Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Bob Fields Neto aqui e Bolsonaro em Dallas

Já que Jair Bolsonaro (PSL) fala em mídia, a grande notícia é que o Brasil, em algumas horas, terá três presidentes da República. É isso mesmo. Em poucas horas...


postado em 17/05/2019 06:00 / atualizado em 17/05/2019 08:38

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel(foto: Carolina Antunes/PR)
O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (foto: Carolina Antunes/PR)

“Quem tem dinheiro, espera. O investidor esperou, esperou e ainda está esperando o momento de investir”. I’m waiting too, já que a frase é de Bob Fields Grandson, o presidente do Banco Central (BC), para parar de brincadeira, Roberto Campos Neto. Como a coluna é de política, o registro fica mais explícito: “A gente acha que a recuperação da atividade econômica foi parcialmente interrompida. As eleições acabaram sendo mais polarizadas”.

Depois, o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, tratou um pouco de sua praia de fato propriamente dita. E falou em economês citando spreads, compulsórios elevados, micromedidas, equacionamento fiscal e por aí vai.

Enquanto isso, em Dallas, no Texas, o presidente Jair Bolsonaro (PSL), já pagou o “mico” do ano. E ele é internacional. Foi em Dallas, nos Estados Unidos. Era lá que ele oficialmente seria recebido pelo ex-presidente norte-americano, o republicano George Bush, que foi educado, como não poderia deixar de ser.

Seu assessor de imprensa, Freddy Ford, admitindo que não era oficial, teve a devida cortesia de avisar que George Bush, claro, “concordou em se encontrar com o presidente Bolsonaro em seu escritório quando soube de sua visita à cidade – uma cortesia que ele regularmente estende aos dignitários estrangeiros quando estão nesta região”.

Melhor deixar para lá, afinal, his son, o seu filho senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) teve o seu sigilo bancário quebrado pela Justiça. Só que, Papai Bolsonaro chamou para si o problema. “Querem me atingir”, respondeu sobre o episódio.

“Querem quebrar meu sigilo, eu sei que tem que ter um fato, mas eu abro o meu sigilo. Não vão me pegar”, acrescentou. E como a melhor defesa, mesmo que a do filho, é o ataque, cuidou de seguir o chavão já repetido aos repórteres das “grandes setores da mídia, ao qual vocês integram...”

Já que Bolsonaro fala em mídia, a grande notícia é que o Brasil, em algumas horas, terá três presidentes da República. É isso mesmo. O vice-presidente, General Hamilton Mourão (PRTB), passou a faixa presidencial ao presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), antes mesmo de sair do país, já que fez escala em Pernambuco. E Maia fica até hoje de manhãzinha, quando Bolsonaro já estará de volta.

Sendo assim, melhor desembarcar de uma vez, já que a linha de sucessão presidencial já estará hoje devidamente retomada pelo titular.

Informação oficial
O vice-governador Paulo Brant participa hoje, às 9h, na Cidade Administrativa, da abertura do seminário “Auditoria Pública Preventiva: gerando resultado para a gestão”, organizado pela Controladoria-Geral do Estado (CGE), em parceria com o Conselho Nacional de Controle Interno, com o Banco Mundial e com a Controladoria-Geral do Município de Belo Horizonte. O evento tem como objetivo fortalecer o controle interno no país, em especial a função de auditoria interna, e faz parte das ações da CGE para implementação do Modelo de Capacidade de Auditoria Interna (IA-CM).

A piada pronta
Tem ainda: o IA-CM: visa elevar o grau de maturidade da atividade e da instituição, buscando uma atuação mais preventiva, como elemento de governança para a gestão e para entregas de valor pela Administração Pública. Agora vem o detalhe da piada: “Obs.: O vice-governador não dará entrevistas, pois terá de deixar o evento às 9h30, devido a outro compromisso”.

Manda matar
Parlamentar do Rio de Janeiro prefere não ser identificado, mas trata como “descontrolado” o governador Wilson Witzel (PSC) que de cristão nada tem. Muito antes pelo contrário, deu ordem à polícia de atirar sem se importar com os moradores de favelas. “Estão matando mesmo”, diz ele, ressaltando o anonimato. Ao contrário do que fez a presidente da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia do Rio (Alerj), deputada Renata Souza (Psol). Ela já denunciou o caso de Witzel até na Organização das Nações Unidas (ONU). De acordo com ela, o governador tem gravado em vídeos, em helicóptero, tiros de atiradores de elite que estavam junto com ele.

O relator
“É um acordo de grande relevância, que inclusive está em vigor desde 1989. Permite que a patente de um país seja registrada nos demais que aderem ao Protocolo. Portanto, é de sumo interesse para a indústria nacional, um significativo avanço no ambiente de negócios do nosso país, ao promover mais segurança jurídica para a atividade empresarial, para as melhores práticas internacionais”. É trecho aprovado ontem na Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE) do Senado, que foi relatado pelo senador Antonio Anastasia (PSDB-MG).

Pizza gelada
“A esquerda tomou e infiltrou, não só na imprensa, como as escolas até de ensino médio”. A frase é do presidente da República Federativa do Brasil, Jair Bolsonaro (PSL), ao receber o prêmio “Personalidade do Ano” da Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos em Dallas. E mal-educado, lamentou não ter recebido a honraria em Nova York. Ô Tadinho! Só que tem mais. Ao tratar dos protestos, ele classificou os manifestantes como “idiotas úteis” e “massa de manobra”. Melhor então pegar uma massa para fazer uma pizza fria para ele, sem orégano e sem azeite.

PINGAFOGO

Ele deixou o Senado, mas continua como presidente do MDB. É o ex-senador Romero Jucá (RR) que volta a ser notícia, só que, desta vez, não é no Congresso. Vem do Judiciário por causa da delação premiada firmada pela Odebrecht.

A acusação é que ele teria recebido uma parcela de R$ 4 milhões e depois mais uma de R$ 1 milhão. Tudo para favorecer a Odebrecht em duas medidas provisórias envolvendo Impostos sobre Produtos Industrializados (IPI). Que foram burlados, óbvio.

A hora já está marcada. É até às 16h de hoje. Mas ele deve comparecer. Trata-se do ex-todo-poderoso ministro José Dirceu. Se foi guerrilheiro na época da ditadura, ele nem deve ficar tão desconsolado assim com a nova prisão.

Vale ainda o registro de que Zé Dirceu deve se apresentar em Curitiba, na 13ª Vara de Justiça aquela que cuida da Operação Lava-Jato da Polícia Federal (PF) em conjunto com o Ministério Público Federal (MPF). Dirceu já sabe o caminho direitinho. Se não conseguir algum jeito de escapar.

Diante de tudo isso, o jeito é ficar atento para ver se ele vai tentar ir a Cuba, onde recebeu treinamento de guerrilha. Melhor esperar, amanhã todo mundo ficará sabendo o que aconteceu. Sendo assim, até lá.

 

 


Publicidade