Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Semana quebrada e armas e mais armas


postado em 19/06/2019 06:00 / atualizado em 28/06/2019 19:01

A safra de notícias, em uma semana quebrada pelo feriado de Corpus Christi de depois de amanhã, começa é com ela, diante da liberação de R$ 225,59 bilhões em crédito aos pequenos, médios e grandes produtores. O valor é um pouco maior do que na safra passada porque a agricultura familiar, o Pronaf, programa dirigido a ela, voltou ao ministério. São aqueles que têm os menores juros, 3% ao ano.

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) pegou carona no evento no Palácio do Planalto onde patrocinou a solenidade para o Lançamento do Plano Safra 2019/2020 e discursou. E foi nela que ele fez questão de registrar um apelo aos deputados e senadores para que não derrubem o decreto que facilitou a compra e o porte de armas. “Não deixem morrerem”, plantou diante de uma plateia que apoia. E, como não poderia deixar de ser, foi aplaudido.

Sem aplausos, a líder do governo no Congresso, a deputada Joice Hasselmann (PSL-SP), mostrou que não estava tão otimista assim. Acho que “uma boa conversa a gente pode resolver. Se nós não conseguirmos aprovar via decreto, o governo terá que atuar em um plano B”. Pelo jeito, vai precisar mesmo. A frase expressa o temor de não ser aprovado.

A safra de notícias, no entanto, pouco tem consonância com tiros e portes de armas. E muito menos questões agrícolas. O que está no meio do caminho são as notícias que chegam do The Intercept, aquela que envolve o ministro da Justiça e da Segurança Pública, Sérgio Moro. O fato, no entanto, foi mais educado.

Hoje, ele será sabatinado no Senado para esclarecer, ou tentar esclarecer, já que os senadores devem pegar em seu pé, sobre as mensagens que trocou com o procurador da República Deltan Dallagnol. Presidente da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), Simone Tebet (MDB-MS).

Ela explicou que as regras de condução da sabatina foram definidas se acordo com as normas regimentais. E os senadores que preferirem ser os primeiros da fila terão de acordar cedo. A lista de inscrição dos senadores será aberta às 9h. Afinal, o próprio Sérgio Moro será o primeiro a falar. Terá meia hora para dar as suas explicações. Antes de ser apertado, que fique claro.

Voltando às armas, a expectativa dos defensores da medida das armas teve que ser diplomática. Antes de iniciar a discussão que monopoliza a atenção dos brasileiros, os senadores tiveram que votar as indicações de diplomatas para representações do Brasil no exterior. Estas sim, com raríssimas exceções, são aprovadas com facilidade.

Sem descarrilar
(foto: Wikipédia)
(foto: Wikipédia)

O presidente da Assembleia Legislativa (ALMG), Agostinho Patrus (PV), solicitou ontem audiência com a ministra Cármen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal (STF), relatora da ação direta de inconstitucionalidade (ADI 5991). A ação questiona a Lei 13448/2017 que autoriza a antecipação da renovação das concessões ferroviárias com o financiamento cruzado. É aquele permitindo que o dinheiro referente às outorgas dos trechos ferroviários em Minas Gerais vá para outros Estados. A ação foi impetrada pelo Procuradoria Geral da República (PGR) com a Advogacia Geral do Estado (AGE), entrando como amicus curiae. Para o deputado João Leite ( foto) (PSDB), presidente da Comissão Extraordinária Pró-Ferrovias Mineiras na Assembleia, a expectativa é que a ministra garanta “o princípio federativo e que o dinheiro que Minas Gerais tem direito fique em nosso estado”.

Entrosamento
“Está sendo bom para que possamos ouvir mais o governo, e o governo fique sabendo mais sobre a Assembleia e consequentemente quem ganha é o povo com a abertura deste diálogo. Agora está ocorrendo este encontro com muito respeito e entrosamento”. A declaração é do deputado estadual Antonio Carlos Arantes (PSDB), ao lembrar que os deputados passaram muito tempo tentando a aproximação com o governo.
.
E acrescenta:
Antes de detalhar: quem ouve mais, acerta mais ou erra menos”. Tudo isso diante da “Assembleia Fiscaliza”, evento que ocorre há pouco mais de uma semana na Assembleia Legislativa (ALMG) por iniciativa do presidente da Casa, Agostinho Patrus, (PV). Para lembrar, o “Assembleia Fiscaliza” é um instrumento na Casa criado para que o governo faça a devida prestação de suas contas do primeiro quadrimestre. O detalhe é que a devida prestação tem que ser encerrada hoje.

A proteção
Uldurico Alencar Pinto (Pros-BA), profissão estudante, escolaridade superior incompleto. A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) da Câmara dos Deputados aprovou, ontem, projeto de lei do deputado Uldurico Junior (Pros-BA), que determina a proteção das pessoas que trabalham em arquivos, bibliotecas, museus e centros de documentação e memória. A proposta já passou também pela Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público. Por tramitar em caráter conclusivo, o texto seguirá para o Senado, a menos que haja recurso para que seja votado também pelo plenário da Câmara

Por fim…
Tem ainda mais o ministro Sérgio Moro no noticiário, só que desta vez para almoçar com a bancada ruralista, os deputados e deputadas que integram a Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA). Obviamente, do jeito que andam as coisas para ele, Moro saiu do evento devidamente calado, sem falar com a imprensa. Quem falou o presidente da FPA, deputado Alceu Moreira (MDB-RS). O emedebista tucanou: “O evento estava marcado há 45 dias”. Ah! Bom!

PINGAFOGO

A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) não desiste. Interceptou logo as mensagens para que ele possa acabar em casa a sua sentença. O trocadilho é que seus advogados usam o site The Intercept, que já dispensa apresentação.

Os advogados de Lula insistem em reverter a condenação do triplex, aquele do Guarujá, tantas vezes já citado. A defesa insiste em reverter o fato, mesmo com o ex-presidente já tenha rejeitado o seu recurso pela quinta turma do tribunal.

Pegou pesado o leitor Paolo Luce, de Belo Horizonte. “Prezado Baptista, socialista idiota é um pleonasmo clássico, pétrio. Qualquer aumento de custo em qualquer atividade é repassado ao consumidor, cliente, cidadão. Que sempre paga a conta.

E acrescentou ainda diante do registro na coluna sobre o deputado Júlio Delgado (PSB-MG) fazendo populismo para seus pares (igualmente obtusos) e seus pobres eleitores. Seita dos Idiotas. Viva o país do atraso. Paolo Luce, Belo Horizonte.

Enfim, já basta por hoje. Chega de plano B para as notícias de ontem. Melhor esperar as eventuais surpresas que surjam no meio do caminho na véspera do feriadão de amanhã. Como é Corpus Christi já basta.
 


Publicidade