Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Publicidade

Estado de Minas

NOVOS TEMPOS, nova sociedade


postado em 15/12/2019 04:00

Dedé Longo, Cléa Dalva e Aloysio Faria no revéillon do AC(foto: arquivo em)
Dedé Longo, Cléa Dalva e Aloysio Faria no revéillon do AC (foto: arquivo em)
 
A notícia que circulou esta semana, de que o Automóvel Clube cancelou seu tradicional baile de revéillon, dá a medida certa do que aconteceu com a tradicional sociedade mineira: acabou ou recolheu-se definitivamente. A curiosidade é que está acontecendo com o clube o mesmo que sucede na Cidade Jardim: os moradores das casas, que foram as mais luxuosas e caras da cidade, se mudaram ou morreram e os filhos não querem ocupar as residências familiares. Com o AC acontece a mesma coisa: os sucessores dos nomes tradicionais da sociedade preferem outros endereços ou outros destinos para passar o último dia do ano. Com isso, o baile, que sempre significou um ponto alto no roteiro social da cidade, não só perdeu a graça como as presenças. Longe vai aquela época em que todos os nomes importantes da cidade se reuniam ali para uma confraternização que virava a noite. Frequentar o Automóvel Clube no último dia do ano era um sonho dos não sócios, que não podiam frequentar a festa mais tradicional e mais fechada da cidade.
 
VENDO LONGE
e com grife

A conhecia loja da Ótica Carol ampliou suas instalações no BH Shopping e Alexandre Alves, seu regente regional, lotou o mall em frente com convidadas variadas. Nas vitrines, o que há de mais moderno em matéria de óculos grifados, com todos os nomes importantes da moda internacional. 
E para completar a confraternização do encontro, muitas das convidadas saíram de lá com um Ray Ban de presente.

SANTA CASA
cria Instituto de Oncologia

A Santa Casa BH (SCBH) dá um passo importante para a criação de seu Instituto de Oncologia, cuja inauguração está prevista para março de 2020. Amanhã, o hospital colocará em funcionamento o seu segundo acelerador linear – equipamento utilizado para realização de sessões de radioterapia – e ampliará, em cerca de 70%, a capacidade de atendimento. Orçado em mais de R$ 4,4 milhões, o novo equipamento foi adquirido no início de 2019, com recursos que 19 empresas destinaram à SCBH por meio do Programa Nacional de Apoio à Atenção Oncológica (Pronon). Importado da Alemanha, o acelerador linear será instalado em um bunker adequado para radioterapia, recém-construído. A obra foi inteiramente doada e executada pela Direcional Engenharia. A aquisição do acelerador linear e a ampliação do serviço de radioterapia da Santa Casa BH são possíveis graças a 19 empresas, que destinaram ao hospital, via Pronon, parte de seus impostos devidos. São elas: Ambev, AngloGold Ashanti, Bradesco, Catho, Cristália, Delp, Direcional Engenharia, Grupo NC, Engie, Empresas Alfa, Instituto Hermes Pardini, John Deere, Magnesita, Mercantil do Brasil, Pottencial Seguradora, Sabesp, Vaccinar, Vallourec e Vilma Alimentos.

MODA
costura no plenarinho

Na semana passada, a deputada estadual Laura Serrano, economista com participação em várias comissões da Assembleia Legislativa, recebeu um grupo de profissionais renomados da moda para escutar as demandas do setor. Estiveram presentes empresários, acadêmicos, prestadores de serviços e representantes da Frente da Moda Mineira, Sindivest/MG, Sindijoias/MG, Instituto Amem, Uemg, Una, UFMG, Sindilojas e Secretaria de Desenvolvimento Econômico. Na reunião, aberta no plenarinho da ALMG, que foi articulada pela executiva de moda Wanessa Cabidelli, foram tratados assuntos como desburocratização dos processos, valorização e capacitação de mão de obra, diminuição dos entraves econômicos do setor perante outros estados nacionais e sugestões para o fortalecimento econômico do segmento em todo o país.
 
POR AÍ

A Cervejaria Albanos criou o concurso Click Cervejeiro, com a curadoria das fotógrafas Cacá Lanari e Lúcia Adverse. Foram convidados seis fotógrafos para registar o universo da cerveja. Cada profissional fez duas produções que estão expostas no Albanos Hub Cervejeiro, no Sion, até 10 de janeiro. O concurso é aberto à votação popular e o vencedor ganhará uma viagem para conferir o Festival Foto em Pauta 2020, em Tiradentes. Para votar entre no site www.albanos.com.br/click-cervejeiro.

Já estão à venda os ingressos para o réveillon no Gilboa, com open bar, open wine e open food, com a banda Dura Sexy animando a noite, das 21h às 4h. Informações e reservas: (31) 99970-6412.

O Grande Hotel do Fraga ficou animado na semana que passou com a realização da feira Benquisto. O bazar natalino reuniu gente bacana do artesanato da capital. Um sucesso ali os trabalhos da Asas da Terra, feitos pelas irmãs Cláudia e Mariângela Chiari. Os compradores estrangeiros que passaram por lá adoraram o que viram – e levaram para seus países.

Outra opção para a virada do ano é o Reveillon 2020, no Chateau Belvedere, all inclusive e ceia completa. A música ficará por conta da Banda Séculos, Manu Rosa e DJ Saldanha. Informações (31) 98764-1010.

Há anos no circuito da moda mineira, Marilia Pitta era uma das presenças festejadas na reunião da turma fashion em um dos plenarinhos da Assembleia Legislativa. Como sempre, esbanjando elegância.

As quitandas do Serro que dona Lucinha perpetuou na lembrança e no paladar de todos nós estarão agora disponíveis para quem for ao BH Outlet – instalado na saída para o Rio. O armazém que leva seu nome vai ser inaugurado ali na próxima quarta-feira.
 
 
TESTINO
museu no México

O fotógrafo peruano Mário Testino, o preferido das celebridades e realezas até que essa onda de hipocrisia moralista que devasta as artes & artistas o pegasse com acusações levianas, voltou a circular. O mais recente registro de sua existência foi fotografar um trabalho de uma amiga espanhola, ex-modelo, que ganhou expô retrospectiva em museu de prestígio no México. Ela fez questão de que o trabalho fosse dele – mandando às favas os oportunistas das redes sociais e os moralistas da mídia norte-americana.
 
ÁRVORE
do Bem

O BH Shopping fez, novamente, ação social em benefício das creches da Jornada Solidária Estado de Minas. No Natal de 2018, ele criaram a Árvore do Bem, colocaram nos corredores do shopping três árvores com nomes e idades das crianças das 13 creches. Os clientes escolhiam uma das crianças, compravam o presente e depositavam ao pé da árvore. No fim do ano, o gerente de Marketing do BH, Renato Tavares, e a coordenadora da Jornada, Isabela Teixeira da Costa, foram nas creches fazer a entrega das doações. A resposta do público foi tão grande que este ano a ação se repetiu. A entrega dos presentes começou na última sexta-feira. Nesta terça e quarta-feira ela continua. Vale aqui este registro com o agradecimento, não apenas ao BH Shopping, pela iniciativa, como a todas as pessoas que colaboraram doando os presentes.

PREMIO
internacional

O documentário ASAP, da Osklen, venceu uma das principais premiações da indústria cinematográfica da moda na categoria Ecossustentabilidade, no 8th Annual Fashion Film Festival Chicago. Esta edição contou com 64 selecionados de 25 países, que são avaliados por seu compromisso com a diversidade, estilo artístico, abordagem, perspectiva e comprometimento. O prêmio ressalta a importância e comprometimento da Osklen em práticas sustentáveis e leva o conceito ASAP, um chamado para a urgência da adoção de atitudes mais sustentáveis, para o mundo. Link do documentário: www.youtube.com/watchv?=5EZJVXcjlKc&feature=youtu.be.

BAZAR
da CAPE

Premiada como uma das 100 melhores ONGs do Brasil em 2019, a Casa de Acolhida Padre Eustáquio (Cape) faz no próximo sábado (21), das 9h às 18h, seu Bazar de Natal na sede da instituição, na Pampulha. A data coincide com a comemoração dos 6 anos do espaço, que atende não só crianças e adolescentes com câncer, mas pacientes com outras doenças não infecciosas. A proposta é arrecadar fundos para manter a instituição ativa.

NATAL
Árvores ecológicas

Os reclames sobre sustentabilidade infiltraram-se por todos os poros    da sociedade – e no Natal não poderia ser diferente. A maior dificuldade, agora, é ter uma arvore natalina natural, isto é, feita com árvore de verdade ou apenas um galho dela. A turma ecológica cai em cima do cristão que cometer tal pecado. A não ser que tenha certificado de origem de plantação renovável, provar que veio de reflorestamento sem uso de pesticidas, é um tipo de planta que não consome muita água e muito mais. Melhor optar pela árvore de plástico, que é superpoluente, mas está livre de tais burocracias. 


Publicidade