Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas Mercado S/A

Com vacinação, especialistas preveem retorno à normalidade neste ano

O banco suíço UBS estima que o país voltará à normalidade econômica em setembro, considerando 85% das pessoas com mais de 30 anos imunizadas até fim de agosto


08/07/2021 04:00 - atualizado 08/07/2021 07:38

Ampliação da campanha de imunização contra a COVID-19 no Brasil é considerada ''impressionante'' pelo banco suíço UBS(foto: Jair Amaral/EM/D.A Press - 4/6/21)
Ampliação da campanha de imunização contra a COVID-19 no Brasil é considerada ''impressionante'' pelo banco suíço UBS (foto: Jair Amaral/EM/D.A Press - 4/6/21)
Com a avanço da vacinação, os brasileiros podem, enfim, se perguntar quando a rotina voltará a ser a mesma de antes da pandemia. Por mais que o número de mortes seja assustador e que os níveis de contágio permaneçam altos, a curva é claramente descendente nos dois casos.

Especialistas sérios apontam para a plena retomada das atividades ainda em 2021, sendo que até pouco tempo atrás imaginava-se que isso só seria possível em 2022.

Em relatório enviado aos clientes, o banco suíço UBS classificou o ritmo da vacinação no Brasil como “impressionante” e estimou que o país voltará à normalidade econômica em setembro, considerando que 85% dos indivíduos com mais de 30 anos tenham recebido ao menos a primeira dose até agosto.

Um panorama de como será o Brasil a partir de então foi oferecido por países como Estados Unidos. Por lá, restaurantes lotados, shoppings a pleno vapor, vida cultural intensa – tudo exatamente como antes. Os brasileiros merecem mesmo algum alento.

Clubes querem torcida nos estádios

As cenas de arenas lotadas na Eurocopa levaram os dirigentes brasileiros a defender a volta do público aos estádios do país. Com o avanço da vacinação e a diminuição do número de casos e mortes por COVID-19, a maioria dos times quer o retorno da torcida a partir de setembro. Ceará e Fortaleza fizeram uma proposta mais ousada: receber os fãs em 1º de agosto, na Arena Castelão, em partida válida pelo Campeonato Brasileiro. A presença da torcida significa mais receitas para os combalidos clubes.


''Diversidade é ter homens e mulheres numa festa. Inclusão é todo mundo dançar e se divertir juntos''

Tatiana Kalman, vice-presidente de Químicos de Performance da Basf para as Américas


Consumo desaba na pandemia

Para os analistas que dizem que o impacto da pandemia não foi tão violento assim, aqui vão alguns dados devastadores. Segundo pesquisa da Ipsos, o consumo de carne desabou 68% no período. O de roupas, 65%, pouco acima do gás de cozinha (43%) e do combustível (41%). O desemprego, a queda da renda e os elevados níveis de endividamento levaram à maior crise em décadas, e o caminho para a recuperação será tortuoso. O Brasil empobreceu na crise – e os embates na política só pioraram a situação.

1,4%

Foi quanto cresceram as vendas do varejo em maio em relação a abril, segundo o IBGE. Na comparação com o mesmo mês do ano passado, as transações avançaram 16%. O resultado veio abaixo do esperado. A expectativa era de alta de 2,4% na comparação com abril e de 16,5% diante de igual período de 2020


Marisa busca integração entre lojas físicas e app

As mudanças de hábitos de consumo obrigam as empresas a se tornarem mais digitais. Ainda pouco presente nesse universo, a rede de moda feminina Marisa criou uma plataforma para integrar as lojas físicas ao aplicativo. Com o app, os clientes acessam descontos e promoções em 220 estabelecimentos, mas a ideia é chegar a 344 até o final de julho. A estratégia começa a trazer bons resultados. Apesar de ter sido lançada há menos de um mês, ela já responde por 3% das receitas dos pontos físicos.

Rapidinhas

  • Está na mesa do presidente Bolsonaro o texto da Medida Provisória 1.034/21, que prevê o aumento de impostos dos bancos para subsidiar a isenção sobre o óleo diesel e o gás de cozinha. Um artigo da MP diz também que não existe isenção de PIS e Cofins sobre combustíveis importados para a Zona Franca de Manaus. O trecho atinge em cheio a Amazônia Energia, importadora do Grupo Atem’s.

  • O Grupo Atem’s tem como alavanca de negócio uma liminar de 2017, que isenta a empresa do pagamento de PIS e Cofins nas importações de gasolina e de diesel com destino exclusivo para a Zona Franca de Manaus. O mercado estima que a empresa deixou de recolher cerca de R$ 1,8 bilhão ao Tesouro, incluindo multa e correção.

  • O Twitter lançará ferramenta que indica se uma informação publicada na rede social é falsa. “Nosso objetivo é facilitar a localização de dados confiáveis e limitar a disseminação de conteúdo enganoso”, disse a empresa em comunicado. Na era do ódio digital, o combate às fake news é indispensável.

  • Lebron James, um dos maiores jogadores de basquete de todos os tempos, quer se firmar como ícone pop. Em 15 de julho, estreia nos cinemas “Space Jam 2”, 25 anos depois de Michael Jordan estrelar a versão original. James também se tornará um personagem do videogame Fortnite, um dos mais vendidos do mundo.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade