Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas MERCADO S/A

Empresas deveriam patrocinar futuras Rebecas

No Brasil, os investimentos no esporte costumam aparecer só às vésperas da Olimpíada, o que não faz sentido algum


02/08/2021 04:00 - atualizado 02/08/2021 07:55

(foto: Lionel Bonaventure/AFP)
(foto: Lionel Bonaventure/AFP)
O ótimo desempenho dos atletas brasileiros em Tóquio, traduzido nas medalhas da ginasta Rebeca Andrade e tantas outras, representa um convite para os patrocinadores. Basta observar com atenção a visibilidade que os competidores trazem, a emoção que despertam, a capacidade que têm para gerar empatia, para perceber que investir no esporte traz quase sempre retornos de imagem muito positivos.
 
Por que então as confederações brasileiras continuam à míngua? Por que a maioria dos esportistas, à exceção do futebol, sofre para levar uma vida financeira digna? No Brasil, os investimentos no esporte costumam aparecer só às vésperas da Olimpíada, o que não faz sentido algum – o atleta, como se sabe, precisa se preparar durante o ciclo inteiro.
 
Há boas iniciativas, como o recém-assinado contrato da XP para patrocinar o Comitê Olímpico do Brasil (COB), numa parceria que se estenderá até a Olimpíada de Paris, em 2024. Mas é preciso muito mais.

Investimentos públicos no esporte caíram no atual ciclo olímpico

Os políticos querem faturar com as conquistas brasileiras na Olimpíada, mas eles pouco fazem pelos atletas. Segundo dados da Universidade Federal de Brasília (UnB), o investimento público no esporte para o ciclo de Tóquio (2017 a 2020) foi reduzido em R$ 350 milhões, uma queda de 11% em comparação com os desembolsos para a Rio-2016. Alguém argumentará que faltam recursos. Depende do ponto de vista: só no ano passado, a União gastou R$ 19,3 bilhões com pensões de dependentes de militares.

No Brasil, descontos para vacinados

A vacina pode ajudar o bolso dos imunizados. Para atrair clientela – e fazer um jogo saudável de marketing –, algumas empresas oferecem promoções às pessoas que apresentarem o comprovante de vacinação. Na rede de alimentação saudável Mr. Fit, os descontos serão de 10% para compras feitas durante o mês de agosto. Na Domino’s, os imunizados com duas doses recebem, às segundas-feiras, a segunda pizza de graça. Já a Porto Seguro concede condições especiais na contração de seguro de vida.

Micros e pequenos negócios representam 70% do mercado pet

Apesar do expressivo crescimento de redes como Petz e Cobasi nos últimos 5 anos, o mercado brasileiro de produtos para animais continua bastante diversificado. De acordo com dados do Instituto Pet Brasil, os micros e pequenos empresários representam aproximadamente 70% do setor. Não é difícil imaginar, portanto, que há muito espaço para fusões e aquisições – não faltam boas oportunidades.  Em 2020, o segmento faturou R$ 40,1 bilhões, um crescimento de 13,5% em comparação com 2019.

RAPIDINHAS

  • A locadora Movida criou uma série de iniciativas para estimular o aluguel de carros elétricos. A empresa comprou carregadores portáteis e adicionou pontos de recargas em algumas de suas lojas. Por enquanto, a demanda é irrisória. A projeção, porém, é que pelo menos 20% da frota seja híbrida ou totalmente elétrica em uma década.
  • Uma análise detalhada da pesquisa do Banco Central sobre os índices de inadimplência expõe a dura realidade no país. Segundo o estudo, 58,5% dos brasileiros têm contas em atraso superior a 90 dias ou estão com mais da metade de salário comprometido com dívidas. É o percentual mais alto desde 2005.
  • O porta-contêineres Ever Given, que bloqueou o Canal de Suez e causou prejuízo de bilhões de dólares, virou atração turística. Na Holanda, o Porto de Roterdã, onde o navio está ancorado, resolveu faturar com a história. Os administradores locais criaram um passeio que leva os interessados para uma volta perto da embarcação. Custa R$ 70.
  • O principal argumento dos trabalhadores que defendem o home office é que, em casa, a produtividade aumentou. Eles estão embasados por pesquisas. Uma delas, feita pela Fundação Instituto de Administração (FIA), mostrou que 94% das empresas brasileiras atingiram ou superaram as expectativas de resultados com o trabalho remoto.

62,1%

foi quanto caiu o investimento direto estrangeiro no Brasil em 2020 em relação a 2019, segundo a Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (Unctad). A queda foi superior à média da América Latina (45,4%).

“A mulher pode e deve ocupar todos os espaços, inclusive no mercado financeiro. Não existe liberdade sem liberdade financeira”
  • Louise Barsi, economista, educadora financeira e filha de Luiz Barsi, um dos maiores investidores individuais da bolsa brasileira



*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade