Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas MERCADO S/A

Os adultos dão novo impulso ao mercado de videogames

Os videogames já movimentam nove vezes mais receitas do que o mercado de música e quase quatro vezes mais do que a indústria cinematográfica


24/09/2020 04:00 - atualizado 24/09/2020 00:16

Série documental GDLK: no Brasil, segundo dados da consultoria Newzoo, 75,7 milhões de pessoas se divertem com os jogos eletrônicos(foto: Netflix / Divulgação %u2013 20/8/20)
Série documental GDLK: no Brasil, segundo dados da consultoria Newzoo, 75,7 milhões de pessoas se divertem com os jogos eletrônicos (foto: Netflix / Divulgação %u2013 20/8/20)


O mercado de videogames vive uma explosão sem precedentes. No mundo, já são 2,7 bilhões de jogadores. No Brasil, segundo dados da consultoria Newzoo, 75,7 milhões de pessoas se divertem com os jogos eletrônicos. A pandemia teve papel decisivo nesse processo. Pesquisa da empresa de games Verizon aponta para crescimento de 75% nas atividades em sua plataforma comparando abril de 2020 com o mesmo mês do ano anterior. Mesmo com a ascensão das plataformas de música e vídeo, os videogames já movimentam nove vezes mais receitas do que o mercado de música e quase quatro vezes mais do que a indústria cinematográfica. O curioso é que o avanço se deve principalmente aos adultos. Outro estudo, desta vez realizado pela agência Game Brasil, constatou que a principal faixa etária de jogadores é de pessoas entre 25 e 34 anos, que representam 33,6% de todo o público. Em seguida, aparecem os jovens de 16 a 24 anos (32,5%).


(foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)
(foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)

Shoppings lotam, mas não vendem

A edição 2020 da Semana Brasil, período de descontos no comércio criado pelo governo Bolsonaro, não foi suficiente para alavancar as vendas nos shoppings. Segundo pesquisa realizada pela Associação Brasileira de Lojistas de Shopping (Alshop), 60% dos estabelecimentos não tiveram resultados melhores durante o evento. O curioso é que o número de visitantes aumentou, mas as pessoas não parecem dispostas a gastar. O setor estima que os níveis pré-pandemia só serão alcançados no ano que vem.

Faltam pretos nos cargos de liderança

Os críticos das políticas que priorizam a inserção de pretos no mercado de trabalho deveriam observar a indefensável distorção que existe nos cargos de liderança. No Brasil, pretos e pardos respondem por 55% da força de trabalho, mas ocupam 30% dos cargos gerenciais. A situação é pior no topo da hierarquia. Segundo a consultoria Talenses, só 5% dos presidentes de 532 grandes empresas brasileiras são negros e eles ocupam apenas 2% dos cargos em conselhos de administração.


(foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)
(foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)

No KFC, impressoras fabricam nuggets

As impressoras 3D são capazes de recriar tudo – tudo mesmo. De barcos a casas. De próteses a armas. A nova onda são as carnes sintéticas impressas em laboratório. Um dos projetos mais importantes é liderado pela rede americana de frango frito KFC. A empresa vai testar, no mercado russo e em parceria com a startup 3D Bioprinting Solutions, nuggets feitos por impressoras. As máquinas usam como ingredientes plantas e moléculas de frango. Em poucos minutos, imprimem um balde cheio de nuggets.


Rapidinhas

O Nubank diz que zerou todas as suas emissões de gás carbônico. Segundo a consultoria BSD, trata-se da primeira empresa do setor bancário no Brasil e no México, países onde a fintech mantém operações, a alcançar a marca. “Por sermos digitais, causamos menos impacto para o meio ambiente”, disse o fundador David Veléz.


A pandemia teve um efeito devastador na renda mundial obtida por meio de atividades profissionais. Segundo a Organização Internacional do Trabalho (OIT), ela caiu 10,7% de janeiro a agosto na comparação com o mesmo período do ano passado. Isso equivale a um tombo de US$ 3,5 trilhões, o mesmo que 5,5% do PIB global.


A Unica, empresa de meios de pagamento do Tribanco, mal registrou seu primeiro bilhão em faturamento em junho e já dobrou essa marca em apenas três meses. O crescimento acelerado deve se manter em todo o ano de 2020 – a empresa prevê atingir R$ 3,5 bilhões até dezembro. O Tribanco integra o Grupo Martins, referência do segmento atacadista-distribuidor.


Nem só de Facebook, Twitter e Instagram vivem as redes sociais. O Pinterest, plataforma americana de compartilhamento de imagens, bateu nesta semana o seu recorde de downloads. A média diária chegou a 800 mil, o dobro de um ano atrás, antes da pandemia. Nunca as pessoas passaram tanto tempo conectadas a redes sociais.


490 mil carros
farão parte da frota da empresa resultante da fusão entre Localiza e Unidas. Juntas, elas terão valor de mercado inicial de R$ 50 bilhões


“Você deve investir num negócio que até um idiota poderia dirigir, porque algum dia um idiota o dirigirá”

Warren Buffett, lendário investidor americano





*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade