Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas

O inverno vem aí, o calor não foi embora. Cuidado com a pneumonia!

Além da pandemia causada pelo coronavírus, temos de estar atentos às doenças respiratórias comuns nesta época do ano


postado em 25/03/2020 04:00

O inverno vem aí. Além dos problemas com o coronavírus, teremos de enfrentar os casos de pneumonia, frequentes nesta época por conta das baixas temperaturas. O que poucos sabem é que a doença também pode se manifestar neste calorão que continua. Fatores como poluição do ar (comum nas grandes cidades), desidratação (por conta do calor excessivo) e até má alimentação prejudicam o desempenho da chamada barreira mecânica respiratória.
 
“Essa barreira é parte das defesas naturais do sistema respiratório. Ela tem início nas narinas, que, por meio dos cílios (pelos protetores) e do turbilhonamento aéreo, impedem a passagem de micro-organismos, e termina com o fechamento da glote, responsável pela proteção dos brônquios da chegada de eventuais corpos estranhos”, explica o pneumologista Carlos Carvalho, coordenador do Serviço de Pneumologia do HCor, em São Paulo.
 
Quando essas defesas ficam debilitadas, as chances de desenvolvimento de pneumonia, mesmo nas estações mais quentes, aumentam consideravelmente. “À medida que as pessoas transpiram sem repor o líquido perdido, ou ficam muito tempo expostas à poluição, há um ressecamento da mucosa presente nas barreiras mecânicas respiratórias. Ela perde parte da capacidade de bloquear bactérias que estão no ar e outros micro-organismos, que, inclusive, podem já estar presentes no corpo do indivíduo, mas ainda não chegaram aos pulmões”, explica o pneumologista.
 
Quando não nos alimentamos corretamente, o sistema imunológico perde eficiência. Por isso, dependendo da situação, pode ser que o organismo acabe falhando na tarefa de reter micróbios nocivos à saúde. “De maneira geral, a pneumonia ocorre quando os pulmões são acometidos por infecção provocada por bactérias, vírus, fungos ou reações alérgicas na região alveolar do órgão, onde ocorre a troca gasosa necessária ao processo de respiração. Para que o pulmão esteja saudável, essa região precisa estar sempre livre de micro-organismos ou substâncias nocivas”, reforça o médico.
 
Deixar de fumar pode prevenir a pneumonia no verão, pois o cigarro baixa a imunidade dos pulmões. Outros métodos, como lavar as mãos sempre que assoar o nariz, usar o banheiro ou precisar trocar fraldas, ajudam muito. Todos esses cuidados são ainda mais importantes no caso de pessoas que apresentam imunidade mais baixa do que o normal, como portadores de doenças cardíacas ou respiratórias. “Outra possibilidade é a utilização de vacinas. Mas, para isso, é preciso de orientação médica”, aconselha o especialista.
 
O ar-condicionado alivia o calor. Porém, passar longos períodos exposto ao ar frio e seco do aparelho pode ser prejudicial à saúde, pois aumenta o ressecamento da mucosa e das vias aéreas. Outro tipo de problema é o choque térmico. Embora não haja comprovação científica, ao transitar em ambientes com variações extremas de temperatura, os mecanismos de defesa naturais do organismo são mais exigidos e provocam crises alérgicas, principalmente em quem tem rinite, sinusite e outras inflamações e alergias. O quadro pode evoluir para uma pneumonia.
 
O tratamento da pneumonia é feito basicamente com antibióticos. Porém, é imprescindível a orientação do médico. Quando o paciente é idoso, apresenta febre ou complicações em decorrência da própria doença, como comprometimento da função renal, alteração da pressão arterial ou dificuldade de respirar, normalmente provocada pela baixa oxigenação do sangue, é necessário interná-lo rapidamente.
 
É importante beber bastante água, mesmo sem sede. Mantenha o corpo bem hidratado. Atenção especial deve ser dada a crianças e idosos: se necessário, aplique soro fisiológico no nariz e nos olhos para evitar ressecamento. Evite atividades físicas ao ar livre das 10h às 16h, quando o sol é mais forte; mantenha toalhas molhadas, recipientes com água ou vaporizadores no quarto na hora de dormir, principalmente se houver ar-condicionado ou ventilador ligados. E atenção: mantenha o aparelho de ar-condicionado sempre limpo. Troque os filtros uma vez ao ano e limpe os tubos a cada seis meses.
Outra dica: durante o banho, aproveite o vapor da água para lubrificar as narinas.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade