Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas

Em tempos de quarentena

Em dias de reclusão, procuramos algumas pessoas para saber o que andam fazendo nesses dias de %u201Cclausura%u201D. Quem sabe serve de sugestão e ideia para ajudar a movimentar os próximos dias? Vejam as rotinas diárias.


postado em 29/03/2020 04:00

(foto: Bárbara Dutra/em/d.a press)
(foto: Bárbara Dutra/em/d.a press)

 
Isabel Gangl

“Virei uma linda e recatada do lar, como diziam nossas avós. Tenho feito altos almoços e jantares. Estou exausta de tanto lavar, passar, arrumar; afinal, não é só fazer refeições gourmets. Meu marido continua trabalhando normalmente; afinal, o capitão não abandona o navio. Estou em uma missão de levantar a imunidade da minha família. Só tenho um filho em casa, o Lucas – os outros moram fora do país –, e ele chegou gripadíssimo. Todos nós estávamos gripados. Fizemos o exame para ver se era a Covid-19, mas ainda não saiu o resultado. Se era, já saramos e os sintomas foram muito leves. Nesse período da doença ninguém saiu de casa. Mas agora estamos todos bem. De noite jogamos e conversamos muito sobre economia. Afinal, começamos o ano enfrentando crises lá na Krug Nier. Primeiro foi o problema da Backer, depois vieram as fortes chuvas – chuva e cerveja não combinam – e agora o coronavírus com o isolamento social. Ainda bem que a empresa é saudável. Com tudo isso, virei uma obcecada por alimentação saudável e por alimentos que aumentam a imunidade. Todo dia de manhã faço um suco que tem que ser tomado imediatamente, enquanto as vitaminas estão no ápice. As refeições são ricas desses alimentos, muita salada, legumes, etc. Tudo muito saudável. Comprei alguns itens importantes para aumentar a imunidade, como própolis, a Spirulina, vitamina C, um multivitamínico, e o´orégano selvagem, que com duas gotas você lacrimeja, mas no dia seguinte ninguém mais espirrava, nem tinha coriza. Depois descobri que não precisa pingar diretamente na língua, pode tomar em uma colherzinha de azeite, porque é muito forte e o gosto muito ruim, mas é pura saúde. É violento. É considerado uma bomba atômica para aumentar a imunidade, o mais forte da natureza.”
 
Cícera
Gontijo

Está trabalhando on-line, fazendo reuniões por videoconferência, e tentando manter rotina normal de trabalho. Dispensou os funcionários do escritório (estão todos em home office) e os de sua casa, por isso faz revezamento das tarefas domésticas com as filhas. Como seu marido, Sérgio Christo, é médico e atende normalmente no hospital, eles tomam mais cuidados. Quando ele chega do trabalho, entra pela garagem, vai direto para o quarto de hospedes, que é no andar de baixo, tira toda a roupa e toma banho por lá. Só então ele sobe. Estão dormindo em camas separadas para não ter nenhum tipo de problema. Mantém contato com todos os clientes, tranquilizando e mostrando que a engrenagem econômica continua funcionando, e que vale a pena continuar os projetos. “É importante passar essa visão para os clientes, temos que acreditar que mesmo trabalhando em home office e estando separados não podemos deixar de acreditar na nossa economia.”
 
Sandra 
Assumpção

A empresária não abre mão da sua atividade física e logo cedo faz a rotina enviada via vídeo por sua personal treinner. Sua paixão é a pintura e esse hobby tem ocupado bastante tempo do seu dia. A produção está a todo vapor. Cozinheira de mão cheia, Sandra está investido na manufatura de pães. Segundo ela, “sovar a massa acalma”, e eles estão saindo lindos e bem saborosos.
 
Liliane Carneiro Costa

“Eu estou morando no Alphaville com o Gustavo Bautista. E estou trabalhando em casa , fazendo reuniões on-line. Estou aproveitando para exercitar meu potencial culinário que eu não conhecia. Esta semana fiz um bacalhau a Gomes de Sá maravilhoso para nós dois e descobri que além de engenheira, cantora e corretora tenho um quê de “chef”. Estou também trabalhando no projeto das casas que farei aqui no Costa Laguna.
 
Maria Ignez Coutinho

“Aqui em casa estamos sempre que possível nos encontrando e neste momento difícil de reclusão temos feito alguns programas que nos mantêm em comunicação sem risco. Temos o grupo da "Nossa família", no WhatsApp, que são no total 19 pessoas. Planejamos  neste grupo atividades, coisas interessantes do dia a dia, ideias de como fazer o dia melhor e mais interessante. Colocamos os nomes e sorteamos através de vídeos quem será  a pessoa do dia. Assim nos encontramos todos os dias com as novidades interessantes e tendo a oportunidade, através dos vídeos, de cada um participar dos acontecimentos e ideias. Todos os dias esperamos as novidades do sorteado. Esta forma de interação nos anima. Foi a forma de o tempo passar e a espera é  uma coisa agradável, e assim vai passando a bendita quarentena.”
 
INSTABILIDADE
anunciada

Pela virulência da ebulição político-empresarial provocada pelo coronavirus, tudo indica que a fase pós-pandemia terá ambiente de guerra pior do que essa dolorosa luta contra o Covid-19.  O fato é que os efeitos devastadores do confinamento social na economia, com reflexos na política, também dispararam petardos destruidores em direção à tranquilidade do quadro institucional. O clima tenso da reunião presidencial com os governadores do Sudeste, cujo termômetro foi o bate-boca com o paulista João Dória, é uma pequena mostra do que teremos pela frente.
 
Maria 
Clara Duca

“Acordo por volta das 7h30 e rezo, faço meditações, pois nesse horário, ao acordar, estamos com a frequência baixa e a conecção com o Divino é mais intensa. Enquanto isso, meu marido, Riva, faz o café da manhã, e eu fico com a louça e arrumação do quarto. Depois, abro o WhatsApp, que toma bastante tempo olhando as mensagens, respondendo e apoiando algumas pessoas mais frágeis. O apoio espiritual é muito importante neste momento. Como tenho muitos grupos, de estudo, Conselho da Mulher, Sindilojas, Amalou (Associação do Lourdes), FMM, sempre tenho alguns comentários a fazer sobre a situação crítica em que estamos envolvidos. E principalmente, levantar o moral e evitar a histeria das pessoas. Depois preparo o almoço. Coloco música num volume que me dê animação e vou fazendo as tarefas cantando e dançando. Põe roupa na máquina, tira poeira, etc... Recebi muitas sugestões de cursos e palestras gratuitos on-line e agora vou analisá-los e ver em quais eu vou dedicar a minha atenção. Vou aproveitar o tempo para me capacitar e conhecer coisas novas, que antes não tinha tempo. O Riva toca violão e fica envolto com seus vídeos de música e seus songbooks, está cada dia melhor. À noite, tomamos uma taça de vinho e comemos uns tira-gostos e jantamos. Um filme pra fechar a noite sempre é uma boa pedida. Estou com uma pilha de livros para ler. Nada muito excepcional, mas com a tranquilidade de quem pôs as preocupações nas mãos de Deus. No seu tempo, Ele tudo providenciará.”
 
POR AÍ…

Criadora das festas infantis mais bacanas da cidade, Leticia Moura Rocha (da Sambalelê) divulgou receitas de doces para serem feitos pela meninada, algo lúdico durante a quarentena. E a turma adorou. Os bolinhos de pote foram os preferidos.

O estilista Victor Dzenk abriu, excepcionalmente, sua fábrica de roupas em Lagoa Santa apenas para fabricar máscaras de proteção contra o virus – e distribuí-las na cidade.  O trabalho social da sua grife na região tem sido cada vez mais intenso.

O furacão do coronavírus provocou fissuras até nas estruturas mais fortes da moda mundial. Consta que a rede inglesa de fast-fashion TopFashion está prestes a fechar as portas. A situação já não era boa e, com o isolamento forçado, não vai ter mesmo salvação. 
 
Proteção 
fashion

A turma da moda entrou na briga contra o coronavirus de várias formas. Entre elas, doando tecidos cirúrgicos para as máscaras ou fabricando essas proteções. No plano econômico, a  Associação Brasileira da Industria Têxtil (Abit) defende um sistema de quarentena diferenciado para o setor. Na semana passada, uma pesquisa indicou que cerca de 51% das empresas do segmentos têxtil & confecção já sentem efeitos do vírus. Entre esses, 63% tiveram seus pedidos cancelados ou adiados e 56% contaram com alteração nos custos dos insumos. A maior parte das empresas (93%) já tomou medidas urgentes para enfrentar o problema.
 
Vania Hadad

Profissional da área de turismo, Vânia está aproveitando o tempo para estudar e criar roteiros interessantes e diferentes, para oferecer a seus clientes quando toda essa crise passar. Isso, nos intervalos da luta para cancelar os voos das viagens marcadas, sem prejuízo para os viajantes. À parte disso, também aproveita seu tempo para organizar coisas em sua casa, que nunca tem tempo para fazer, cozinhando e, claro, na arrumação, fazendo novos roteiros, arrumando e organizando a 
casa. 
 
Valéria Junqueira

A arquiteta e decoradora começou seu isolamento mais cedo por causa de uma cirurgia, então se ofereceu como voluntária para fazer o projeto de uma creche no aglomerado da Serra. Seu filho Guilherme estava envolvido em conseguir ajuda para o projeto. Trata-se de uma casa sustentada pelo cantor gospel David Quinlan e sua esposa, Bebê Quinlan. Lá ficam 40 crianças e adolescentes durante o dia, almoçam, têm aulas de música, dança, reforço escolar. Como é cinéfila de primeira também fez lista de filmes interessantes para indicar para as amigas assistirem em casa. 

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade