Publicidade

Estado de Minas

Algodão tem destaque no Minas Trend outono-inverno, marcado para outubro

Feira, que será realizada no Expominas, adotou o tema 'Tecendo futuros'


postado em 22/07/2019 04:00


Quando conheci Rogério Lima, nos idos de março, ele aparecia pela primeira vez no Minas Trend com uma coleção de bolsas fantásticas, feitas com sacos grossos e material de construção. Eram lindas e, principalmente, altamente criativas, sobressaindo-se entre as propostas de que copiar é o melhor para cativar o comprador. De lá para cá, ele continuou no ramo – fazendo bolsas também, mas não tão inventadas como a primeira leva. Esse talento fez de Rogério, outra vez, o diretor criativo do 25º Minas Trend de outono-inverno, que chega ao Expominas de 22 a 25 de outubro. Está mantida a proposta de transformar o evento no maior salão de negócios da América Latina. O tema desta edição é “Tecendo futuros”, o que, certamente, vai nos livrar daquela invasão inusitada de plástico, como ocorreu no Minas Trend do início do ano

A ideia é, ao apresentar tendências, debater caminhos a serem trilhados pela cadeia produtiva da moda. “Construir o futuro significa atuar no agora. Reconhecermos que enquanto agentes ativos, não importa se pessoa física ou jurídica, precisamos criar bases capazes de suportar as necessidades das gerações presentes e vindouras”, afirma Rogério Lima. Para pensar o futuro, o evento destaca o setor têxtil, fazendo do algodão o fio condutor das histórias a serem contadas sobre perspectivas para a moda. Essa matéria-prima é base de uma das principais cadeias produtivas do Brasil, respondendo por parcela significativa do nosso PIB país e empregando, direta e indiretamente, mais de 8 milhões de brasileiros, segundo a Associação Brasileira de Indústria Têxtil e de Confecção (Abit).

A proposta está bem dentro do contexto, pois, atualmente, o Brasil é o maior fornecedor de algodão sustentável do mundo. Lima destaca a importância do protagonismo brasileiro no momento em que o insumo é um dos principais expoentes na discussão sobre sustentabilidade na moda, assunto que estará em pauta no Minas Trend. Desse modo, a direção criativa pretende tomar como referência algumas diretrizes da Agenda 2030 – plano de ação da ONU voltado para o desenvolvimento sustentável –, trazendo à pauta da indústria questões essenciais para garantir que o segmento se fortaleça de forma competitiva frente a demandas e mercados globais.

A edição de abril de 2019, que apresentou as tendências da primavera/verão 2020, contou com a participação de novos segmentos da indústria no salão de negócios, além de vestuário, bolsas e calçados, joias e bijuterias. Marcaram presença os setores têxtil, de cosméticos e de máquinas e equipamentos. Para Flávio Roscoe, presidente do Sistema Fiemg, entidade realizadora do Minas Trend, a integração cada vez maior da cadeia produtiva da indústria da moda é fundamental para o atual momento do evento. “Somente com todos os setores unidos poderemos gerar negócios e fortalecer a imagem do estado, o que nos fará ganhar mercados dentro e fora do Brasil”, avalia Roscoe.

Presente em todas as regiões do estado, o segmento se tornou estratégico na geração de empregos (é a segunda cadeia que mais emprega em Minas), principalmente na contratação de mulheres. Em Minas Gerais, há 9.750 empresas na cadeia produtiva da indústria da moda, que emprega mais de 125 mil pessoas. O número de empresas mineiras representa 13,5% do total no país.

A programação cultural, gastronômica, de palestras e desfiles coletivos é o enorme diferencial do Minas Trend. Para a 25ª edição, a proposta do Sistema Fiemg é ampliar essas ações, envolvendo ainda mais a cidade de Belo Horizonte e a sua população. “A integração da sociedade com o evento criou uma nova dinâmica, uma experimentação, que pretendemos aumentar ainda mais nesta e nas próximas edições”, conclui Flávio Roscoe.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade