Publicidade

Estado de Minas

É bom conhecer


postado em 23/07/2019 04:00 / atualizado em 22/07/2019 16:18





Pode parecer exagero, mas não há uma semana que não se escute caso de alguém que está ou se livrou de um câncer. E quem se livrou, depois de um tempo de tensão por causa dos exames, aproveita para comemorar o que acredita ser o retorno da vida. E a realidade é bem essa: segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca), a cada ano estimam-se 43 mil novos casos de câncer de cabeça e pescoço no Brasil. Os tumores atingem boca, língua, palato mole e duro, gengivas, bochechas, amígdalas, faringe, laringe, esôfago cervical, tireoide, seios paranasais e pele. São cerca de 10 mil mortes por ano no país só para os cânceres de laringe e cavidade oral, tendo como principais fatores de risco o tabagismo, o consumo de álcool e as infecções por HPV. Os sobreviventes enfrentam perdas significativas na qualidade de vida durante e após o tratamento.

Segundo a cirurgiã especialista em cabeça e pescoço Joana Conegundes, médica da equipe multidisciplinar da Clínica Blues, os tumores dessa área podem ser assintomáticos no princípio da doença. “O diagnóstico das lesões na fase inicial é fundamental para garantir que os índices de cura se aproximem de 100%. Com o desenvolvimento da doença, alguns sinais e sintomas podem aparecer, como manchas brancas na boca, dor local, lesões com sangramento ou cicatrização demorada, nódulos no pescoço, mudança na voz e rouquidão, e dificuldade para engolir”, alerta a médica. Para ampliar a conscientização sobre esses tipos de cânceres, a Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço (SBCCP) realiza, pelo quarto ano consecutivo, a campanha nacional Julho Verde, que visa informar sobre o câncer de cabeça e pescoço, falando de promoção da saúde, prevenção, diagnóstico, tratamento e reabilitação.

O ponto alto do mês é em 27 de julho, Dia Mundial de Combate ao Câncer de Cabeça e Pescoço, data estabelecida pela International Federation of Head and Neck Oncologic Societies (IFHNOS) e celebrada em diversas partes do mundo. Confira alguns dados dos tumores dessa área do corpo, segundo a cirurgiã de cabeça e pescoço Joana Conegundes:

» O câncer de cabeça e pescoço é um dos cinco mais frequentes em homens no Brasil.

»  O câncer de boca chega a ser o terceiro tipo de tumor mais frequente em algumas regiões, ocorrendo sete vezes mais em homens do que em mulheres.

»  O tabagismo está relacionado a 97% dos diagnósticos de câncer de laringe. O álcool, associado ao fumo, aumenta o risco em 10 vezes para câncer nessa região.

»  A infecção pelo HPV (papilomavírus humano) tem contribuído com o aumento na incidência da doença em jovens nos últimos anos em virtude da falta de uso de preservativos na prática do sexo oral. Esta é uma tendência mundial, que também já é identificada no Brasil.

»  Na mais recente estimativa brasileira (Inca 2018), o câncer de tireoide é o quinto tumor mais frequente em mulheres nas regiões Sudeste e Nordeste (sem considerar o câncer de pele não melanoma).

»  Estima-se que entre 2018 e 2019, sejam diagnosticados 640 mil novos casos de câncer, sendo os principais entre homens.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade