Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas MERCADO S/A

Sob protestos no Japão, Olimpíada de Tóquio está ameaçada

A preocupação é que a presença de atletas, integrantes das delegações, voluntários e jornalistas possa espalhar o vírus


11/05/2021 04:00 - atualizado 11/05/2021 07:10

Pesquisa mostra que 65% da população japonesa querem o cancelamento dos jogos(foto: Jogos Olímpicos de Tóquio/Divulgação 1/7/19)
Pesquisa mostra que 65% da população japonesa querem o cancelamento dos jogos (foto: Jogos Olímpicos de Tóquio/Divulgação 1/7/19)
Os japoneses não querem mesmo saber da Olimpíada. Faltam menos de três meses para o início das competições, mas os Jogos de Tóquio (foto) continuam sob risco – e ninguém sabe dizer se o evento ocorrerá ou não.

Pesquisa realizada pela emissora “TBS News” constatou que 65% da população quer o cancelamento definitivo dos jogos, o que explica os inúmeros protestos realizados no Japão nas últimas semanas.

A preocupação é que a presença de atletas, integrantes das delegações, voluntários e jornalistas possa espalhar o vírus. O país fracassou na vacinação, apesar de as autoridades esportivas e integrantes do governo terem prometido o contrário.

Apenas 1,6% dos habitantes recebeu alguma dose do imunizante contra a COVID-19, e não há perspectiva de mudança expressiva do percentual no futuro próximo. A verdade é que há um ambiente de permanente estresse por causa do vírus, e as pessoas estão se perguntando se vale a pena passar por isso.

Os setores que puxam a economia

Estudo realizado pela consultoria KPMG apontou os setores que lideram a retomada do país. De acordo com o levantamento, os segmentos de telecomunicação, agronegócio (foto) – que não falha nunca –, varejo on-line e seguro integram a categoria que foi chamada de crescimento, aquela com indicadores em alta que elevam os resultados da economia. Resta saber por quanto tempo as empresas vão resistir em um ambiente marcado por incertezas e enorme instabilidade política.

Minas Gerais recebe R$ 61 milhões de compensação por uso da água

Em 2020, Minas Gerais foi o estado que recebeu o maior volume em compensação financeira pela utilização de recursos hídricos para a produção de energia por Furnas. A empresa repassou R$ 61 milhões à Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), que distribuiu o montante entre a administração estadual e 34 municípios. As três cidades que mais receberam recursos foram Sacramento (R$ 9,2 milhões), Frutal (R$ 6,6 milhões) e Tupaciguara (R$ 6,4 milhões).

 

Existem dois tipos de aplicadores: aqueles que adoram o dinheiro e os que odeiam o dinheiro. Eu digo: nunca faça parte do segundo grupo

Luiz Barsi, um dos maiores investidores individuais da Bolsa brasileira

 


Para eles, não falta emprego

Enquanto os índices de desemprego permanecem em níveis alarmantes na maioria das cidades brasileiras, há regiões do país que aproveitam o novo ciclo de alta das commodities. Na cidade mineira de Barão dos Cocais, a oferta de vagas cresceu 22% nos últimos 12 meses. Em Itabirito, também em Minas, o avanço foi de 17%. Há vários exemplos no estado: em Itabira, o salto foi de 12%. Os municípios têm em comum o fato de viverem da exploração do minério, cujo preços têm atingido patamares recordes.

2,7 bilhões


de pessoas usam o Facebook, que se mantém como a rede social mais acessada do planeta. Na sequência estão YouTube (2,3 bilhões) e WhatsApp (2 bilhões)

RAPIDINHAS


  • Os executivos que não se ajustam às demandas dos novos tempos deixarão suas companhias em má situação. Representantes de cinco dos maiores grupos de investidores da Toyota fizeram duras críticas ao presidente da empresa, Akio Toyoda. Em entrevista recente, ele lamentou os planos do Japão de restringir os carros movidos a combustão interna.

  • O temor dos acionistas da montadora japonesa é que a liderança de Toyoda poderá comprometer o desenvolvimento de veículos elétricos. Por mais que os carros movidos a eletricidade ainda estejam longe de dominar a paisagem urbana, é certo que representam um caminho sem volta. Toyoda, pelo visto, não concorda.

  • Além da proteção contra a COVID-19, os americanos que tomaram a vacina terão um alívio no bolso. Diversas redes varejistas passaram a oferecer descontos na compra de produtos para os que apresentarem o comprovante da imunização. O projeto é incentivado pelo governo, que pretende vacinar 160 milhões de adultos até 4 julho.

  • O sumiço de peças, o preço exorbitante dos carros novos e a crise econômica sem fim levaram o mercado de usados a acelerar no país. No primeiro trimestre do ano, foram vendidos 3,5 milhões automóveis de segunda mão, contra 3,1 milhões no mesmo período de 2020 – trata-se de uma alta expressiva de 15%.



*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade