Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Publicidade

Estado de Minas MERCADO S/A

Atacarejo avança na crise. Como será na retomada?

Se a economia crescer, os clientes recém-conquistados continuarão a frequentar as lojas?


postado em 01/07/2019 06:00 / atualizado em 01/07/2019 12:42

Nenhum setor aproveitou tanto a crise dos últimos anos quanto o atacarejo, como são chamadas as lojas que misturam atacado com varejo. Com menos dinheiro no bolso, as pessoas encontraram nesses estabelecimentos preços convidativos. Agora, o atacarejo está diante de um dilema: se a economia crescer, os clientes recém-conquistados continuarão a frequentar as lojas? Segundo os empresários do ramo, a resposta é sim. A saída, afirmam, é melhorar a experiência de compra. Em outras palavras: oferecer lojas limpas, estacionamentos amplos e seguros, sinalização adequada dos corredores e organização dos produtos nas prateleiras. E, claro, comodidades no pagamento. Presidente do Makro, Marcos Ambrosano diz que o setor precisa diversificar estratégias. O executivo cita o caso da rede comandada por ele, que durante anos só permitia compras com seu próprio cartão. Desde 2018, o Makro passou a aceitar todas as bandeiras de cartão de crédito e débito, o que atraiu novos clientes.

Volvo vai produzir blindado no país

Os altos índices de violência do país prejudicam o mercado de carros de luxo. Isso é fato. Mas, por outro lado, têm pavimentado novos negócios para as montadoras. A sueca Volvo vai iniciar a produção de seu primeiro modelo blindado de fábrica, o utilitário esportivo XC90, com foco especialmente no consumidor brasileiro. “Com o modelo, ampliamos nosso portfólio com veículos de alto nível de segurança pessoal”, diz o diretor da marca, Stephan Gree. 

Dona do uísque Teacher’s acelera 

A Beam Suntory, uma das maiores companhias de bebidas destiladas do mundo, vai assumir toda a gestão de sua operação no Brasil a partir de hoje . Até então, os negócios no país eram realizados em parceria com a Bacardi. Nos últimos três anos, a Beam Suntory, dona das marcas Jim Beam Bourbon e Teacher's Whisky, estabeleceu distribuição própria nos principais mercados de destilados, incluindo China, México, Coreia do Sul e África do Sul. 

O sorriso da Unimed 

A Unimed Odonto, operadora de planos odontológicos do Sistema Unimed gerida pela Seguros Unimed, encerrou o primeiro trimestre de 2019 com carteira superior a 425 mil vidas. O resultado representa crescimento de 26,96% nos últimos 12 meses. No mesmo período, o número de beneficiários do mercado de planos odontológicos subiu 7,7%, segundo o Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS). 

RAPIDINHAS 

A Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata) apelou às autoridades de segurança da aviação para acelerar os requisitos de validação técnica que coloquem as aeronaves Boeing 737 Max (foto) novamente em operação. O anúncio foi feito na conclusão da segunda Cúpula Boeing 737 Max, organizada pela Iata.

Em tempos de empregos escassos, o número de microempreendedores individuais tem crescido em ritmo forte no país. A plataforma MEI Fácil, voltada a serviços financeiros para microempresários, chegou a 1 milhão de usuários em junho. No app, microempreendedores emitem nota fiscal, pagam impostos e acessam serviços financeiros.

A retomada pode até ser lenta, mas não para o setor de alimentação. A rede de fast-food Giraffas fechou o período de janeiro a maio com receitas de R$ 290 milhões, quantia 10,4% superior àquela do mesmo intervalo de 2018. Com o resultado, a rede chega ao 10º mês de crescimento, com taxas próximas de dois dígitos em todos os meses do ano.

Para reduzir perdas com inadimplentes, o Santander vai oferecer aos clientes parcelamentos de dívidas em até 72 vezes. Segundo o banco, os débitos vencidos serão renegociados em condições especiais. A alta inadimplência freia a retomada econômica. Em abril, 63,2 milhões de brasileiros estavam com débitos em atraso.


Publicidade