Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Publicidade

Estado de Minas MERCADO S/A

Executivos chineses revelam apreensão em relação ao Brasil

Empresários chineses se dizem assustados com a instabilidade política na América do Sul e afirmam que só vão investir no Brasil depois que a casa for arrumada


postado em 12/11/2019 04:00 / atualizado em 12/11/2019 07:55

 (foto: AFP)
(foto: AFP)

Empresários chineses desembarcaram no Brasil nos últimos dias para participar do encontro dos Brics, que será realizado amanhã e quinta-feira, em Brasília. Muitos deles passaram antes por São Paulo para se encontrar com representantes de associações comerciais. “O Brasil tem muito potencial, mas estou assustado com a instabilidade política na América do Sul”, diz o diretor de uma gigante chinesa da área de tecnologia, que pediu para não ser identificado. “Tem tanta confusão que até parece o Oriente Médio.” O executivo chinês afirma que seu país se surpreendeu com a onda de protestos no Chile, durante muito tempo considerado uma ilha de tranquilidade no continente, e com a queda do presidente da Bolívia, Evo Morales (foto). Quanto ao Brasil, ele aposta em um cenário de crescimento do PIB puxado por investimentos em infraestrutura. “Quando vocês arrumarem a casa, vamos trazer muito dinheiro para cá”.

RAPIDINHAS


A internet é principal diversão da geração Z, formada por pessoas nascidas nos anos 1990 e 2000. É isso o que mostra um estudo da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) em parceria com o SPC Brasil e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). Segundo o levantamento, 54% dos jovens usam a internet como fonte maior de lazer.

***

A Bio Mundo, rede de lojas especializada em produtos saudáveis, vai acelerar sua expansão. Em três anos de vida, a rede ultrapassou o número de 90 unidades abertas e alcançou o segundo lugar no setor de alimentos e produtos saudáveis, atrás da Mundo Verde. A partir de 2020, a marca planeja abrir 60 unidades por ano.

***

A edtech (startup voltada ao mercado da educação) Blox conquistou o primeiro lugar no evento EdTech Venture Day, realizado em São Paulo e organizado pela universidade espanhola IE, pela FGV-EAESP e pelo Google. Com isso, a empresa se credenciou para apresentar seu projeto a investidores europeus qualificados.

***

O Blox é um sistema educacional voltado a escolas secundárias, faculdades e universidades corporativas, que usa os games como instrumento de ensino. “Queremos trazer à educação formal a mesma agilidade que encontramos no Vale do Silício”, diz Bruno Berchielli, fundador da Blox.
 
 
(foto: ABB/Divulgação)
(foto: ABB/Divulgação)
 
70 mil drones estão cadastrados na Agência Nacional de Aviação Civil. Com o uso crescente das aeronaves, a Anac quer rediscutir a legislação atual, considerada muito aberta para tratar de diferentes tipos de aparelhos


"Já tivemos ditadores ruins, ditadores horríveis, Collor confiscando a poupança, FHC, cujo primeiro mandato foi bom, mas o segundo foi péssimo, Dilma, que provou que este país aguenta tudo. E, mesmo assim, as empresas não deixaram de expandir seus lucros e a bolsa não deixou de se valorizar. Presidentes não interferem em nada nos ciclos de mercado”
.Henrique Bredda, sócio da firma de investimentos Alaska
 

(foto: Léo Galvani/Usiminas/Divulgação)
(foto: Léo Galvani/Usiminas/Divulgação)

Liberal, mas nem tanto

As propostas de maior abertura comercial no Brasil e acordos de livre-comércio preocupam o setor siderúrgico. Segundo o presidente da Usiminas, Sergio Leite, a equipe econômica deve trabalhar para que abertura não seja prejudicial às empresas. “O mercado brasileiro de aço defende o liberalismo econômico, mas não podemos ser liberais num mundo protecionista”, diz. “Precisamos agir em consonância com essa realidade e reduzir ou até mesmo eliminar as assimetrias de competitividade.”

Xiaomi aposta no avanço do 5G

Em suas palestras, Lei Jun, o fundador da fabricante chinesa de celulares Xiaomi, usa uma máxima para definir o potencial de seu país: “O futuro pertence à China”, diz ele. Na tecnologia 5G, ele está coberto de razão. Jun afirmou que sua empresa lançará em 2020 10 smartphones com o novo padrão de conexão. Enquanto no Brasil o leilão do 5G é um enrosco sem fim, no mundo a tecnologia avança. Projeções da consultoria IDC mostram que no ano que vem o 5G estará presente em 9% dos celulares.

(foto: Carrefour/Divulgação)
(foto: Carrefour/Divulgação)

A estratégia japonesa do Carrefour

As redes de supermercados Carrefour e Hirota Food anunciaram parceria para oferecer um serviço inédito: pratos de culinária oriental. A iniciativa permite ao Carrefour ampliar o portfólio de produtos, enquanto o Grupo Hirota ganha visibilidade para suas marcas. O setor de alimentação é uma das prioridades do Hirota, que está investindo US$ 10 milhões em uma nova fábrica e em um centro de distribuição em São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo.


Publicidade