Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas ANNA AOS DOMINGOS

SITE para varejo


postado em 24/05/2020 04:00

Jane Zarife, Adriana Silva, Bebela Vasconcellos e Claudia Bittencourt (foto: Tulio Santos/Esp. EM/D.A)
Jane Zarife, Adriana Silva, Bebela Vasconcellos e Claudia Bittencourt (foto: Tulio Santos/Esp. EM/D.A)


Com o fechamento dos showrooms do Prado até segunda ordem devido à pandemia, as irmãs Desirèe Bedran e Moema Menezes, donas das marcas Desirèe e Emme, lançaram, na semana passada, um site personalizado (www.desireeshop.com.br), disponibilizando alguns modelos especiais da coleção inverno’20 para venda no varejo. Mais jovem e arrojada, a Emme foi apresentada ao mercado na segunda semana de fevereiro e caiu nas graças dos lojistas. Com o site, Desirèe e Moema entram no universo on-line, recurso que cresce, a cada dia que passa, para viabilizar os negócios da moda

E-book 
na quarentena

Cientista apaixonada por seu trabalho, Dany Daian sempre gostou de escrever, mas nunca encontrou o tempo necessário, A oportunidade veio agora, durante a quarentena, quando ela concebeu o e-book A vida que vem depois, um relato emocionado sobre o que realmente importa quando a sociedade se vê passiva e inoperante acerca de sua própria vida e os contatos interpessoais são restritos simplesmente aos meios da tecnologia. Dany é filha dos consultores de moda Carlos e Thereza Daian.

Fitness 
com estilo

Giulia Petrocchi foi outra que aproveitou a quarentena para tirar do papel antigo projeto de lançar sua própria marca. A primeira coleção da Inner é composta por roupas fitness de alta qualidade e com muito estilo e também será vendida via site e Instagram.

JUNTOS
pelas crianças

Educadores de todo o mundo se uniram e escreveram um livro infantil para dar esperança às crianças e suas famílias durante a COVID-19. A obra, intitulada Esperança, onde está você?, conta a história de seis crianças, de diversas partes do mundo, que estão enfrentando o fechamento das escolas. O projeto é uma iniciativa da Lego Foundation, tem apoio da Fundação Lemann e foi escrito por dois professores premiados, Armand Doucet (Canadá) e Elisa Guerra (México). Muitos educadores voluntários em todo o mundo também se juntaram ao projeto, traduzindo o livro para aproximadamente 30 idiomas. O livro é gratuito, está disponível para download no Apple Books e no Google Play,  em PDF gratuito no www.hopewhereareyou.com, e impresso sob demanda por livrarias virtuais.

CONCURSO
de fotografia

O ócio dentro de casa pode ser criativo. A Aliança Francesa de Belo Horizonte lança o concurso fotográfico “O que meus olhos veem” (Ce que mes yeux voient) com o objetivo de estimular a criatividade e a interação (virtual) das pessoas em isolamento social. Os selecionados participarão de uma exposição on-line. As inscrições podem ser feitas gratuitamente até 31 de maio. São três categorias: paisagem da janela, objetos do cotidiano, e retratos. A ideia é que fotógrafos amadores participem, realizando registros do seu cotidiano, expressando sentimentos e visões das situações a partir da vivência dentro de casa. Cada pessoa pode se inscrever em até duas das três categorias, com uma foto em cada uma delas. A seleção será feita até 5 de junho e a exposição poderá ser acessada no site da instituição, entre 22 de junho e 31 de julho.
 
AJUDA
social

Dando continuidade ao projeto #SKAZISOCIAL, cada peça de roupa vendida em maio em sua loja virtual será revertida em 1kg de alimento não perecível, doado para a Casa de Acolhida Padre Eustáquio (Cape), entidade que abriga crianças e adolescentes de todo o estado de Minas Gerais em tratamento de câncer e doenças hematológicas na capital. Pensando no bem-estar e proteção de todos, a Skazi também está enviando máscaras com estampas exclusivas de 
presente para os clientes que compram on-line.

PRÊMIO NACIONAL
de arquitetura

Cícera Gontijo foi classificada como finalista por votação popular do 1º Troféu Metropolitano de Arquitetura e Design, na categoria Comercial corporativo, com o projeto da Agência Perfil Comunicação de Belo Horizonte. A agência fica em sede própria, no Bairro São Bento, e tem projeto arquitetônico de Sylvio Podestá. Ainda não foi divulgado quando sairá o resultado do juri técnico. Mesmo assim, vale os parabéns, já que se trata de concurso nacional com milhares de inscritos.

POR AÍ..

Nem bem a onda do coronavirus começou a baixar mundo afora, a Chanel anunciou aumento, em breve, nos preços do seus produtos. Antes que isso aconteça, longas filas se instalaram em suas lojas – principalmente na Ásia. E ainda tem gente acreditando em ‘mundo novo’ no pós-vírus.
 
 
MODA
pelo bem

Inspirados na música Andrà tutto bene, a Iorane criou o projeto Vai ficar tudo bem, para ajudar a Fraternidade sem Fronteiras. O objetivo principal é espalhar positividade. A primeira ação surge em resposta à pandemia de Covid-19, sustentada nos pilares música, arte, moda e responsabilidade social. “Essa será uma plataforma social permanente da Iorane, para propagação de mensagens de esperança e de dias melhores, bem como para a defesa de valores e da dignidade humana”, anuncia Gustavo Rabello, CEO da empresa. Convidaram a artista plástica Olivia Lambiasi para ilustrar a camiseta da campanha. Ela criou um coração com a mensagem título escrita em seis idiomas. 
O valor arrecadado com as vendas será revertido para a Fraternidade sem Fronteiras, que ajuda crianças e famílias carentes no Brasil e na África. Com a parceria de 53 ONGs, cestas básicas são distribuídas para 9 mil famílias e 36 mil pessoas em todos os estados do país. O projeto foi concebido junto à Cross Networking, agência especialista em unir marcas e pessoas e que, neste momento sensível, criou um hub de solidariedade – o Cross Solidário –, do qual a campanha faz parte. 
 
CULTURA
reflexos da pandemia

As tais lives com artistas, anunciadas como salvação da pátria da turma, na realidade estão virando problema no setor. Afinal, nem todos têm visibilidade suficiente para conseguir os patrocínios e bancar as transmissões pelas redes sociais. Distante dos famosos, existe um vasto contingente de artistas em grandes dificuldades. Para quem já conseguiu aprovação de renúncia fiscal ou outros incentivos, o risco agora é a queda no faturamento das empresas e, portanto, no repasse fiscal. Caso o volume financeiro arrecadado no período legal seja insuficiente, vários projetos irão porágua abaixo.
 
FAST-FASHION
oriente estrangulado

Com os especialistas afirmando que o setor de manufatura de roupas nunca passou por uma baixa como a atual em 100 anos, as regiões que vivem dessa  atividade estão desesperadas. Notadamente países do Oriente (destaque para o Sudeste Asiático), que atendem ao fast-fashion mundial, 
estão com produtos já fabricados, não pagos e já dispensados (sem promessa de pagamento) parados em estoques gigantescos. Como cerca de 97% do fast-fashion do planeta é vendido por apenas 20 empresas e a maioria delas virou as costas para os fornecedores, imaginem a quebradeira. 
Agora é rezar para a desova disso tudo não acontecer por aqui. 
 
AZUL
voando baixo

Na semana passada, falamos aqui sobre os problemas enfrentados por quem teve suas passagens aéreas adiadas por causa da pandemia da Covid-19. Pois parece que as dores de cabeça no assunto continuam fortes. A saber: no fim de semana passado, um grupo que embarcaria pela Azul para Portugal foi informado, já no aeroporto de Confins e com check-in realizado, de que o voo seria cancelado. Claro que houve tumulto e revolta. Teve passageira que veio do interior, perdeu dinheiro com a viagem e (assim como os demais) está exigindo ressarcimento dos seus gastos. Foram informados de que o embarque passou para 31 de maio. Se ocorrer.

MÁSCARAS
preço é tudo

A moda forçada das máscaras protetoras acabou gerando tanta controvérsia quanto qualquer outro estilo que invade as ruas na época de seus lançamentos. Primeiro, foram os casos das chamadas máscaras de grife – com marcas de prestígio lançando seus modelitos. Depois, algumas delas, como o caso da Osklen, abusando dos preços – e voltando atrás pela pressão das redes sociais. Pois, agora, é a vasta oscilação dos custos do utilitário que deixa os usuários perdidos. Há diferenças de dezenas de reais entre os modelos. Por isso mesmo, na Espanha, o governo limitou o preço ao máximo de um euro, ou seja, R$ 6 – por ser item de sobrevivência da população.

VAREJO
compartilhando o sucesso

A mudança do comércio virtual foi acelerada pela Covid-19 e alcançou velocidade inimaginável há apenas seis meses. Além do aumento das vendas pelo e-commerce das grandes redes de varejo do país, as marcas que já trabalhavam exclusivamente com o assunto ganharam novo e surpreendente formato. No caso da moda, a Amaro tenta nova experiência como marketplace, abrigando outras marcas ao seu portfólio – e parece que está dando certo. Na outra ponta, o Magalu disponibiliza sua poderosa estrutura de vendas a distancia e distribuição para ser usada por pequenas lojas. Resumo: o que antes do vírus era concorrente, agora é um parceiro.

RODA VIVA
os filhos das redes

Para quem o nome do tal do Felipe Neto era algo tão próximo quanto um gulag siberiano, seu bate-boca no programa Roda viva foi momento, digamos, esclarecedor. Dizem que o rapaz tem mais de 11 milhões de seguidores nas redes sociais e adora dar pitaco em política e, aí, a gente começa a entender algumas das razões que levaram o país ao anêmico quadro político atual. Basta lembrar que já houve época em que a opinião pública seguia comentaristas de alto nível, como Carlos Castello Branco (o Castelinho), Villas-Boas Corrêa ou Carlos Lacerda (millennials, corram ao Google), num tempo em que política escrevia-se com P maiúsculo.

QUARENTENA
do outro lado

Mesmo que tudo continue sendo isolamento, a rainha Elizabeth passa o tempo no castelo de Windsor na companhia do marido, o príncipe Philip, que não circula mais oficialmente. Diversão do casal: dar voltas diárias de cavalo, esporte que ela continua praticando, aos 92 anos. E jantares diários, tête à tête.

***

Enquanto isso, a cantora de Barbados Rihanna se transforma na mulher mais rica da Inglaterra. Muito mais do que a rainha, cujo lugar na lista fica em 372º, o que representa 392 milhões de euros. A colocação da cantora bate em 282º, que trocado em grana significa 452 milhões de euros.

***

Enquanto isso, a grife espanhola internacional Zara,que é a maior do mundo, leva as clientes a fazerem fila nas portas de suas lojas nas principais capitais mundiais depois da abertura do comércio. 
A fila em Paris vira quarteirão.


ROÇA
fugindo do vÍrus

A corrida de muitos para as áreas rurais, fugindo do coronavirus, acabou por aumentar em até 52% a procura por sítios, chácaras e afins. Em algumas regiões, até mais que isso. Sinal de que pelo menos arquitetos, decoradores e quem comercializa os tradicionais objetos de fazendas terão um belo futuro nos próximos meses. Aqui, vale a dica de que o ‘conceito aberto’ americano ganhou versão mineira – com a cozinha e varanda instaladas em um só espaço. É um alento em meio a tantas notícias desanimadoras.

FOGÃO
cozinheiras de mãos cheias

Há alguns dias, dissemos aqui que o próximo segmento a deixar de ser modismo e voltar às suas origens seria o da culinária. Pois, na semana passada, jornal paulista de prestígio publicou matéria mostrando o retorno da velha e boa cozinheira (substituindo os chefs de cuisine) nos restaurantes bacanas de lá. Como quase todos nós, os paulistanos também se cansaram de tanta gourmetização e estão loucos para matar a saudade dos temperos simples, saborosos e eternos. Bom apetite! 

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade