Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas

Japonês Tomo Koizumi cria para a grife italiana Emilio Pucci

Coleção será apresentada na Semana de Moda de Milão, no próximo dia 20


14/09/2020 04:00

Sempre tive uma grande fascinação pelas roupas do italiano Emilio Pucci, que eram o auge da elegância no fim dos anos 1960, início dos 70. Pesava nisso o custo de cada modelo, que chegava aqui como contrabando, porque não era permitida a importação de moda, e a sensação que as mulheres faziam ao se apresentar em uma festa com um Pucci.

Havia de tudo um pouco, os pijamas, as modelagens que simulavam um longo, mas era a modelagem inteligente do tecido, para formar movimento, os chemises, as camisas e, depois de muito tempo, até calcinhas e sutiãs. O italiano criava tudo que as mulheres podiam querer: estruturas que se adaptavam a qualquer corpo, tecido que era um toque de sonho, de tão macio, cores e estampas deslumbrantes.

A moda foi mudando e, com a chegada das minissaias de Mary Quant e outras grifes, o italiano foi caindo no esquecimento – ou melhor dizendo, no consumo. Há uns dois ou três anos, está de volta, com novas coleções, novas estampas, mas sempre mantendo aquela tradição de usar um jérsei maravilhoso. Agora, acaba de voltar com nova proposta, que joga para o alto toda a sua tradição de elegância com bom gosto.

Está tentando novos caminhos para reforçar sua marca, que é importante no segmento italiano. Após o sucesso de Koché x Pucci, a marca convidou o designer japonês Tomo Koizumi para criar uma coleção cápsula exclusiva para a primavera/verão 2021. A cápsula Tomo Koizumi x Pucci será apresentada durante o desfile primavera/verão 2021 da Emilio Pucci, com um curta-metragem a ser exibido durante a Semana de Moda de Milão, no próximo dia 26.

A collab é um diálogo entre o design clean e dinâmico de Emilio Pucci e as formas espetaculares de Koizumi. Ambos os lados estão unidos por sua paixão pelas cores, uma forte visão das mulheres e uma abordagem gráfica e ousada das silhuetas. O resultado é uma coleção cápsula que homenageia a união de universos criativos e traz à vida peças escultóricas feitas a mão, dando a Emilio Pucci um ar tridimensional inesperado. “Tomo Koizumi, um talento incrível e covencedor do prêmio LVMH em 2020, foi escolhido para interpretar a herança da Emilio Pucci. Tomo é uma espécie de mágico, que cruza sua bela técnica com uma visão fantasiosa e imaginosa da feminilidade. Em diálogo com a equipe de criação de Emilio Pucci, ele irá adicionar seu toque espetacular e divertido a essa coleção sofisticada e altamente feminina da SS21”, diz o time da Emilio Pucci.
Look da coleção Emílio Pucci Resort 2021(foto: Divulgação)
Look da coleção Emílio Pucci Resort 2021 (foto: Divulgação)

O estilista convidado está encantado com a oportunidade “Este é um sonho que se torna realidade. Sempre desejei criar uma collab junto com uma marca com um patrimônio tão rico como a Emilio Pucci. Foi um enorme prazer ter a oportunidade de me inspirar na beleza atemporal dos estilos do marquês Emilio Pucci e na harmonia perfeita das cores da marca”, diz Tomo Koizumi.

O marquês Emilio Pucci fundou a empresa que leva seu nome em 1947, tornando-se conhecido no mundo todo como o Príncipe das Estampas. Nascida como uma marca de roupas esportivas de luxo em Capri, ele se inspirou em paisagens naturais, arquitetura e culturas exóticas e criou estampas caleidoscópicas que causaram um eterno impacto. 

As criações de Emilio Pucci, que são uma mistura da exuberância italiana e formatos clean, celebram a cor, a liberdade de movimentos e um estilo de vida sofisticado não convencional. Em abril de 2000, foi formada uma aliança entre a família Emilio Pucci e a LVMH, com o grupo francês de luxo adquirindo 67% da empresa.

Pelas prévias da coleção, que estará nas lojas do mundo no início do próximo ano, o japonês não tem mesmo nada a ver com o italiano. Afinal, quem é ele? O interesse de Koizumi pela moda começou ao observar sua mãe, amante da moda, em sua infância. Seu encontro com o livro John Galliano for Dior, no início da adolescência, influenciou sua decisão de se tornar um designer de moda. 

Sua própria marca, Tomo Koizumi, foi lançada com sucesso em 2011, depois que o proprietário de uma boutique se interessou e escolheu um de seus vestidos, criado enquanto ainda era universitário.

Começou como estilista e assistente de figurinista. Seu primeiro desfile foi em fevereiro de 2019, em Nova York, com o apoio da famosa Katie Grand, Marc Jacobs e KCD Public Relations, Inc. Duas de suas peças foram exibidas no museu Metropolitan. O museu comprou uma de suas obras para sua coleção permanente. 

Cores vivas e silhuetas ousadas são a assinatura de suas coleções e trajes feitos sob encomenda, que as celebridades e artistas internacionais adoram. 

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade