Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas AMAURI SEGALLA

Valor sonegado por Manguinhos equivale a orçamento de 5 anos do STF

Para se ter uma ideia do tamanho do calote, apenas em julho de 2019 a refinaria não pagou R$ 47 milhões em impostos


postado em 16/09/2019 04:00 / atualizado em 16/09/2019 09:58

Refinaria de Manguinhos está em processo de recuperação judicial desde o ano passado(foto: Diego Baratelli/Wikimedia communs/reprodução)
Refinaria de Manguinhos está em processo de recuperação judicial desde o ano passado (foto: Diego Baratelli/Wikimedia communs/reprodução)
A Refinaria de Manguinhos se tornou uma máquina de sonegar impostos. Em recuperação judicial desde o ano passado, a empresa tem dívidas tributárias de R$ 3,4 bilhões. Para efeito de comparação, o valor é suficiente para manter o funcionamento do Supremo Tribunal Federal por cinco anos e equivale ao orçamento inteiro de um município como Belém (R$ 3,8 bilhões), no Pará. As informações estão na nova petição da Procuradoria-Geral de São Paulo, que foi entregue ao ministro Dias Toffoli, presidente do STF. A PGR está atenta aos desdobramentos da publicação do parecer da procuradora-geral, Raquel Dodge, que reforça a importância do processo de cassação do maior sonegador do setor de combustíveis do Brasil. Para se ter uma ideia do tamanho do calote, apenas em julho de 2019 a refinaria não pagou R$ 47 milhões em impostos. O processo de cassação da empresa tramita no Supremo e está sob responsabilidade do ministro Toffoli.

A nova jogada do Fenômeno


(foto: divulgação)
(foto: divulgação)
A Ronaldo Academy, rede de academias de futebol de Ronaldo Fenômeno, irá lançar um novo modelo de licenciamento da marca, agora voltado para clubes, colégios e complexos esportivos. Chamado de Licensed, ele aproveita ambientes já existentes, mas que não estão sendo bem explorados. “Nosso foco é levar a Ronaldo Academy para todas as regiões do país, usando espaços de colégios e clubes”, diz Leandro Martins, diretor de Expansão da marca. “Mapeamos oportunidades em mil cidades brasileiras.”

 
Os promissores negócios da cannabis


A Justiça tem se tornado uma aliada para quem precisa da cannabis para tratamentos médicos. Há alguns dias, a juíza federal Sandra Regina Soares, do Paraná, permitiu que uma pessoa com câncer de estômago importe sementes e cultive a planta. A juíza entendeu que a proibição afetaria a saúde do paciente. Grupos estrangeiros estão de olho no mercado brasileiro. Em junho, a canadense Canopy Growth, especializada em maconha medicinal, abriu escritório no Brasil.


Microempreendedores atrasam pagamento de impostos


De janeiro de 2018 a junho de 2019, 49% dos microempreendedores individuais (MEIs) atrasaram o pagamento do Documento de Arrecadação do Simples Nacional (DAS). Essa é a conclusão da Azulis, fintech especializada em serviços financeiros para pequenos empresários. O estudo reforça as dificuldades dos empreendedores diante da lenta retomada. Segundo a Azulis, os estados com a menor taxa de inadimplência são Minas Gerais e Santa Catarina, enquanto Amapá e Amazonas têm a maior
 
US$ 75 bilhões

é o valor de mercado da chinesa Bytedance, que se tornou a startup mais valiosa do mundo. A Bytedance faz fortunas ao desenvolver sistemas dotados de inteligência artificial 
 
– A CTG Brasil, segunda maior geradora privada do setor elétrico brasileiro, assinou contrato com a Associação Catarinense de Tecnologia para criar seu primeiro laboratório de inovação no país. A iniciativa irá acelerar projetos na área de tecnologia. “Estamos construindo uma conexão com startups e universidades”, diz José Renato Domingues, vice-presidente da CTG Brasil.

– A suíça ABB, líder global em tecnologia industrial, irá fabricar robôs na China, o maior mercado do mundo. Segundo a empresa, a unidade receberá investimentos de R$ 700 mi- lhões. Os robôs são o negócio do futuro. Estima-se que as vendas mundiais crescerão dos atuais US$ 80 bilhões para US$ 130 bilhões em 2025.

– A Taurus, fabricante brasileira de armas, não tem do que reclamar. Com negócios em alta no Brasil, a empresa mira agora os países africanos. Na semana passada, fechou contrato para a venda de 1,5 mil pistolas G3 a um parceiro da África do Sul, responsável por distribuir os produtos no continente.

– O Brasil é um dos maiores exportadores de armas leves do mundo, segundo o Small Arms Survey, principal estudo sobre a indústria. Mais de 80% do faturamento da Taurus vem das exportações. Nos primeiros seis meses de 2019, suas receitas somaram R$ 480,1 milhões, e R$ 408,9 milhões vieram do mercado externo. 


Publicidade