Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas MERCADO S/A

Fim do home office opõe empresas e empregados no Brasil

Na Petrobras, pesquisa com funcionários descobriu que 54% deles gostariam de permanecer trabalhando em casa, mesmo após a pandemia


29/07/2021 04:00 - atualizado 29/07/2021 07:36

Da mesma forma que na empresa americana Apple, na Petrobras o retorno dos empregados ao trabalho presencial está provocando polêmica(foto: Mauro Pimentel/AFP - 20/6/21)
Da mesma forma que na empresa americana Apple, na Petrobras o retorno dos empregados ao trabalho presencial está provocando polêmica (foto: Mauro Pimentel/AFP - 20/6/21)

Enquanto as campanhas de vacinação avançam, a pressão dos empregadores para que os funcionários voltem aos escritórios aumenta. Em São Paulo, corretoras, casas de análise e bancos começaram nas últimas semanas a convocar profissionais para o retorno à jornada presencial, mas esbarraram na resistência deles. Na Petrobras, uma pesquisa com funcionários descobriu que 54% deles gostariam de permanecer trabalhando em casa, mesmo após o fim da pandemia.

Nos Estados Unidos, empregados da Apple têm criticado a imposição de chefes intransigentes que exigem o retorno imediato. Ao que parece, ninguém quer enfrentar a velha rotina. O movimento em prol do trabalho remoto ou pelo menos híbrido – um período em casa e outro fora – é crescente e deverá trazer dor de cabeça para os RHs. Eis aí uma encrenca que as empresas não esperaram ter pela frente. Como resolver a questão? Uma coisa é certa: os dois lados, empresas e funcionários, terão de ceder um pouco.

Homem armado traduz o agronegócio brasileiro?

O governo escolheu a foto de um homem armado, em meio a uma plantação, para homenagear os trabalhadores no Dia do Agricultor. Por mais que agrade os admiradores do presidente, a cena não condiz com a imagem que o agronegócio brasileiro quer transmitir para o mundo. Basta dar uma olhada nas campanhas de marketing das grandes empresas do setor para notar que elas desejam consolidar a ideia que são inovadoras, tecnológicas e respeitam o meio ambiente. O que uma pessoa armada tem a ver com isso?
 

Vamos retirar do texto o fim da isenção da taxação de lucros e dividendos distribuídos pelas empresas cadastradas no Simples Nacional. Ou seja, cerca de 5 milhões de empresas do Simples Nacional continuarão com isenção sobre os lucros e dividendos

Celso Sabino, deputado pelo PSDB-PA e relator da reforma do Imposto de Renda na Câmara

 

Simone Biles fez certo, para empreeendedores

A Olimpíada deu algum respiro para os intermináveis embates políticos no Brasil. Ontem, o principal assunto em um grupo de WhatsApp formado por 200 empresários foi a desistência da ginasta americana Simole Biles em disputar algumas provas por estar deprimida. Em geral, os participantes do grupo apoiaram a decisão da atleta, o que não deixa de ser surpreendente. O mundo mudou – e os empresários também. Até pouco tempo atrás, a escolha de Biles seria considerada um sinal de fraqueza.

Hambúrgueres e batatas fritas em alta

A crise acabou? Longe disso, mas a economia global tem emitido sinais positivos. No McDonald’s, marca mais conhecida de fast food do mundo, as vendas de hambúrgueres e batatas fritas voltaram anos níveis pré-pandemia. Não é pouca coisa, já que algumas lojas ainda não operam a pleno vapor. Redes globais como Burger King, Starbucks e Subway também observaram aumento expressivo da demanda nos últimos meses. O segundo semestre é promissor para a maioria das economias, inclusive a brasileira.

1.336%

foi quanto cresceu, no segundo trimestre, o lucro líquido da siderúrgica CSN emcomparação com igual período de 2020. Segundo a empresa, o “resultado extraordinário é consequência da combinação de melhores preços e eficiência nos custos”

RAPIDINHAS


  • O Brasil terá uma temporada agitada de cruzeiros temáticos. A partir de novembro, a MSC, uma das gigantes do setor, promoverá shows em alto-mar de artistas como Luan Santana, Bruno e Marrone, Zezé di Camargo e Luciano, Wesley Safadão, É o Tchan, Jota Quest, entre outros. A ideia da MSC é recuperar o tempo perdido durante a pandemia.
  •  
  • Um time estrelado participará da edição 2021 da Expert XP, um dos maiores festivais de investimentos do mundo. O evento da corretora XP, que ocorre entre 24 e 26 de agosto, contará com nomes como  Randi Zuckerberg, CEO da Zuckerberg Media e irmã do fundador do Facebook, e Michael Bloomberg, empresário e ex-prefeito de Nova York.

  • Poucos setores no Brasil são tão promissores quanto o imobiliário. Segundo balanço realizado pela Caixa Econômica Federal, as contratações de crédito imobiliário bateram recorde no primeiro semestre de 2021. Foram concedidos no período R$ 65,4 bilhões, um acréscimo de 36% na comparação com o mesmo intervalo de 2020.


  • E por falar em crédito: o endividamento das famílias bateu recorde na pandemia. Dados divulgados pelo Banco Central revelaram que, em abril, 58,5% dos brasileiros possuíam algum tipo de dívida com o sistema financeiro. Segundo o BC, trata-se do maior nível da série histórica iniciada em janeiro de 2005.



*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade