, para a segunda etapa, é preciso se filiar e pagar uma taxa de R$ 4 mil. O valor, por si só, já limita a participação de muitos candidatos ou candidatas.

Diplomas

A Associação Médica Brasileira (AMB) vai recorrer à Justiça para barrar a proposta do Ministério da Educação (MEC) de flexibilizar a revalidação de diplomas de egressos de faculdades de medicina no exterior. Segundo a AMB, o ministério pretende incluir na portaria sobre o tema a permissão para que faculdades particulares se responsabilizem por parte do processo, o que, na avaliação da entidade, vai criar um verdadeiro balcão de negócios, a exemplo do ocorrido nos últimos governos. "A medida é ilegal, fere a Lei de Diretrizes e Bases da Educação e não traz nenhum benefício ao processo, à medicina ou ao país. Pelo contrário, implica sérios riscos para a população. Quem lucra são apenas os donos de faculdades particulares", avalia Diogo Leite Sampaio, vice-presidente da AMB.


Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade