Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas Coluna

Criatividade dos bandidos está em alta com golpes profissionais

Clientes de banco com atendimento personalizado têm caído num golpe em que cartão e papelaria de luxo são falsificados


16/06/2021 04:00 - atualizado 15/06/2021 19:47

Montagem de cartão e papelaria do Itaú Personnalité tem feito clientes do banco caírem em golpe(foto: Reprodução)
Montagem de cartão e papelaria do Itaú Personnalité tem feito clientes do banco caírem em golpe (foto: Reprodução)

Na terça-feira da semana passada (08/06), falei aqui sobre crimes na internet, dando dicas de segurança baseada em palestra de um advogado especialista. Achei que ficaria um bom tempo sem tocar no assunto, mas, infelizmente, a criatividade dos bandidos é tão grande que a cada dia surge um golpe novo e mais profissional ainda. Não podemos nos calar, temos que divulgar para alertar os leitores, porque fiquei completamente chocada com dois novos golpes que tomei conhecimento recentemente.

O primeiro, cuja vítima foi Gutemberg Fonseca, é o seguinte: uma moça muito educada e preparada liga para a pessoa, do DDD 61, que é de Brasília, dizendo ser do Ministério de Saúde e que precisa fazer cinco perguntas rápidas para ajudar no combate à COVID-19. Perguntas do tipo: se já pegou COVID, se já teve contato com alguém que já pegou, etc. Depois, ela diz que enviou pelo SMS o número do protocolo e pede para informar a ela o número. Ele estranhou e pediu que ela dissesse o número do protocolo que ele confirmaria se estava correto. Ela insistiu, ele negou e ela bateu o telefone na cara dele. Os seis números que ela enviou dizendo ser protocolo, na verdade, eram um código que clona seu WhatsApp para pedir dinheiro aos amigos em seu nome. Fique atento.

O segundo golpe é mais profissional ainda, e assustador, porque ninguém imagina que seja falso. Clientes do Banco Itaú Personalité têm recebido um cartão de crédito do modelo novo – de aproximação – com toda a papelaria oficial do banco, carta em papel timbrado, folder com todas as vantagens do cartão, em envelope de luxo, papel duro, acetinado. O cartão vem com o aviso para desbloquear no aplicativo do banco. E vem com um aviso para usar o cartão pela primeira vez com chip e senha para desbloquear a função aproximação.

Quem denunciou foi uma amiga de São Paulo. O marido recebeu o tal cartão e ligou para sua gerente do banco para saber que cartão era aquele, se tinha anuidade, acreditando totalmente, porque tudo de excelente qualidade, dentro do padrão do banco, do qual é cliente. Qual não foi a surpresa quando ouviu que se tratava de fraude, e que estava acontecendo muito em São Paulo, já começou no Rio de Janeiro, e parece que já deu até no “Fantástico”.

Eles não assistem ao programa e tenho que confessar que eu também não. Mesmo assim, este tipo de coisa tem que ser denunciada o maior número de vezes, em mais canais de divulgação possível, por isso, apesar de já ter falado na terça-feira sobre golpes na internet, achei de extrema importância voltar ao assunto ainda esta semana.

Sinceramente, de todos os correntistas que receberem o cartão, quantos vão ligar para o banco para saber sobre ele? Acredito que uma minoria. A grande maioria pensará que se trata de uma substituição por data de validade, ou por mudança de nível etc., e cairá no golpe.

O pior é que nem o banco nem a operadora do cartão informam sobre o golpe, e depois, provavelmente, se recusarão a assumir o prejuízo. Digo isso porque uma pessoa muito chegada a mim foi vítima de um golpe no Itaú e eles disseram, em outras palavras, que a culpa era dela. Vou explicar. Ela recebeu um SMS do Itaú dizendo que uma transferência havia sido feita da conta dela e se não reconhecesse a operação deveria digitar o código enviado. Antes mesmo de ela digitar, recebeu um telefonema de uma gerente do banco – de um número registrado na agenda de contatos dela como Itaú Personalité.

Conversou tudo, disse que não reconhecia tal transação financeira e a gerente disse para ela digitar o código. Ela digitou e saíram mais duas transferências seguidas da conta dela. Porém, ela é desconfiada, antes mesmo de ver as outras transferências, ligou para sua gerente e contou tudo. A gerente disse que era golpe, conseguiu cancelar as duas últimas operações. Levou o caso para o setor de fraudes do banco e eles disseram que a culpa era da cliente, porque o golpe é muito divulgado. Pode uma coisa dessas? Claro que ela entrou na Justiça, já ganhou em primeira instância, o banco recorreu. Absurdo total, vamos ver como será o desfecho.

(Isabela Teixeira da Costa/Interina)







*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade